Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Vantagens e cuidados em renegociar dívidas com bancos

Vantagens e cuidados em renegociar dívidas com bancos

07/12/2019 Letícia Marques

Em tempos de Black Friday, começou a denominada “Semana da Negociação e Orientação Financeira”.

Em tempos de Black Friday, começou a denominada “Semana da Negociação e Orientação Financeira”, uma oportunidade para quem tem alguma dívida com instituições financeiras de renegociar seus débitos, com descontos e condições melhores de pagamento.

O mutirão é organizado pelo Banco Central e pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), contudo os bancos não são obrigados a aderirem o programa.

Os descontos ofertados pelas instituições financeiras chegam até 92%, todavia cada banco terá sua própria porcentagem, sem um padrão definido.

Estão participando do programa: Bradesco, Banco Pan, Banrisul, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Itaú, Santander.

Algumas agências destes bancos terão o horário estendido até às 20 horas. Para quem não puder participar presencialmente, poderá acessar as plataformas digitais das instituições.

A importância dessa semana é devido ao aumento de inadimplentes no Brasil, segundo uma pesquisa realizada pelo Serasa Experian, 63,2 milhões de Consumidores estavam inadimplentes em abril deste ano, o crescimento foi de 3,2% em relação a ano passado, aumentando em 2 milhões, batendo um novo recorde.

As vantagens para os consumidores inadimplentes aderirem o programa são:

- O desconto pode ser muito vantajoso por diminuir o valor da dívida;

- Caso esteja negativado apenas por uma dívida e o banco para quem está devendo adere o programa, fazendo o acordo, poderá ter a restrição financeira retirada de seu nome;

- O score aumentará, permitindo o financiamento de algum móvel ou imóvel, ou até mesmo a contratação de um empréstimo;

- Evitar ação de execução judicial;

Todavia, é importante o consumidor ter atenção e tomar alguns cuidados para não cair em golpes, uma vez que os criminosos estão sempre atentos.

Assim, a orientação é de comparecer na agência para verificar as possibilidades de descontos e evitar o pagamento de boletos enviados por e-mail, pois pode não se tratar do banco e você consumidor acabar caindo em algum golpe.

Outro fator é estudar se realmente vale a pena o desconto. Portanto, procure fazer um cálculo a fim de comparar os descontos com o valor original e sua real possibilidade de pagar e quitar a dívida. Não é interessante realizar este tipo de acordo e não paga-lo, pois apenas renovará a dívida.

Dessa forma, aqueles que estão inadimplentes e pretendem regularizar sua vida financeira, retirando a restrição de seu nome e evitando um processo judicial, devem procurar a instituição financeira responsável e verificarem se o acordo será vantajoso.

* Letícia Marques é advogada do escritório Aith, Badari e Luchin Sociedade de Advogados.

Fonte: Ex-Libris Comunicação Integrada



Pais, quais são os seus direitos?

Embora ainda não haja um direito específico para esse público, há casos em que eles recebem o equivalente ao salário maternidade.


As Eleições de 2022 e o grande desafio da LGPD

A produção e uso de dados de eleitores é um recurso frequentemente utilizado por chapas concorrentes durante o período eleitoral.


A evolução na legislação do teletrabalho no Brasil

As transformações nas relações trabalhistas impostas pela pandemia da Covid-19 foram fundamentais para solidificar algumas flexibilizações previstas na reforma trabalhista.


Decisão do TST traz repercussão ao salário dos aprendizes

Como é de conhecimento da grande maioria dos departamentos de Recursos Humanos, a elaboração do cálculo do salário do aprendiz nunca foi assunto fácil.


Em briga de marido e mulher, o condomínio é obrigado a meter a colher

Está cada vez mais em desuso a frase retrógrada que recomenda: “em briga de marido e mulher, ninguém mete a colher”.


Lei de Improbidade, STF e o futuro das eleições

Nessa próxima semana o Supremo Tribunal Federal poderá alterar os rumos das Eleições de outubro.


A safra futura pode ser considerada bem essencial em caso de recuperação judicial?

A safra futura, na maioria dos casos, serve de fomento para a nova plantação e é responsável pelo giro de capital do produtor rural, sendo imprescindível para as atividades produtivas, principalmente para o empresário rural em crise.


Dúvidas sobre inventário pode gerar custos desnecessários

Quando se perde um ente querido tem-se de lidar com a dor e, ao mesmo tempo, com os processos exigidos por lei para a divisão de bens, o famoso inventário.


Justiça do Espírito Santo reconhece legalidade da Buser

Magistrado destaca que imposição da regra do circuito fechado ao transporte por fretamento fere autonomia e liberdade de locomoção dos consumidores.


Bolsas, exchanges cripto e o funcionamento dos mercados

Esses dias conversava com um jovem investidor de criptomoedas que nunca havia operado em bolsa de valores (sim, eles existem).


União Federal permite a utilização de prejuízo fiscal em transação tributária

Desde 2020, grandes devedores podem regularizar seus débitos tributários por meio da celebração de Acordo de Transação Individual.


Inventário negativo: proteção dos herdeiros de dívidas do falecido

Quando ocorre o falecimento de uma pessoa, há a necessidade de se promover o inventário e a partilha de bens a serem transmitidos ao cônjuge e aos herdeiros do falecido.