Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Aprender assistindo pode ser um método educacional eficaz

Aprender assistindo pode ser um método educacional eficaz

30/03/2020 Saba Mirza

Aprender assistindo pode ser um método educacional eficaz.

Famílias em todo o mundo estão se adaptando a uma nova maneira de trabalhar e aprender, enquanto praticam o distanciamento social para retardar a disseminação do coronavírus (COVID-19). 

Agora, milhões de crianças estão em casa em período integral e os pais devem desempenhar o papel adicional de professores.

Se você é pai ou mãe de crianças em idade escolar em casa, sabe que a interrupção das aulas devido ao COVID-19 criou desafios para manter as crianças em dia com seu currículo escolar - e também a mantê-las estimuladas a aprender.

Para crianças mais novas, da pré-escola ao ensino fundamental, artesanato e quebra-cabeças podem ser uma ótima forma de estímulo e aprendizado. No entanto, apresentar idéias que mantenham o interesse e a atenção das crianças no ensino médio não é tão fácil.

Então, como transformar o tempo que as crianças passam em frente as telas em aprendizado divertido e desenvolver uma habilidade valiosa para ajudá-los resolver os grandes problemas que estamos enfrentando hoje? Uma boa solução é incentivá-los a aprender a criar bots de software de RPA - Robotic Process Automation

Como as crianças podem criar robôs ajudantes para seus pais

Um dos meus colegas da Automation Anywhere, Krish Patel, fez exatamente isso. Nos 19 dias anteriores à quarentena imposta pelo COVID-19, Patel e o marido não tiveram tempo de percorrer manualmente os vários sites e portais da escola para assinar ou acompanhar as atividades relacionadas à escola de seus gêmeos de 11 anos, trabalhos de casa, anúncios e outros requisitos. As conversas na mesa de jantar geralmente se concentravam em: "Mãe, você entrou para verificar nossas notas?" e "Pai, você enviou minhas informações para que eu possa participar das atividades?

Lembrar diferentes endereços de sites, senhas, onde procurar várias informações, inserir informações dos alunos em formulários e depois fazer tudo de novo para o outro gêmeo exigia várias etapas manuais e repetitivas. Depois de uma sessão de lamentações no jantar, Patel sugeriu aos gêmeos: "Por que vocês não constroem um bot que pode fazer todas essas tarefas repetitivas para mim e depois me enviam os detalhes quando completo?"

Os gêmeos da sexta série assumiram o desafio de construir um robô para auxiliar na administração das atividades da escola. O bot ajudante navega pelo portal dos pais, direciona para a seção necessária, captura as informações que serão utilizadas e envia os resultados por e-mail aos pais dos gêmeos.

Uma experiência tipo video-game

Eles usaram a plataforma Automation Anyhwere Community Edition nline e imediatamente interpretaram como um jogo, como Minecraft, onde teriam que construir seu mundo - nesse caso, seu bot. Foi algo natural, simples, por conta da funcionalidade básica de arrastar e soltar e os recursos de gravação de tela para desenvolver as etapas lógicas do bot.

Recursos de aprendizagem visual

Quando os gêmeos tiveram problemas ou não entenderam algumas das partes mais técnicas da criação do bot, assistiram vídeos e fizeram cursos on-line para aprender a usar o produto. Aprender assistindo pode ser um método educacional eficaz, já que muitas crianças recorrem a isso para aprender sobre um novo brinquedo, como desbloquear novos níveis em videogames e até como codificar por conta própria. Eles buscaram "como construir um bot básico " e "construindo um robô que pode jogar vídeo-game ". Por meio de exemplos da vida real, não apenas aprenderam o que fazer, mas também foram inspirados a ter novas idéias.

Usando o tempo em frente as telas para desenvolver habilidades para o futuro do trabalho

Com a experiência, os gêmeos aprenderam muito mais do que como construir um bot. Eles aprenderam a adotar uma mentalidade orientada à solução para resolver o desafio contínuo de suas famílias - e como resolvê-lo com tecnologia, lógica e criatividade usando seus próprios esforços.

