Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Economia de Energia Elétrica em Fazendas Leiteiras (4/4)

Economia de Energia Elétrica em Fazendas Leiteiras (4/4)

14/09/2010 Eduardo Carvalhaes Nobre

Os cuidados ao adquirir um motor elétrico

Para adquirir um motor elétrico é importante ainda que o proprietário forneça ao vendedor as seguintes informações:

1) Tipo de máquina ou equipamento a ser acionado pelo motor.
2) Local em que o motor será instalado.
3) Número de vezes que o motor será ligado por dia.

O esquema de ligação dos motores monofásicos vem indicado em sua “placa de identificação”.

A ligação de motores trifásicos possuem, normalmente, três enrolamentos (bobinas), com terminais que podem ser ligados em redes com pelo menos duas tensões diferentes. A maior parte dos motores trifásicos produzidos no Brasil podem ser utilizados com tensões de 220 volts, com ligação em triângulo, e 380 volts com ligação em estrela.

Quando se deseja inverter o sentido de rotação de um motor trifásico é necessário, apenas, trocar duas fases de alimentação.

Motores monofásicos podem funcionar em propriedades rurais onde o fornecimento é pelo sistema trifásico, enquanto que motores trifásicos somente podem funcionar onde o fornecimento de energia é trifásico.

O proprietário rural deve ficar atento porque alguns fabricantes recomendam motores de diferentes potências para uma mesma máquina. Deve-se preferir o motor de menor potência pois os custos de aquisição e instalação são menores, possibilitando uma menor demanda, sendo que um número maior de máquinas poderão funcionar simultaneamente.

Os motores monofásicos não são recomendados para partir com carga. Por isso, o motor deverá ser ligado sem carga na máquina agrícola a ele acoplado.

A eficiência de um conjunto máquina/motor depende, principalmente, do dimensionamento correto  para o tipo de acionamento a que é destinado, ou seja, a potência extraída pela carga deve estar próxima à potência nominal (de placa) do motor. Este equipamento é projetado  para obter o melhor rendimento nas condições nominais de operação.

O super dimensionamento de motores é um fato comum, principalmente pelo desconhecimento das características da carga, obrigando os projetistas das máquinas a utilizarem fatores de segurança elevados.

Outros fatos que interferem na eficiência de um conjunto, são as condições do acoplamento entre motor e carga. O desalinhamento, a falta de correias ou má conservação contribuem também para uma solicitação maior do motor e consequentemente o consumo é maior.

As condições ambientais de temperatura e umidade influenciam, de forma significativa, no desempenho e vida útil dos motores. A umidade contribui para a aceleração do deterioramento de isolamento e a operação em temperaturas elevadas, no pior caso, leva à queima do motor.

Diante dos fatos expostos, é fundamental que se tenha um programa de manutenção preventiva nos motores e máquinas. A prática da manutenção não deve simplesmente se restringir à substituição e correção dos equipamentos avariados, mas sim, propiciar melhores condições ambientais e de operação.

Os procedimentos normais de manutenção preventiva incluem inspeções e testes de itens relacionados às partes mecânicas e elétricas. Basicamente são:

1) Verificação do estado de conservação e lubrificação dos rolamentos ou mancais;

2) Inspeção do acoplamento, transmissão e pontos de fixação;

3) Verificações das conexões dos cabos de alimentação e aterramento;

4) Medidas de resistências dos enrolamentos para identificar desequilíbrio entre fases e, se possível, da resistência de isolamento, entre outros.

Estes procedimentos devem ser intensificados e a periodicidade de inspeção abreviada para os motores instalados em locais úmidos ou de temperatura elevada, ao tempo ou em atmosfera agressiva. 

Não esqueça de fazer o aterramento!

Todos os motores devem ter suas carcaças aterradas, ligadas à terra por meio de um condutor denominado cabo terra. Esse condutor, por sua vez, deve estar ligado às hastes de terra e conectado ao neutro da rede elétrica. Adote sempre o condutor terra com a mesma bitola do condutor fase que alimenta o motor.

