Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Alfabetizar na educação infantil, que história é essa?

Alfabetizar na educação infantil, que história é essa?

25/01/2021 Viviane Schueda Stacheski

A sistematização para a alfabetização deve iniciar no primeiro ano do ensino fundamental.

Alfabetizar na educação infantil, que história é essa?

Alfabetização na Educação Infantil é um tema que sempre gerou muita controvérsia, há os que defendam que sim, mas do outro lado os que acreditam que não se deve alfabetizar crianças tão pequenas.

Primeiramente, é importante recordar que a Educação Infantil corresponde à primeira etapa da Educação Básica destinada a crianças de zero aos cinco anos, fase marcada por seus muitos desenvolvimentos e descobertas. Nesse momento, os pequenos aprendem a andar, falar, correr, saltar, arremessar, cantar, contar história, etc. Seus processos mentais e psicológicos se ampliam e se estabelecem com muita notoriedade, além de todos os aspectos sociais fortemente trabalhados.

O pensar sobre alfabetizar ou não na Educação Infantil deve partir da ideia do que significa essa ação e se ela está ou não ligada a outros aprendizados imprescindíveis para o desenvolvimento da criança. Para tanto, imagine algumas das propostas pedagógicas comumente realizadas no dia a dia dessa fase de ensino, como: a roda de conversas, o momento de ouvir histórias, as muitas cantigas que acompanham e auxiliam na organização da rotina, os nomes das crianças marcando o lugar de seus pertences, o manuseio de livros no “Cantinho da Leitura”, entre outras. Todas as citadas e muitas mais tratam do elemento central da alfabetização, que é a língua, porém não abordam diretamente o ato de alfabetizar, mas provêm subsídios para que a criança, no momento certo, possa usá-los.

Isso gera outra indagação sobre qual é o momento certo para ocorrer a alfabetização. A sistematização para a alfabetização deve iniciar no primeiro ano do ensino fundamental, aos seis anos da criança, mas isso não significa que todas começarão a ler nessa idade, têm àquelas que antes já iniciam a ler e outras que só lerão com sete ou oito anos. Isso tudo porque a alfabetização além de necessitar de estímulo, necessita de maturidade cerebral para tal.

O período que ocorre aproximadamente entre os dois aos sete anos é defendido por Jean Piaget como pré-operacional, é nele que se desenvolve a imaginação, a memória e a representação simbólica. A língua nos seus dois tipos de manifestação (falada ou escrita) é toda formulada por representação simbólica, já que, por exemplo, ao se falar ou escrever a palavra MAÇÃ o que se faz é representar a fruta simbolicamente. A abstração da escrita não acaba aí, ao ver cada símbolo (códigos ou letras) a criança precisa reconhecê-lo como tal e saber qual é o som que ele representa.

Isto posto, todas as formas de trabalho com a língua escrita ou falada na Educação Infantil são muito bem-vindas para o estímulo à criança à alfabetização. Porém, é fundamental que todo educador tenha clareza que não é nessa fase que o pequeno será alfabetizado, mas sim, é imprescindível o reconhecimento da ampla contribuição que todas essas propostas de envolvimento com a língua trarão ao letramento dele.

* Viviane Schueda Stacheski é mestre em Ciências Humanas e professora do curso de Pedagogia do Centro Universitário Internacional Uninter.

Fonte: Pg1 Comunicação



Todo dia é Dia da Educação

“A educação do homem começa no momento do seu nascimento; antes de falar, antes de entender, já se instrui.” Rousseau. “O homem não é nada além daquilo que a educação faz dele.” Immanuel Kant.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra

Todo dia é Dia da Educação

A integração entre crianças no espaço escolar

A escola, mais do que um simples espaço de ensino, desempenha um papel essencial na formação social das crianças.

Autor: Michelle Norberto

A integração entre crianças no espaço escolar

Como dizer “oi em inglês” tem quase 50 mil buscas mensais no Brasil, segundo pesquisa

De acordo com levantamento da plataforma de idiomas Preply, expressões básicas como “oi”, “bom dia” e “boa noite” são as mais buscadas pelos brasileiros na tradução para o inglês.

Autor: Divulgação

Como dizer “oi em inglês” tem quase 50 mil buscas mensais no Brasil, segundo pesquisa

Educação especial e inclusiva: para onde avançar?

É preciso destacar que o Brasil avançou de forma muito significativa nas últimas décadas no que concerne a políticas de acesso.

Autor: Lucelmo Lacerda e Flávia Marçal

Educação especial e inclusiva: para onde avançar?

Acolhimento: um ato revolucionário de amor e empatia

Feche os olhos por um minuto e tente lembrar de um momento em que foi acolhida na infância ou adolescência.

Autor: Vanessa Nascimento

Acolhimento: um ato revolucionário de amor e empatia

A importância de diversificar as práticas esportivas nas escolas

Os impactos positivos das diversas práticas esportivas são inegáveis, especialmente quando se considera o contexto das instituições educacionais.

Autor: Kelly Soares Rosa

A importância de diversificar as práticas esportivas nas escolas

Afinal, vale a pena insistir no ensino da letra cursiva nas escolas?

Um assunto relevante para a educação está dividindo opiniões: o uso da letra cursiva nas escolas.

Autor: Liliani A. da Rosa

Afinal, vale a pena insistir no ensino da letra cursiva nas escolas?

Estudantes cativados, estudantes motivados

Contar com a participação da família nesse processo é fundamental para que a criança seja estimulada e reconhecida.

Autor: Cleonara Schultz Diemeier

Estudantes cativados, estudantes motivados

Quem faz pós graduação EaD pode estagiar?

A escolha pelo modelo híbrido de educação ganha força e esses alunos também podem pleitear as vagas.

Autor: Carlos Henrique Mencaci

Quem faz pós graduação EaD pode estagiar?

Livro ensina às crianças as verdadeiras cores da amizade

Obra infantil combina narrativa poderosa com ilustrações que ganham vida ao longo das páginas para incentivar a tolerância desde cedo.

Autor: Divulgação


A maldição da aula divertida

Nem tudo o que precisamos aprender para compreender o mundo é divertido ou pode ser aprendido em meio a jogos lúdicos ou brincadeiras dinâmicas.

Autor: Daniel Medeiros

A maldição da aula divertida

Era uma vez em uma escola na Suécia

O governo sueco resolveu dar uma guinada nas suas orientações escolares e agora estimula fortemente o uso de livros em vez de laptops.

Autor: Daniel Medeiros

Era uma vez em uma escola na Suécia