Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Sobre sonhos e verdades

Sobre sonhos e verdades

08/04/2020 Lucimeire Fedalto

Aprendizado. Respeito à individualidade. Felicidade. Inovação. Eis algumas buscas daqueles que fazem a escola: os alunos.

Sobre sonhos e verdades

Aproximadamente 260 mil, entre 11 a 21 anos, tiveram a oportunidade de participar de uma escuta on-line, gratuita e aberta, realizada pela Porvir e pela Rede de Conhecimento Social, em 2019. Os jovens foram provocados a refletir sobre suas escolas atuais e também sobre como seriam os ambientes educacionais de seus sonhos. A edição da pesquisa, publicada em novembro, trouxe informações interessantes na ótica desse público.

Dentre as questões levantadas pelos jovens sobre sonhos e realidades no âmbito escolar, percebeu-se que esses jovens não querem "só comida, diversão e arte", eles querem ser ouvidos, querem fazer parte do processo de construção e desenvolvimento desse espaço em que aspiram aprender e ser felizes. Grêmios estudantis e conselhos não dão conta da necessidade que esses estudantes têm para que tenham voz e participação nas decisões relacionadas à escola. Jovens e adolescentes querem mais diálogo e espaço. 79% dizem que têm grêmio na sua escola, mas só 45% consideram que estudantes participam das decisões; 72% indicam a existência de um conselho escolar, e apenas 41% dizem haver atividades que integrem professores, pais e alunos. Não basta ter o canal, é preciso ensinar a utilizá-lo.

E quando a pesquisa traz os dados sobre o perfil do professor que esse grupo entrevistado idealiza, vê-se que não é um profissional com superpoderes, mas sim um professor que domine o conteúdo, que consiga despertar o senso crítico e que esteja aberto ao diálogo e às trocas. Além, é claro, da existência física dessa figura fundamental para o processo de ensino-aprendizagem, pois, muitas das escolas das quais os entrevistados fazem parte sofrem com a falta de professores. 

Temas como bullying, suicídio, depressão e autoconhecimento devem fazer parte do currículo, na concepção dos entrevistados. 30% avaliam de forma negativa a relação entre alunos em suas escolas – eles não falariam que nela todas as pessoas são respeitadas independentemente de cor, religião, orientação sexual, nacionalidade ou cultura. Os estudantes reconhecem a necessidade de ter ajuda, seja do professor ou de um profissional especializado – 6 a cada 10 entrevistados gostariam de ter psicólogos na escola. Sonho que pode se concretizar em breve se a proposta prevista no Projeto de Lei 60/2007 for efetivada. Segundo esse projeto, equipes formadas por psicólogos e assistentes sociais deverão atender os estudantes dos ensinos fundamental e médio, buscando a melhoria do processo de aprendizagem e das relações entre alunos, professores e a comunidade escolar. O texto ainda estabelece que, quando houver necessidade, os alunos deverão ser atendidos em parceria com profissionais do Sistema Único de Saúde (SUS). 

Segundo a pesquisa, grande parte dos problemas emocionais advém da pressão a que muitos dos estudantes são submetidos, no Ensino Médio, por conta do vestibular e do mercado de trabalho. O foco da escola dos sonhos, portanto, segundo o perfil dos entrevistados, deve ser também a preparação para a faculdade ou para o mercado de trabalho, aproximadamente 40% acreditam nisso. Eis o nosso desafio enquanto educadores: ensinar, mas também despertar; ver, mas também enxergar; ouvir e dar voz; acolher o sonho, mas também trabalhar junto para transformá-lo em verdade.

* Lucimeire Leduc Peixoto Fedalto é professora de Língua Portuguesa e Coordenadora do Centro de Inovação, Pesquisa e Desenvolvimento do Colégio Positivo.

Fonte: Central Press



Os jovens e o trabalho

A responsabilidade de gerar filhos é algo muito sério porque pai e mãe possibilitam a encarnação de uma alma para evoluir no mundo material, o aquém.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra

Os jovens e o trabalho

O fim da geração nem-nem está na aprendizagem?

No labirinto complexo das políticas trabalhistas, há uma série de fatores que merecem nossa atenção.

Autor: Francisco de Assis Inocêncio

O fim da geração nem-nem está na aprendizagem?

A escola pública sob administração privada

O Estado do Paraná apresenta ao Brasil um novo formato de administração à rede escolar.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O compromisso das escolas privadas na educação antirracista

Alcançar o sucesso demanda comprometimento de faculdades e universidades com a formação inicial de professores.

Autor: Luana Tolentino

O compromisso das escolas privadas na educação antirracista

Inscrições abertas para os cursos de condutores de caminhões

A Fabet São Paulo está com inscrições abertas para três cursos avançados voltados a formação e aperfeiçoamento de condutores de caminhões.

Autor: Marcos Villela Hochreiter


Exercitando a empatia

No meu último ano de sala de aula, tive uma turma de quarto ano que se tornou muito querida.

Autor: Vanessa Nascimento

Exercitando a empatia

Conhecimento é combustível para a motivação

Não são incomuns as histórias de profissionais que, voluntariamente, trocam de emprego para ganhar menos do que em suas posições anteriores.

Autor: Yuri Trafane

Conhecimento é combustível para a motivação

Violência escolar: qual a causa e como solucionar

Comportamentos violentos nas escolas se intensificam cada dia mais, ou pelo menos a sua relevância tem ficado mais clara.

Autor: Felipe Lemos

Violência escolar: qual a causa e como solucionar

Todo dia é Dia da Educação

“A educação do homem começa no momento do seu nascimento; antes de falar, antes de entender, já se instrui.” Rousseau. “O homem não é nada além daquilo que a educação faz dele.” Immanuel Kant.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra

Todo dia é Dia da Educação

A integração entre crianças no espaço escolar

A escola, mais do que um simples espaço de ensino, desempenha um papel essencial na formação social das crianças.

Autor: Michelle Norberto

A integração entre crianças no espaço escolar

Como dizer “oi em inglês” tem quase 50 mil buscas mensais no Brasil, segundo pesquisa

De acordo com levantamento da plataforma de idiomas Preply, expressões básicas como “oi”, “bom dia” e “boa noite” são as mais buscadas pelos brasileiros na tradução para o inglês.

Autor: Divulgação

Como dizer “oi em inglês” tem quase 50 mil buscas mensais no Brasil, segundo pesquisa

Educação especial e inclusiva: para onde avançar?

É preciso destacar que o Brasil avançou de forma muito significativa nas últimas décadas no que concerne a políticas de acesso.

Autor: Lucelmo Lacerda e Flávia Marçal

Educação especial e inclusiva: para onde avançar?