 Para sua segurança toda máquina elétrica deve ser aterrada (foto).

 

A haste de terra poderá ser de cobre, tipo “copperweld” (própria para aterramento) ou cantoneira galvanizada, com comprimento de 2,40 m. A ligação da haste de terra ao condutor terra deve ser feita através de solda, ou então, utilizando-se conector apropriado.

Deixar de fazer o aterramento ou fazê-lo incorretamente pode custar a vida do operador de equipamento.

Agora, os acoplamentos mecânicos

Geralmente, os fabricantes de máquinas agrícolas recomendam a potência do motor elétrico e como deve ser feito o acoplamento. Os mais comuns são do tipo correias com polias e flanges (ou luvas de junção). 

 Se as correias do acomplamento estiverem frouxas você vai desperdiçar energia elétrica (foto).

 

Para que o conjunto motor-máquina agrícola funcione adequadamente e com maior durabilidade, é necessário fazer o nivelamento, uma boa fixação e um alinhamento correto. Essas são as principais providências a serem tomadas para a obtenção de bons resultados.

Inspeções rotineiras são fundamentais

O motor elétrico com ruído anormal é uma indicação de rolamentos gastos, de sobrecarga, desalinhamento ou desgaste acentuado do eixo. Nessa situação, deve-se tomar as seguintes providências:

1) Rolamentos ou eixos gastos – providenciar a troca. Nesse caso, o responsável pela fazenda deverá procurar um profissional da sua confiança para corrigir o defeito;

 2) Sobrecarga – aliviar a carga de modo que não seja solicitado do motor a sua máxima potência;

 3) Desalinhamento – providenciar o alinhamento.

O cheiro característico de um isolamento (plástico ou borracha) queimado pode ser uma indicação de sobrecarga. Nesse caso, alivie imediatamente a carga mantendo o motor ligado por algum tempo e, depois, desligue o motor para verificação. Se o problema for de sobrecarga, o motor ligado se resfriará melhor.

Pode-se facilmente verificar se a temperatura do motor está demasiadamente elevada, cujas prováveis causas são: sobrecarga ou aletas de ventilação entupidas. Alguns motores podem suportar temperaturas mais elevadas, por exemplo: os motores de classe de isolamento B suportam até 90° acima da temperatura ambiente.

Pode-se facilmente verificar se o motor elétrico está com vibrações, cujas prováveis causas são: base de fixação da máquina agrícola ou problema de alinhamento. Se esse defeito for detectado, basta reapertar os parafusos e verificar as condições das cunhas. Caso necessário, troque-as, pois são peças de ajustes e podem estar mal adaptadas.

Cuide bem da lubrificação

Uma boa lubrificação aumenta a vida útil da máquina, além de evitar danos a ela própria e ao motor a ela acoplado. Deve-se seguir sempre as orientações dadas pelo fabricante e contidas no manual da máquina. O lubrificante deve ser guardado em recipiente limpo, vedado e nunca exposto ao sol.

Os principais cuidados para se fazer uma lubrificação correta são:

1) Lavar as peças com solvente (líquido indicado para diluir e remover as sujeiras das peças; por exemplo: querosene, tiner, gasolina, óleo diesel, etc);

2) Manter os materiais, recipientes, escovas, panos, etc,devidamente limpos;

3) Antes de colocar o novo lubrificante, certificar-se de que as peças estão secas e completamente limpas;

4) Colocar o novo lubrificante de forma a atingir todas as partes móveis de contato.

5) Nunca reaproveitar o solvente para outra limpeza.

6) Nunca misturar lubrificantes de características diferentes.

E para finalizar...

