Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Educação Enlatada

Educação Enlatada

06/11/2023 Valéria Brasil

No supermercado, ele não custa mais que R$10, dependendo do modelo escolhido.

Feito normalmente de metal, o abridor de latas é um item tão tradicional quanto antiquado. Há décadas (séculos?), tem o mesmo design, com raras tentativas de inovação ao longo dos anos. Também, pudera: em time que está ganhando não se mexe. Nossas bisavós já contavam com a ajuda desse curioso instrumentos em suas cozinhas e é possível, até, que você tenha aí nas suas gavetas um exemplar que atravessou os anos sendo utilizado pela família, como uma herança simples e bonita de que o tempo passa, mas as boas soluções seguem sendo indispensáveis.

Uma pena que abrir latas de sardinha e milho verde seja muito mais simples que abrir corações e mentes. O mundo seria um lugar melhor se pudéssemos contar com um abridor de latas para trazer às pessoas um pouco da luz que inunda as latas quando utilizamos um abridor. Na prática, iluminar é muito mais difícil, complicado e trabalhoso.

Tenho trabalhado com Educação há 30 anos e, usando meu abridor na cozinha, não consigo deixar de pensar em como estamos sempre correndo o risco, hoje em dia, de oferecer uma espécie de educação enlatada às nossas crianças e adolescentes. Pequenas (enormes) inquietudes que perpassam a mente de educadores em todo o mundo, tenho certeza. Todos os dias, professores e equipes pedagógicas podem estar simplesmente abrindo latas com conteúdos prontos para serem consumidos por essas mentes curiosas que nossos pequenos ainda têm o privilégio de guardar em suas caixas cranianas.

Como podemos fugir desse triste destino? Como podemos subverter a lógica do processo de ensino e aprendizagem sem, contudo, deixar esses estudantes sem os conteúdos tão necessários para que se desenvolvam enquanto seres humanos e profissionais? Não é simples sair dos roteiros pré-estabelecidos e permitir que nossos alunos alcem voos completos em sala de aula, descobrindo fronteiras novas e inexploradas. Mas é necessário. E exemplos como a Escola da Ponte, em Portugal, demonstram que também é possível.

Ensinar fora das muitas latas disponíveis é uma missão, penso eu, enquanto termino de abrir uma lata de leite condensado, que requer paciência, mas também muito conhecimento atualizado. Precisamos beber da fonte das experiências que estão sendo construídas mundo afora, conhecer as possibilidades que se abrem todos os dias à frente de educadores que nem sempre estão próximos de nós, buscar caminhos que nem sempre nos pareceram disponíveis, mas que podemos desbravar junto de nossos colegas e alunos.

As fórmulas, as músicas que ajudam a decorar os conteúdos, o resumo do colega. Nada disso é necessariamente ruim, mas soprar um pouco a poeira dos nossos velhos métodos pode ser libertador tanto para nós mesmos quanto para aqueles a quem pretendemos ensinar. Afinal, o mundo que eles encontrarão do lado de fora da escola pouco tem a ver com o mundo que nós mesmos encontramos quando foi a nossa vez de sair dela. A tecnologia, os desafios profissionais, as relações humanas, tudo é diferente para eles e precisamos prepará-los para esse mundo que, na verdade, é construído dia após dia, e que não temos como saber exatamente como será.

Parar de apenas escolher as latas que já estão na despensa da nossa experiência prévia é o primeiro passo para isso. O que costumava nos alimentar não é, necessariamente, o mesmo que vai sustentar e satisfazer nossos alunos. Cabe a nós, com a ajuda de abridores metafóricos, desenlatar tudo isso antes de entregar a eles o melhor que podemos.

* Valéria Brasil, doutora em Educação, é coordenadora e professora do curso de Pedagogia da Universidade Positivo (UP).

Para mais informações sobre Educação  clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Central Press



Os jovens e o trabalho

A responsabilidade de gerar filhos é algo muito sério porque pai e mãe possibilitam a encarnação de uma alma para evoluir no mundo material, o aquém.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra

Os jovens e o trabalho

O fim da geração nem-nem está na aprendizagem?

No labirinto complexo das políticas trabalhistas, há uma série de fatores que merecem nossa atenção.

Autor: Francisco de Assis Inocêncio

O fim da geração nem-nem está na aprendizagem?

A escola pública sob administração privada

O Estado do Paraná apresenta ao Brasil um novo formato de administração à rede escolar.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O compromisso das escolas privadas na educação antirracista

Alcançar o sucesso demanda comprometimento de faculdades e universidades com a formação inicial de professores.

Autor: Luana Tolentino

O compromisso das escolas privadas na educação antirracista

Inscrições abertas para os cursos de condutores de caminhões

A Fabet São Paulo está com inscrições abertas para três cursos avançados voltados a formação e aperfeiçoamento de condutores de caminhões.

Autor: Marcos Villela Hochreiter


Exercitando a empatia

No meu último ano de sala de aula, tive uma turma de quarto ano que se tornou muito querida.

Autor: Vanessa Nascimento

Exercitando a empatia

Conhecimento é combustível para a motivação

Não são incomuns as histórias de profissionais que, voluntariamente, trocam de emprego para ganhar menos do que em suas posições anteriores.

Autor: Yuri Trafane

Conhecimento é combustível para a motivação

Violência escolar: qual a causa e como solucionar

Comportamentos violentos nas escolas se intensificam cada dia mais, ou pelo menos a sua relevância tem ficado mais clara.

Autor: Felipe Lemos

Violência escolar: qual a causa e como solucionar

Todo dia é Dia da Educação

“A educação do homem começa no momento do seu nascimento; antes de falar, antes de entender, já se instrui.” Rousseau. “O homem não é nada além daquilo que a educação faz dele.” Immanuel Kant.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra

Todo dia é Dia da Educação

A integração entre crianças no espaço escolar

A escola, mais do que um simples espaço de ensino, desempenha um papel essencial na formação social das crianças.

Autor: Michelle Norberto

A integração entre crianças no espaço escolar

Como dizer “oi em inglês” tem quase 50 mil buscas mensais no Brasil, segundo pesquisa

De acordo com levantamento da plataforma de idiomas Preply, expressões básicas como “oi”, “bom dia” e “boa noite” são as mais buscadas pelos brasileiros na tradução para o inglês.

Autor: Divulgação

Como dizer “oi em inglês” tem quase 50 mil buscas mensais no Brasil, segundo pesquisa

Educação especial e inclusiva: para onde avançar?

É preciso destacar que o Brasil avançou de forma muito significativa nas últimas décadas no que concerne a políticas de acesso.

Autor: Lucelmo Lacerda e Flávia Marçal

Educação especial e inclusiva: para onde avançar?