Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Estamos prontos para o retorno às aulas presenciais?

Estamos prontos para o retorno às aulas presenciais?

17/06/2020 Milena Fiuza

Alguns países já apresentaram demonstrações de retorno às aulas presenciais.

Estamos prontos para o retorno às aulas presenciais?

Contudo, a decisão do retorno leva em consideração diversas questões, muito além do contexto educacional, incluindo até mesmo o encargo por uma nova onda de contágio do Covid-19. Em todo o mundo (e também no Brasil), a crise sanitária é latente. Vários são os esforços de algumas autoridades políticas, educacionais e de saúde para buscar meios de enfrentamento ao novo vírus.

O retorno às aulas presenciais, portanto, deverá observar, além dos bons exemplos externos, especialmente as normas dos respectivos sistemas de ensino, ou seja, estados e municípios deverão decidir as regras para o cumprimento da jornada escolar, que deverão ser seguidos em âmbito público e privado, além de protocolos sanitários rigorosos. Esse retorno deve estar em consonância com o processo de distanciamento social, em harmonia com as orientações da OMS e do Ministério da Saúde.

No âmbito educacional, o parecer aprovado pelo Conselho Nacional de Educação não estabelece datas para a volta às aulas presenciais, mas recomenda que o retorno aconteça de maneira gradual, além de nada alterar ao que rege a Medida Provisória que exige cumprimento das 800 horas, ainda que haja discussões em âmbito federal, principalmente em relação ao ensino infantil. E, para isso, o MEC possibilitou ampliar os horários habituais de aulas, realizar atividades no contraturno, ter sábados letivos, usar de períodos de recesso e/ou férias na tentativa de esgotar todos os esforços para cumprir a carga horária.

Desde o início do isolamento, muitas ações têm sido conduzidas para que alunos não se prejudiquem academicamente. Os professores têm usado de aulas síncronas a mensagens por aplicativo para engajá-los. E se há ainda algum mais resistente, padecerá em saber: essa atividade não se finda com a volta presencial. O período de retorno permanece incerto, mas há um consenso - a volta será feita de forma escalonada em um modelo híbrido, com aulas presenciais e remotas de forma simultânea. No novo modelo, as aulas presenciais deverão ser feitas em dias alternados, com escalas.

O modelo híbrido entre aulas presenciais e remotas encontra (desde sempre) obstáculos de execução, mais evidentes entre os alunos mais novos e também com relação à realidade de exclusão digital que muitos se encontram. Ainda, surge como possibilidade eficaz, estabelecer a volta às aulas presenciais por faixa etária – os alunos mais velhos voltariam às escolas antes, e as crianças menores que, quando contraem o novo coronavírus, costumam ser assintomáticas, sendo um risco maior de disseminação do vírus, regressariam mais tarde.

O retorno envolve um rígido protocolo de saúde e higiene com a desinfecção de escolas, aferição de temperatura, uso de máscaras, lavagem de mãos e instalação de torneiras. Além disso, os professores do grupo de risco devem manter-se afastados em um primeiro momento; há que se ter maior espaçamento entre as carteiras dos estudantes; os espaços ao ar livre devem ser aproveitados para as atividades pedagógicas; horários de entrada, saída e recreio devem ser diferentes e espaçados para evitar aglomeração; entre outras tantas providências. Fato é que, dada a complexidade das medidas a serem adotadas, é muito importante que os envolvidos se atentem a esses pontos e comecem, desde já, a planejar o retorno às aulas, de modo a conferir tranquilidade e segurança à comunidade escolar.

* Milena Kendrick Fiuza é gerente pedagógica do Sistema Positivo de Ensino

Fonte: Colegio Positivo



Violência escolar: qual a causa e como solucionar

Comportamentos violentos nas escolas se intensificam cada dia mais, ou pelo menos a sua relevância tem ficado mais clara.

Autor: Felipe Lemos

Violência escolar: qual a causa e como solucionar

Todo dia é Dia da Educação

“A educação do homem começa no momento do seu nascimento; antes de falar, antes de entender, já se instrui.” Rousseau. “O homem não é nada além daquilo que a educação faz dele.” Immanuel Kant.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra

Todo dia é Dia da Educação

A integração entre crianças no espaço escolar

A escola, mais do que um simples espaço de ensino, desempenha um papel essencial na formação social das crianças.

Autor: Michelle Norberto

A integração entre crianças no espaço escolar

Como dizer “oi em inglês” tem quase 50 mil buscas mensais no Brasil, segundo pesquisa

De acordo com levantamento da plataforma de idiomas Preply, expressões básicas como “oi”, “bom dia” e “boa noite” são as mais buscadas pelos brasileiros na tradução para o inglês.

Autor: Divulgação

Como dizer “oi em inglês” tem quase 50 mil buscas mensais no Brasil, segundo pesquisa

Educação especial e inclusiva: para onde avançar?

É preciso destacar que o Brasil avançou de forma muito significativa nas últimas décadas no que concerne a políticas de acesso.

Autor: Lucelmo Lacerda e Flávia Marçal

Educação especial e inclusiva: para onde avançar?

Acolhimento: um ato revolucionário de amor e empatia

Feche os olhos por um minuto e tente lembrar de um momento em que foi acolhida na infância ou adolescência.

Autor: Vanessa Nascimento

Acolhimento: um ato revolucionário de amor e empatia

A importância de diversificar as práticas esportivas nas escolas

Os impactos positivos das diversas práticas esportivas são inegáveis, especialmente quando se considera o contexto das instituições educacionais.

Autor: Kelly Soares Rosa

A importância de diversificar as práticas esportivas nas escolas

Afinal, vale a pena insistir no ensino da letra cursiva nas escolas?

Um assunto relevante para a educação está dividindo opiniões: o uso da letra cursiva nas escolas.

Autor: Liliani A. da Rosa

Afinal, vale a pena insistir no ensino da letra cursiva nas escolas?

Estudantes cativados, estudantes motivados

Contar com a participação da família nesse processo é fundamental para que a criança seja estimulada e reconhecida.

Autor: Cleonara Schultz Diemeier

Estudantes cativados, estudantes motivados

Quem faz pós graduação EaD pode estagiar?

A escolha pelo modelo híbrido de educação ganha força e esses alunos também podem pleitear as vagas.

Autor: Carlos Henrique Mencaci

Quem faz pós graduação EaD pode estagiar?

Livro ensina às crianças as verdadeiras cores da amizade

Obra infantil combina narrativa poderosa com ilustrações que ganham vida ao longo das páginas para incentivar a tolerância desde cedo.

Autor: Divulgação


A maldição da aula divertida

Nem tudo o que precisamos aprender para compreender o mundo é divertido ou pode ser aprendido em meio a jogos lúdicos ou brincadeiras dinâmicas.

Autor: Daniel Medeiros

A maldição da aula divertida