Quando o motor elétrico não é bem dimensionado e funciona desnecessariamente sem uma boa manutenção o resultado negativo aparece, em primeiro lugar, no seu medidor de energia elétrica que vai registrar um consumo de energia elétrica desnecessário e depois no seu bolso. Faça sua opção e tenha sempre em mente que a energia elétrica é um bem precioso, porém muito dispendioso.

* Eduardo Carvalhaes Nobre – Engº Eletricista e diretor de O Debate



A energia eólica e o impacto dinâmico na economia brasileira

Já são 1016 parques eólicos existentes com mais de 10.941 turbinas eólicas instaladas.

Autor: Divulgação

A energia eólica e o impacto dinâmico na economia brasileira

Minas atrai R$4 bilhões em investimentos em fontes alternativas

Hidrogênio verde, biodiesel de macaúba e biogás de resíduos são alguns dos projetos em curso que podem colocar o estado na liderança mundial em tecnologia de produção de energias limpas e renováveis.

Autor: Divulgação

Minas atrai R$4 bilhões em investimentos em fontes alternativas

Saiba se proteger de um perigo que vem do céu

De cada 50 mortes por raios no mundo, uma ocorre em solo brasileiro.

Autor: Divulgação

Saiba se proteger de um perigo que vem do céu

UFMG recebe inscrições para Especialização em Energias Renováveis – EAD

As aulas remotas acontecerão às terças, quartas e quintas; inscrições estão abertas até 3 de março.

Autor: Divulgação


Parceria vai fornecer energia renovável para salões de beleza

Iniciativa deve beneficiar cerca de 80 salões do interior de São Paulo; economia nas contas de luz ultrapassará R$ 600 mil.

Autor: Luiz Pacheco e Joana Fleury

Parceria vai fornecer energia renovável para salões de beleza

Hidrelétricas de pequeno porte permitem o crescimento da energia solar

Para poder crescer no Brasil e ser ambientalmente vantajosa, a energia solar precisa deixar de depender de usinas termelétricas fósseis para à noite compensar a falta de novas hidrelétricas.

Autor: Ivo Pugnaloni

Hidrelétricas de pequeno porte permitem o crescimento da energia solar

Armazenamento de energia é fundamental para transição energética

Sistemas de armazenamento são capazes de permitir o uso combinado de várias fontes de energia limpa, garantindo mais eficácia e segurança.

Autor: Carlos Eduardo Ribas

Armazenamento de energia é fundamental para transição energética

Como as empresas podem reduzir custos de energia e emissões de carbono

Grandes empresas gastam diretamente muito dinheiro em energia a cada ano – e milhões indiretamente, na cadeia de suprimentos, terceirização e logística.

Autor: Pedro Okuhara

Como as empresas podem reduzir custos de energia e emissões de carbono

São Paulo está instalando a maior usina solar flutuante do país

Na última quarta-feira (17), o governador Tarcísio de Freitas entregou a primeira etapa de implantação da Usina Fotovoltaica Flutuante de Araucária, na Represa Billings.

Autor: Divulgação

São Paulo está instalando a maior usina solar flutuante do país

Tecnologia ajuda a reduzir riscos por quedas de energia durante ondas de calor

Especialista explica como empresas podem se preparar para prevenir prejuízos causados pela oscilação de energia e temperatura.

Autor: Davi Lopes

Tecnologia ajuda a reduzir riscos por quedas de energia durante ondas de calor

Cemig dá dicas de economia de energia no período de férias escolares

Medidas simples podem evitar o aumento da fatura durante o mês de janeiro.

Autor: Divulgação

Cemig dá dicas de economia de energia no período de férias escolares

Governo pretende abrir mão de R$ 69 bilhões em investimentos e 540 mil novos empregos

Segundo avaliação da ABSOLAR, medida é fruto de pressão de fabricantes nacionais que querem políticas protecionistas.

Autor: Rodrigo Sauaia

Governo pretende abrir mão de R$ 69 bilhões em investimentos e 540 mil novos empregos