Se você é um pai cuja escola não possui um currículo de ensino à distância ou on-line ou que está procurando atividades adicionais com o tempo de tela que as crianças podem ter no momento, você pode adicionar o RPA bot-building como uma das habilidades que seus filhos podem desenvolver facilmente.

Eles não apenas aprenderão a construir um bot, mas também aprenderão uma nova tecnologia, como a inteligência artificial (IA) e machine learning funcionam de maneira prática, e desenvolverão uma habilidade que os preparará para futuro. Além, é claro, de se divertir.

3 passos para começar

- Crie uma conta gratuita na Community Edition para sua família e deixe seus filhos começarem a explorar. Você precisará de um computador e acesso à Internet para continuar.

- Aproveite os cursos gratuitos em vídeo da Universidade Automation Anywhere e deixe seus filhos aprenderem no ritmo deles.

- Deixe seus filhos serem criativos e experimentar. Incentive a pensar em problemas que os robôs de software podem resolver na escola ou na comunidade.

O melhor de tudo: isso é algo que podem fazer juntos. Aprender é para todos, e resolver os desafios do dia a dia é ainda mais gratificante como uma experiência familiar compartilhada.

* Saba Mirza, Product Marketing na Automation Anywhere

Fonte: Automation Anywhere



Os jovens e o trabalho

A responsabilidade de gerar filhos é algo muito sério porque pai e mãe possibilitam a encarnação de uma alma para evoluir no mundo material, o aquém.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra

Os jovens e o trabalho

O fim da geração nem-nem está na aprendizagem?

No labirinto complexo das políticas trabalhistas, há uma série de fatores que merecem nossa atenção.

Autor: Francisco de Assis Inocêncio

O fim da geração nem-nem está na aprendizagem?

A escola pública sob administração privada

O Estado do Paraná apresenta ao Brasil um novo formato de administração à rede escolar.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O compromisso das escolas privadas na educação antirracista

Alcançar o sucesso demanda comprometimento de faculdades e universidades com a formação inicial de professores.

Autor: Luana Tolentino

O compromisso das escolas privadas na educação antirracista

Inscrições abertas para os cursos de condutores de caminhões

A Fabet São Paulo está com inscrições abertas para três cursos avançados voltados a formação e aperfeiçoamento de condutores de caminhões.

Autor: Marcos Villela Hochreiter


Exercitando a empatia

No meu último ano de sala de aula, tive uma turma de quarto ano que se tornou muito querida.

Autor: Vanessa Nascimento

Exercitando a empatia

Conhecimento é combustível para a motivação

Não são incomuns as histórias de profissionais que, voluntariamente, trocam de emprego para ganhar menos do que em suas posições anteriores.

Autor: Yuri Trafane

Conhecimento é combustível para a motivação

Violência escolar: qual a causa e como solucionar

Comportamentos violentos nas escolas se intensificam cada dia mais, ou pelo menos a sua relevância tem ficado mais clara.

Autor: Felipe Lemos

Violência escolar: qual a causa e como solucionar

Todo dia é Dia da Educação

“A educação do homem começa no momento do seu nascimento; antes de falar, antes de entender, já se instrui.” Rousseau. “O homem não é nada além daquilo que a educação faz dele.” Immanuel Kant.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra

Todo dia é Dia da Educação

A integração entre crianças no espaço escolar

A escola, mais do que um simples espaço de ensino, desempenha um papel essencial na formação social das crianças.

Autor: Michelle Norberto

A integração entre crianças no espaço escolar

Como dizer “oi em inglês” tem quase 50 mil buscas mensais no Brasil, segundo pesquisa

De acordo com levantamento da plataforma de idiomas Preply, expressões básicas como “oi”, “bom dia” e “boa noite” são as mais buscadas pelos brasileiros na tradução para o inglês.

Autor: Divulgação

Como dizer “oi em inglês” tem quase 50 mil buscas mensais no Brasil, segundo pesquisa

Educação especial e inclusiva: para onde avançar?

É preciso destacar que o Brasil avançou de forma muito significativa nas últimas décadas no que concerne a políticas de acesso.

Autor: Lucelmo Lacerda e Flávia Marçal

Educação especial e inclusiva: para onde avançar?