Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Cresce o número de requerimentos de benefícios por incapacidade pela Covid-19

Cresce o número de requerimentos de benefícios por incapacidade pela Covid-19

08/12/2020 Carla Benedetti

Conforme dados do Tribunal de Contas da União os pedidos representam um crescimento de 123%.

Muito tem se falado a respeito da segunda onda da covid-19. À espera de uma vacinação que venha a solucionar este incômodo e drástico problema, não só do ponto de vista médico, mas também social e econômico, a doença traz impactos em várias esferas da sociedade, e, nesse contexto, não poderia ficar de fora os pedidos ao INSS para a concessão de benefícios por incapacidade.

Conforme dados do TCU – Tribunal de Contas da União – mais de 545,9 mil pessoas requereram benefícios por incapacidade, o que representa um crescimento de 123%.

Tal situação é resultado da pandemia, tanto por conta da incapacidade relativa ao contágio da covid-19, quanto pelo fato de que as agências do INSS ficaram por muito tempo paradas, havendo, inclusive, uma recusa por parte dos peritos médicos relativo aos atendimentos presenciais.

Embora o segurado possa requerer o benefício de forma online, muitos não possuem condições técnicas para fazer seus pedidos, e, por isso, fazem reiteradas solicitações para que estas sejam atendidas.

Ademais, é necessário frisar que as análises são realizadas sem muita densidade, o que corrobora para um crescimento nas negativas de benefícios.

Se antes muitas injustiças ocorriam, com segurados totalmente incapazes tendo seus benefícios negados, agora, com um diagnóstico menos minucioso, a situação se agrava.

Não é lenda as frequentes vezes em que segurados, que tiveram seus requerimentos por incapacidade indeferidos no INSS, viessem a falecer no curso da ação judicial por conta da enfermidade apresentada e que foi entendida pela perícia como não suscetível ao reconhecimento da incapacidade, e com a falta do atendimento presencial, esses pedidos têm tido negativas mais frequentes.

Ainda que haja argumentos no sentido de que a falta de atendimento presencial tem garantido mais celeridade na análise dos requerimentos administrativos, não se pode dizer que o resultado é alentador, pois o que se observa é uma negativa sistemática e ainda mais intensa no que se relaciona aos benefícios por incapacidade.

Nas fundamentações de indeferimento desses referidos pedidos, impõe-se um rigor minucioso na análise técnica desses documentos, que muitas vezes não se mostra possível para a maioria dos brasileiros e compatível com a realidade desses cidadãos, que dependem, precariamente, dos serviços públicos de saúde.

O resultado, também cenário da pandemia, é um maior número de pessoas doentes e com dificuldades em se manter, tanto do ponto de vista econômico como de saúde, e de ter seus direitos garantidos.

Cresce-se o número de requerimentos desses benefícios, e, na mesma medida, crescem-se as injustiças.

* Carla Benedetti é advogada, mestre em Direito Previdenciário pela PUC-SP.

Fonte: FGR Assessoria de Comunicação



Legalidade ou ilegalidade: o falso impasse das empresas offshores

Apesar de pouco utilizadas pela maior parte dos indivíduos, as empresas offshores são bastante conhecidas, face à intensa profusão de material acerca delas, seja com conteúdo fictício ou não.


As controvérsias do acesso aos dados de vacinação dos trabalhadores

Ainda existem muitas controvérsias sobre a exigência de vacinação de trabalhadores aqui no Brasil.


Efeitos do plano de demissão voluntária na quitação geral do contrato de trabalho

As relações individuais e coletivas produzem efeitos diferentes nas relações de trabalho e, ao que parece, ainda vão ocupar as discussões jurídicas nas questões envolvendo os direitos atingidos no âmbito de cada uma e a adequação instrumental que permita sua compreensão e redução da litigiosidade.


Está proibida a venda de remédios para emagrecer

O Supremo Tribunal Federal derrubou a lei que autorizava a produção, a venda e o consumo de 4 medicamentos para emagrecer: a sibutramina, a anfepramona, o femproporex e o mazindol.


Por que fazer um planejamento previdenciário

O primeiro argumento para convencer você a fazer um planejamento previdenciário é o tempo.


As vantagens (e os perigos) das contratações temporárias

A chegada do fim do ano, com as festas de Natal e do Réveillon, abre a temporada de contratações temporárias no varejo.


Direitos autorais na pichação e no grafite

Você sabe qual é a diferença entre pichação e grafismo? As pichações são as escritas nas fachadas e nos muros, e muito presente nos anos 80 quando ainda não tinha uma lei específica para a prática.


A restituição do dinheiro aos investidores no caso GAS Consultoria

Recentemente, uma ação conjunta entre Ministério Público Federal (MPF) e Polícia Federal denominada Operação KRYPTOS, com ampla cobertura midiática, encerrou as operações da GAS Consultoria, sob acusação dos responsáveis pela empresa supostamente cometerem crimes contra o sistema financeiro nacional.


Stalking: o que você precisa saber

Nas últimas semanas, liderou o Top 10 da Netflix o seriado Você (You), cujo roteiro romantiza a vida de um personagem charmoso e carismático que pratica o denominado “stalking” em pessoas de seu círculo social.


O dilema do reconhecimento da paternidade

O pedido de reconhecimento de paternidade muitas vezes é constrangedor para a mulher e assustador para o homem.


Doença mental adquirida no exercício profissional pode ser considerada acidente de trabalho

Alguns tipos de transtornos mentais podem estar relacionados ao ambiente de trabalho.


Os paradigmas legais da greve dos jogadores do Cruzeiro

Os jogadores do elenco profissional do Cruzeiro anunciaram no dia 13 de outubro que estão em greve por conta do atraso no pagamento dos salários.