Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Exercitando a empatia

Exercitando a empatia

30/05/2024 Vanessa Nascimento

No meu último ano de sala de aula, tive uma turma de quarto ano que se tornou muito querida.

Exercitando a empatia

Os alunos, todos, eram muito especiais. Porém, me deparei com uma situação difícil de contornar.

Thiago, um aluno de 9 anos, recém matriculado na escola, era extremamente alérgico a qualquer produto de origem animal. Alérgico a ponto de carregar uma pochete com injeção de endorfina. Avisei a coordenação que eu não tinha nenhum tipo de treinamento caso ele precisasse que um adulto lhe aplicasse a injeção. Os pais disseram que eu não precisava me preocupar, pois Thiago já sabia lidar bem com sua condição.

Ele levava o lanche dele e sempre pareceu bem resolvido. Acabei esquecendo dessa limitação e, quando os pais do Matheus avisaram que, mandariam um bolo para cantarmos os parabéns no recreio, eu nem lembrei que Thiago não poderia comer.

Cantamos os parabéns e só fui lembrar disso, quando olhei para seus olhinhos marejados enquanto me observava oferecer o pratinho com uma fatia de bolo para todas as outras crianças. Me senti a pior professora do mundo. Afinal, era minha obrigação ter pensado nisso.

Decidi mandar mensagem para todos os pais da turma, informando sobre a condição de Thiago, junto com três indicações de pessoas que vendiam bolos veganos. Inclusive a mãe do Thiago.

O próximo aniversário seria de Valentina e, conhecendo o pouco que já conhecia desses pais, já poderia ter imaginado que dariam problema. A mãe chegou com um bolo temático, pedindo desculpas por ter esquecido do "detalhe" do bolo vegano, se eu não poderia abrir uma exceção. Cantamos parabéns e, de novo, tive que presenciar a carinha de choro de Thiago.

Pedi para os alunos sentarem em roda e que Thiago tentasse explicar como se sente ao presenciar todos comendo um bolo delicioso, menos ele. Sem medo de chorar, Thiago explicou que não sentia falta do doce, pois nunca tinha comido, mas que se sentir excluído era dolorido e que ele não entendia o porquê, já que os bolos veganos são uma delícia.

A partir desse dia, nunca mais tivemos um bolo que Thiago não pudesse comer. Todas aquelas crianças, de alguma forma, entendiam a dor de se sentir excluído.

Infelizmente, se dependesse dos pais, Thiago passaria o ano todo se sentindo assim.

Fico feliz por ter aproveitado esse momento como uma oportunidade que todos poderíamos aprender.

* Todos os nomes utilizados neste texto são fictícios

* Vanessa é pedagoga e escritora, autora do livro “Todas as vidas de Tati”.

Para mais informações sobre empatia clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Todos os nossos textos são publicados também no X

Quem somos

Fonte: LC Agência de Comunicação



Os jovens e o trabalho

A responsabilidade de gerar filhos é algo muito sério porque pai e mãe possibilitam a encarnação de uma alma para evoluir no mundo material, o aquém.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra

Os jovens e o trabalho

O fim da geração nem-nem está na aprendizagem?

No labirinto complexo das políticas trabalhistas, há uma série de fatores que merecem nossa atenção.

Autor: Francisco de Assis Inocêncio

O fim da geração nem-nem está na aprendizagem?

A escola pública sob administração privada

O Estado do Paraná apresenta ao Brasil um novo formato de administração à rede escolar.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O compromisso das escolas privadas na educação antirracista

Alcançar o sucesso demanda comprometimento de faculdades e universidades com a formação inicial de professores.

Autor: Luana Tolentino

O compromisso das escolas privadas na educação antirracista

Inscrições abertas para os cursos de condutores de caminhões

A Fabet São Paulo está com inscrições abertas para três cursos avançados voltados a formação e aperfeiçoamento de condutores de caminhões.

Autor: Marcos Villela Hochreiter


Conhecimento é combustível para a motivação

Não são incomuns as histórias de profissionais que, voluntariamente, trocam de emprego para ganhar menos do que em suas posições anteriores.

Autor: Yuri Trafane

Conhecimento é combustível para a motivação

Violência escolar: qual a causa e como solucionar

Comportamentos violentos nas escolas se intensificam cada dia mais, ou pelo menos a sua relevância tem ficado mais clara.

Autor: Felipe Lemos

Violência escolar: qual a causa e como solucionar

Todo dia é Dia da Educação

“A educação do homem começa no momento do seu nascimento; antes de falar, antes de entender, já se instrui.” Rousseau. “O homem não é nada além daquilo que a educação faz dele.” Immanuel Kant.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra

Todo dia é Dia da Educação

A integração entre crianças no espaço escolar

A escola, mais do que um simples espaço de ensino, desempenha um papel essencial na formação social das crianças.

Autor: Michelle Norberto

A integração entre crianças no espaço escolar

Como dizer “oi em inglês” tem quase 50 mil buscas mensais no Brasil, segundo pesquisa

De acordo com levantamento da plataforma de idiomas Preply, expressões básicas como “oi”, “bom dia” e “boa noite” são as mais buscadas pelos brasileiros na tradução para o inglês.

Autor: Divulgação

Como dizer “oi em inglês” tem quase 50 mil buscas mensais no Brasil, segundo pesquisa

Educação especial e inclusiva: para onde avançar?

É preciso destacar que o Brasil avançou de forma muito significativa nas últimas décadas no que concerne a políticas de acesso.

Autor: Lucelmo Lacerda e Flávia Marçal

Educação especial e inclusiva: para onde avançar?

Acolhimento: um ato revolucionário de amor e empatia

Feche os olhos por um minuto e tente lembrar de um momento em que foi acolhida na infância ou adolescência.

Autor: Vanessa Nascimento

Acolhimento: um ato revolucionário de amor e empatia