Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Natal, Ano Novo e vacina

Natal, Ano Novo e vacina

16/12/2020 Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves

A distribuição e aplicação de vacinas é uma das coisas que o SUS faz com mais competência e envolve seus três níveis.

Natal, Ano Novo e vacina

Faltando apenas alguns dias para Natal e Ano Novo, seguramente as datas mais comemoradas no mundo ocidental, a grande preocupação é encontrar o formato ideal para as festas nesses incômodos tempos de pandemia, Os governantes, que já nos trancaram em casa por meses, querem voltar a fazer o mesmo. A alta nos casos de infecção e morte já levou a decretos com novas restrições, um deles estabelecendo o discutível toque de recolher. Mas verifica-se que a população, especialmente os jovens, está relutante e parte para a desobediência civil, com festas e outros tipos de desafiadoras aglomerações. Comerciantes que esperavam a volta à normalidade vêem seus negócios retornando à faixa do prejuízo com o risco de se tornarem inviáveis.

É preciso compreender que, diferente do ocorrido na chegada da pandemia onde, erroneamente se colocou medo e terror na população diante do desconhecido, temos hoje o esperançoso quadro proporcionado pela vacina que, em semanas, estará disponível à nossa população. Diferente do que fizeram no começo, os governantes só devem agora cumprir com suas obrigações de oferecer meios para a compra e distribuição das doses. E não precisam inovar porque o país possui tradicionalmente a estrutura de vacinação do povo. A distribuição e aplicação de vacinas é uma das coisas que o SUS (Sistema Único de Saúde) faz com mais competência e envolve seus três níveis: federal, estadual e municipal. Basta injetar os recursos para o sist ema funcionar e não há a necessidade de providências e nem protagonismo do presidente da República, do governador, do prefeito e nem do Supremo Tribunal Federal. É melhor que cumpram suas obrigações e fique fora da execução, para não atrapalhar.

Quanto ao povo, basta, com esperança e alegria, esperar por mais algum tempo, até que a vacina – que será aplicada em duas doses com intervalo de 20 dias – comece a fazer efeito e diminua a proliferação do vírus. Quando isso acontecer, a vida terá voltado ao normal. E felizmente a Covid-19 será apenas mais uma epidemia na crônica da sociedade, ficando depositada na mesma prateleira da Gripe Espanhola, Gripe Asiática e outras que nos acometeram ao longo do último século. Suas vítimas serão sempre lembradas e registradas juntamente com as das demais epidemias e pandemias.

Temos, no entanto, de admitir que nesse Natal e Ano Novo ainda viveremos o quadro atual, que é de risco. Os governantes devem se conter e evitar imposições que poderão levar o povo à desobediência civil. E o povo precisa ter um pouco de paciência e evitar procedimentos que nessa reta final facilitem a transmissão do vírus. Usar máscara, álcool gel, lavar as mãos, evitar aglomerações e reuniões em locais fechados. Para as festas familiares, fazer apenas pequenas reuniões onde, observadas as normas de segurança, só se traga as pessoas que no dia-a-dia já circulam pela casa. Os demais, que vemos apenas uma vez ao ano, que esperem por mais um ano, quando tudo deverá ter votado ao normal.

O fim da pandemia é questão de tempo. Temos de nos cuidar nesse pequeno intervalo. Natal e Ano Novo comedidos, da mesma forma que o Carnaval sem desfiles e bailes. Mas logo teremos de volta a nossa vida normal. Tudo graças à Ciência que, em tempo record, desenvolveu as vacinas e com elas suplanta a volúpia dos interesses políticos e dos arautos do caos que, com seus procedimentos, fazem o povo sofrer. A vacina é a luz que já vemos no fundo do túnel que, pacientemente, vamos alcançar... Aleluia...

* Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) 

Fonte: ASPOMIL



A carta pela democracia

Causa estranheza a vedação crítica das urnas forçosa pelos Tribunais Superiores.


Rock in Rio estima receita acima de US$ 158 milhões

Evento deve gerar pagamento de US$ 7,9 milhões em impostos à cidade

Rock in Rio estima receita acima de US$ 158 milhões

Inovação: seguro sob demanda já é realidade entre os brasileiros, entenda!

O modelo de negociação pode variar a depender da necessidade do contratante do benefício.

Inovação: seguro sob demanda já é realidade entre os brasileiros, entenda!

Barateamento de combustível gera economia direta de R$ 5 bi a famílias brasileiras

Combustíveis representam cerca de 7% do gasto médio agregado mensal de todos os brasileiros.

Barateamento de combustível gera economia direta de R$ 5 bi a famílias brasileiras

Chelsea está interessado em Endrick

Segundo o jornalista Jorge Nicola, o Chelsea já teria falado em São Paulo com parentes, parceiros e agente de Endrick, o jovem de 16 anos que joga no Palmeiras.

Chelsea está interessado em Endrick

Brasil registra deflação de 0,68% em julho, menor taxa da série histórica

Queda na inflação oficial foi puxada pela redução nos combustíveis.

Brasil registra deflação de 0,68% em julho, menor taxa da série histórica

LBV leva alimento e esperança para famílias vulneráveis

Um levantamento divulgado por diversos veículos de comunicação apresentou dado alarmante: o número de brasileiros sem ter o que comer quase dobrou em 2 anos de pandemia.

LBV leva alimento e esperança para famílias vulneráveis

Inflação muda comportamento dos brasileiros, mostra pesquisa

Uma em cada quatro pessoas não paga todas as contas no mês.

Inflação muda comportamento dos brasileiros, mostra pesquisa

Eleições 2022 mantêm maioria do eleitorado feminina, com 53%

Mesmo com voto facultativo, há 87,4 mil eleitoras com mais de 100 anos no país.

Eleições 2022 mantêm maioria do eleitorado feminina, com 53%

Maior Pietá do mundo é inaugurada na Catedral Cristo Rei, em Belo Horizonte

A escultura fica nas imediações da igreja que é o último projeto de Niemeyer para a capital.

Maior Pietá do mundo é inaugurada na Catedral Cristo Rei, em Belo Horizonte

Poupança tem recorde de resgates para julho

Caderneta registrou saída líquida de R$ 12,7 bilhões no mês, revertendo o saldo de R$ 6,4 bilhões de julho de 2021

Poupança tem recorde de resgates para julho

Brasil fechou quase 800 bibliotecas públicas em cinco anos

O número de municípios com bibliotecas públicas também caiu.

Brasil fechou quase 800 bibliotecas públicas em cinco anos