Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Benefícios da educação tecnológica

Benefícios da educação tecnológica

02/04/2019 Antônio Carlos Salles

Não há como as nossas crianças ficarem de fora disso.

Benefícios da educação tecnológica

Em uma sociedade cada vez mais tecnológica, é certo que as crianças desenvolvam precocemente aptidões para manusear aparelhos eletrônicos. Nos últimos anos, acompanhamos o aumento do número de escolas que ensinam competências digitais por meio de metodologias específicas e conceitos de programação, mostrando como as novas ferramentas podem ser utilizadas de forma saudável e criativa. O assunto ainda gera polêmica entre os pais, que muitas vezes alegam que o uso da tecnologia afasta seus filhos do convívio com as pessoas, prejudicando a interação dentro e fora de casa. A verdade é que é quase impossível para a geração atual de crianças, que já nasceram na era digital, não tenha contato em algum momento com esses aparelhos.

Ao apresentar a linguagem de programação e conhecimentos de robótica às crianças, elas descobrem que ao invés de passar o tempo apenas navegando ou jogando, é possível criar o próprio game e ir além, como projetar aplicativos e dispositivos eletrônicos. Isso faz com que muitas habilidades sejam naturalmente desenvolvidas, sendo de extrema importância na vida acadêmica, pessoal e profissional. Para se ter uma ideia, de acordo com o relatório Futuro do Trabalho, divulgado na última edição do Fórum Econômico Mundial, 65% das crianças que estão começando o primário devem trabalhar em empregos que ainda não existem. E fica o questionamento: se todos os negócios do futuro próximo serão baseados em tecnologia, por que não ensinar na infância conceitos relacionados às novas tendências? Só assim as crianças conseguirão entender a lógica dos computadores, presentes em todos os momentos no cotidiano.

Muitos jovens, por terem acesso há muito tempo aos diversos dispositivos, adquirem habilidades e pensamentos computacionais que os favorecem a escolha de profissões mais voltadas para áreas que englobam as ciências exatas.  No entanto, independentemente da carreira profissional que o estudante escolher seguir, um curso de programação, nos dias de hoje, irá fazer com que ele tenha maior desenvoltura no mercado de trabalho futuro. Nos Estados Unidos e Europa, a programação já é adotada como disciplina na grade escolar primária de muitas instituições. Isso se deve à evolução tecnológica das profissões, que têm se tornado cada vez mais digitais. No Brasil não pode ser diferente, pois já estamos todos conectados.

 A tecnologia é uma poderosa ferramenta de inclusão e uma das principais responsáveis pelas mudanças na forma como a sociedade se comunica e se relaciona. Não há como as nossas crianças ficarem de fora disso. As outras gerações também tiveram que se preocupar com o desenvolvimento tecnológico de suas épocas. Os smartphones de hoje são as nossas TV’s do passado, principal opção de entretenimento. O importante é educar para que essas ferramentas não sejam somente um passatempo e que os pais tenham a consciência de que a alfabetização digital é fundamental nos dias de hoje, já que abre um vasto universo de possibilidades na vida dos jovens.

*Antônio Carlos Salles - Diretor da Ctrl+Play – Unidade Sto. Agostinho

Fonte: ETC Comunicacao Empresarial



Quem faz pós graduação EaD pode estagiar?

A escolha pelo modelo híbrido de educação ganha força e esses alunos também podem pleitear as vagas.

Autor: Carlos Henrique Mencaci

Quem faz pós graduação EaD pode estagiar?

Livro ensina às crianças as verdadeiras cores da amizade

Obra infantil combina narrativa poderosa com ilustrações que ganham vida ao longo das páginas para incentivar a tolerância desde cedo.

Autor: Divulgação


A maldição da aula divertida

Nem tudo o que precisamos aprender para compreender o mundo é divertido ou pode ser aprendido em meio a jogos lúdicos ou brincadeiras dinâmicas.

Autor: Daniel Medeiros

A maldição da aula divertida

Era uma vez em uma escola na Suécia

O governo sueco resolveu dar uma guinada nas suas orientações escolares e agora estimula fortemente o uso de livros em vez de laptops.

Autor: Daniel Medeiros

Era uma vez em uma escola na Suécia

Pais de autistas pedem que ministro o Parecer do Autismo

Associações de pais de autistas de todo o Brasil estão empenhadas em ampliar os direitos educacionais dos filhos.

Autor: Divulgação

Pais de autistas pedem que ministro o Parecer do Autismo

Educação e cidadania: pilares para futuro sustentável

Investir nas pessoas no tempo presente é um princípio básico e pode ser uma das maneiras mais efetivas de garantir um futuro mais sustentável.

Autor: Antoninho Caron

Educação e cidadania: pilares para futuro sustentável

10 motivos para falar de IA com crianças e adolescentes

Para os especialistas, a ferramenta já é considerada uma nova forma de alfabetização.

Autor: Divulgação

10 motivos para falar de IA com crianças e adolescentes

Participação e inclusão escolar: como fazer?

O princípio da gestão democrática da educação, previsto no artigo 206 da Constituição de 88, é também uma luta histórica dos movimentos a favor dos direitos das pessoas com deficiência. 

Autor: Lucelmo Lacerda e Flávia Marçal

Participação e inclusão escolar: como fazer?

Desvendando a defasagem na aprendizagem

Pesquisa compara ritmo acadêmico pré e pós-pandemia, mostrando caminhos para solucionar essa defasagem e promover sucesso educacional aos alunos.

Autor: Divulgação

Desvendando a defasagem na aprendizagem

Como as competições podem melhorar o desempenho dos alunos

O Brasil é um dos países que menos investe em educação básica no mundo, segundo a OCDE.

Autor: Divulgação

Como as competições podem melhorar o desempenho dos alunos

Volta às aulas: como evitar o estresse e a ansiedade?

Milhares de crianças e adolescentes estão de volta às salas de aula.

Autor: Divulgação

Volta às aulas: como evitar o estresse e a ansiedade?

Educação para autistas: se não agora, quando?

Nos últimos 10 anos muitas foram as conquistas alcançadas pelas pessoas com autismo, fruto de suas lutas e de suas famílias.

Autor: Lucelmo Lacerda e Flávia Marçal

Educação para autistas: se não agora, quando?