Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Amazônia-1: um satélite totalmente nacional

Amazônia-1: um satélite totalmente nacional

10/09/2020 Vivaldo José Breternitz

Sua missão principal será observar a Amazônia, mas poderá também coletar dados sobre a costa do país, cursos e reservatórios de água e desastres ambientais - principalmente inundações e queimadas.

Amazônia-1: um satélite totalmente nacional

Um satélite projetado e desenvolvido no Brasil pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), o Amazônia-1, já está em fase final de testes e deve ser lançado no início de 2021, marcando mais uma etapa de um processo que teve início há 12 anos.

O Amazônia-1 é um marco para o país. Nunca um satélite desse porte foi totalmente concebido e desenvolvido no Brasil - anteriormente, houve casos de aquisição de tecnologia ou parcerias. Seu desenvolvimento é mais um passo dado pelo país na busca da autonomia na área, gerando conhecimento para profissionais brasileiros, fomentando a indústria nacional e permitindo que os dados coletados pelo satélite permaneçam sob controle de brasileiros. 

O Amazonas-1 foi desenvolvido a partir dos parâmetros estabelecidos pela Plataforma Multimissão, uma estrutura para construção de satélites, permitindo que partes comuns sejam utilizadas por engenhos que tem outros objetivos, como por exemplo, a observação do espaço. Esse conceito ajuda a diminuir o custo e o tempo de produção de novos satélites.

O Amazonia-1 tem 2,5 metros de altura, pesa 640 quilos e tem entre outros componentes, 6 quilômetros de cabos e 16 mil conexões elétricas - é uma máquina complexa. Será levado ao espaço por um foguete lançador que partirá de uma base situada na Índia, para um voo que durará 18 minutos, após o que o satélite será liberado, a cerca de 750 quilômetros de altitude; a seguir, os técnicos do INPE assumirão o comando da missão a partir de São José dos Campos.

Seria muito significativo se o veículo lançador pudesse ter sido um foguete brasileiro partindo da base de Alcântara, no Maranhão, mas, infelizmente a tragédia que ali ocorreu em 2003, quando um incêndio e explosões destruíram o foguete brasileiro VLS-1 e sua plataforma de lançamento, matando 21 técnicos, trouxe um grande atraso ao programa espacial brasileiro, e, por isso o Amazonia-1 terá que partir de outro país, transportado por um foguete estrangeiro.

* Vivaldo José Breternitz é Doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo, é professor da Faculdade de Computação e Informática da Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Fonte: Universidade Presbiteriana Mackenzie



Sem carros voadores, moradias do futuro estão cada vez mais próximas aos Jetsons

Os avanços tecnológicos trouxeram novo conceito e redesenho do meio urbano.

Sem carros voadores, moradias do futuro estão cada vez mais próximas aos Jetsons

Webb lançado no Ariane 5 para desvendar os segredos do Universo

O Telescópio Espacial James Webb foi lançado num foguetão Ariane 5 do porto espacial europeu na Guiana Francesa, às 13:20 CET do dia 25 de dezembro, partindo para a sua emocionante missão de desvendar os segredos do Universo.

Webb lançado no Ariane 5 para desvendar os segredos do Universo

Primeiro satélite brasileiro produzido por startup será lançado pela SpaceX

Projeto foi desenvolvido pela PION Labs e entrará em órbita a partir de 10 de janeiro de 2022.

Primeiro satélite brasileiro produzido por startup será lançado pela SpaceX

Robô entende gírias, interjeições e os mais diversos sotaques brasileiros

Assistente virtual, com NLU própria, é considerado inovação pioneira e recebe aporte de fundo de investimento.

Robô entende gírias, interjeições e os mais diversos sotaques brasileiros

Exército de robôs? Ficção ou realidade?

O professor e escritor Tiago Augusto Figueiredo traz profundas reflexões e críticas sobre o ser humano, em um cenário futurista dominado por robôs.


Qual é o lugar da mulher na tecnologia?

Você sabia que as mulheres representam apenas 20% do total de profissionais na área de TI no Brasil?

Qual é o lugar da mulher na tecnologia?

Pesquisadores criam proteção que amortece impacto de batidas em postes

Equipamento diminui gravidade de acidentes e ocupantes dos veículos.

Pesquisadores criam proteção que amortece impacto de batidas em postes

Mapeamento digital deve representar um mercado de 50 bilhões de dólares até 2030

Presente de celulares a carros, os scanners 3D, com tecnologia LiDAR, se destacaram ao automatizar processos e viabilizar a transformação digital em diversos setores da economia.

Mapeamento digital deve representar um mercado de 50 bilhões de dólares até 2030

O reúso de água no setor automotivo

O reúso de água – prática atualmente indispensável nos setores industriais e até dentro do cenário urbano, tem cada vez mais ganhado força por meio dos benefícios técnicos, financeiros e socioambientais que ele proporciona.

O reúso de água no setor automotivo

Twitter expande acesso a dados para desenvolvedores de aplicativos

Medida visa promover conversas online mais seguras.

Twitter expande acesso a dados para desenvolvedores de aplicativos

Ramo de serviços em TI cresce três vezes mais que o setor de serviços

Levantamento apresenta panorama das receitas das empresas de serviços em tecnologia da informação no Brasil.

Ramo de serviços em TI cresce três vezes mais que o setor de serviços

Claro, Vivo e TIM arrematam faixa de 3,5 GHz do leilão do 5G

O 5G é uma nova tecnologia que amplia a velocidade da conexão móvel e reduz a latência.

Claro, Vivo e TIM arrematam faixa de 3,5 GHz do leilão do 5G