Portal O Debate
Grupo WhatsApp

EAD: sim ou não?

EAD: sim ou não?

22/04/2019 Carlos Longo

A Educação a Distância cresce a passos largos no Brasil.

EAD: sim ou não?

Em 2004, havia 60 mil estudantes matriculados nessa modalidade de ensino. Em 2016, a modalidade disparou, atingindo um total de 1,5 milhão de matriculados. Mesmo com a crise política e econômica dos últimos anos, dados da Abed mostram que a modalidade a distância foi a única que apresentou crescimento de matrículas no Brasil e, hoje, são  1,8 milhão de alunos. O número de polos cresceu ainda mais: do final de 2017 para cá, passou de 6 mil para mais de 15 mil em todo o Brasil.

A expansão não só possibilita uma modernização e flexibilização do ensino, como levar a educação a um maior número de pessoas em diversas regiões do país. Esse crescimento no número de alunos de EAD no Ensino Superior tem forte poder de transformação social, pois envolve pessoas que dificilmente poderiam cursar o Ensino Superior presencial. Além disso, por alcançar com mais facilidade diferentes regiões do país, oferece a oportunidade de qualificação para uma população que vive em cidades menores, o que por si só é muito importante, pois favorece um desenvolvimento mais homogêneo do país.

Porém, analisar apenas o crescimento dos números do EAD não é suficiente. Inúmeros estudos mostram que a Educação Superior a distância, apesar de ter grande potencial de oferta, só é benéfica se tiver qualidade. A maioria dos países do mundo tem procedimentos de acreditação acoplados a indicadores de qualidade, de maneira geral controlados pelos ministérios da Educação ou agências ligadas ao poder público, tais como o Chea dos Estados Unidos, o Acode da Austrália, o esforço do Instituto Latinoamericano y del Caribe de Calidad en Educación Superior a Distancia (Caled), e a European Association of Distance Teaching Universities (EATU). Porém, enquanto as inovações educacionais viajam a jato, os procedimentos regulatórios do EAD andam à pé.

Direito, enfermagem, odontologia e psicologia a distância, inclusive em instituições credenciadas, dependem da manifestação do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (CFOAB) ou do Conselho Nacional de Saúde (CNS) e eles são contrários. Ora, não é possível ser habilitado a exercer profissões tão complexas sem a prática e a troca de experiências em sala de aula.

Para isso existe o ensino híbrido,  que reúne o melhor dos dois mundos: a praticidade, capilaridade e economia de tempo e dinheiro do EAD, com a interatividade, convivência e experiência do presencial. Assim, ações de aprendizagem mais básicas, realizadas por meio transmissão de conhecimento pelo professor, como lembrar e entender, podem ser realizadas individualmente pelos alunos, por meio dos conteúdos didáticos disponibilizados no Ambiente Virtual de Aprendizagem. Já as ações de aprendizagem tidas como intermediárias, como aplicar e analisar, podem ocorrer em situações práticas, com atividades ativas, análise de cenários e situações, fóruns de discussões e interação - que podem ser presencial ou virtual.

Por outro lado, ações de aprendizagem mais complexas e elaboradas, como avaliar e criar, devem ser desenvolvidas em aulas presenciais, em que professores propõem atividades que demandam níveis mais elevados de ações cognitivas. Essas aulas são fundamentais para que os alunos desenvolvam a capacidade de analisar, criticar, planejar e produzir.

Em suma, a Educação Híbrida - ou semipresencial, como chamamos no Brasil - precisa não apenas de tecnologia, mas de recursos pedagógicos eficazes e projetos de aula bem estruturados para que o estudante aproveite 100% do aprendizado. No Brasil, o Híbrido já é realidade - e o crescimento não deve parar nos próximos anos. Por isso, a fiscalização da qualidade desses cursos deve ser feita não apenas pelos órgãos de classe, mas por todos nós, se quisermos evoluir.

* Carlos Longo é diretor da Associação Brasileira de Ensino a Distância e pró-reitor acadêmico da Universidade Positivo.

Fonte: Central Press



A educação é o caminho da liberdade

O atendimento socioeducativo ao adolescente em conflito com a lei é um desafio e necessita de um olhar resiliente e reflexivo, visto que é considerado um momento oportuno de mudanças.


Não são apenas números

Vinte e duas redações receberam nota mil, 95.788, nota zero, e a média geral de 634,16.


Enem divulga datas das provas para os estudantes em 2022

As inscrições começam no dia 10 de maio e se encerram no dia 21.

Enem divulga datas das provas para os estudantes em 2022

Projeto incentiva o plantio de 1 bilhão de árvores em Minas Gerais

Conspiração Mineira pelo Plantio de Árvores é apresentada pela ACMinas.

Projeto incentiva o plantio de 1 bilhão de árvores em Minas Gerais

Olimpíada Mirim de Matemática abrange alunos do 2º ao 5º do fundamental

Essa é a primeira competição nacional a incluir estudantes tão novos.

Olimpíada Mirim de Matemática abrange alunos do 2º ao 5º do fundamental

Enem 2021: 22 estudantes tiraram nota máxima na redação

Correções detalhadas podem ser conferidas na internet.

Enem 2021: 22 estudantes tiraram nota máxima na redação

Webinar gratuito apresenta oportunidades de estudo e trabalho na Irlanda

Evento será transmitido pela SEDA College, no dia 12 de abril.

Webinar gratuito apresenta oportunidades de estudo e trabalho na Irlanda

MEC lança projeto para aproveitamento de estudos de cursos técnicos

Primeira turma do curso de aperfeiçoamento tecnológico será em julho.

MEC lança projeto para aproveitamento de estudos de cursos técnicos

Inscrições para cursos técnicos gratuitos pelo Trilhas de Futuro vão de 7 a 25 de abril

Além da formação profissional gratuita, o Governo de Minas fornece ajuda de custo para transporte e alimentação dos alunos do programa, que chega a sua segunda edição.

Inscrições para cursos técnicos gratuitos pelo Trilhas de Futuro vão de 7 a 25 de abril

Governo de Minas oferece curso gratuito de programação e tecnologia

TecPop Minas, programa da Sede-MG que amplia as políticas de inclusão digital e capacitação profissional, se une a startup para formação de desenvolvedores.


CBCA abre inscrições de concursos para estudantes de engenharia e arquitetura

Vencedores de ambas as áreas dividirão prêmio de R$ 10 mil entre equipe participante e professor orientador.


A pandemia revelou o futuro da educação

No princípio da pandemia, era o caos.

A pandemia revelou o futuro da educação