Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O novo salário das mulheres brasileiras

O novo salário das mulheres brasileiras

02/08/2023 Maria Inês Vasconcelos

O fervor em torno da lei de isonomia salarial e a falta de conhecimento tem tornado as mulheres e os homens confusos.

O frisson é tão grande como ir ao filme da Barbie. A lei é belíssima e só revela a força do pós-positivismo que une o direito à moral. É uma lei humanística; rosa.

A Lei 14.611/23 visa a garantia de salários iguais e de critérios remuneratórios entre homens e mulheres no exercício da mesma função, ou que realizam trabalho de igual valor.

O texto altera a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) determinando que a vítima da discriminação salarial, além de ter direito de receber a diferença de salário, poderá também entrar com ação indenizatória por danos e multa de maior valor para o empregador que viole o disposto na lei, podendo chegar até 10 vezes o valor do novo salário — valor elevado ao dobro caso haja reincidência. Para garantir a igualdade salarial, a lei impõe mecanismos de transparência salarial e critérios remuneratórios.

Para onde olharmos no âmbito do trabalho veremos a predominância dos homens nas funções de liderança empresarial e mulheres ganhando menos que homens. Esse é o fato social. A facada.

Mas essa questão não será resolvida pela lei. O mimetismo da lei, que mais parece como um protocolo de intenções, não ofusca seu real valor. Essa é a relevância. A lei quer provocar modificações na cultura organizacional empresarial.

A regulação da sonhada igualdade salarial entre homens e mulheres é complicadíssima e reside justamente no conceito de igual valor e função idêntica, que são subjetivos e necessitam de prova.

Se quem for avaliar o critério de igual valor for alguém que queira respaldar a diferença, percebe-se que a lei é inócua, um ensaio, mas bem-intencionado.

Além das dúvidas gerais sobre a aplicabilidade da lei, que colide com a LGPD e muitos dispositivos constitucionais ao exigir informações e a política de vigilância referente ao tratamento da mulher no trabalho, a regulamentação só ganha intensidade nas empresas com mais de 100 empregados. Fora isso, empresas são isentas de informar.

Por esse motivo, é preciso deixar claro que lei nenhuma vai fazer com que seus salários sejam majorados de uma hora para outra e tampouco patrões estão obrigados a equiparar os salários de uma mulher com o colega do lado. Não há nada automático, não há consolidações, muito embora a lei tenha alterado dispositivos da CLT.

Brasileiros adoram leis. E essa lei surgiu da cambialidade desse lugar, extremamente dual, onde duas esferas se chocam nitidamente - a proibição constitucional à discriminação de salário por motivo de gênero e a prática.

A via judicial será então o lócus de solução dessa conflitiva antropológica e social, pois pode impor multas e condenar em danos morais.

Parece que a lei, dessa vez, não ignorou a carga valorativa que informa o fato jurídico. As mulheres ganham, em média, 78% do salário dos homens.

Em cargos de gerência e direção a disparidade é ainda maior: o salário delas equivale a cerca de 60% do salário dos homens, mesmo ocupando postos de trabalhos semelhantes. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad) realizada pelo IBGE.

A ideia de completude do sistema positivo codificado é mesmo um sonho. O Direito é incompleto e nunca pode regular tudo. Mas pode criar novas culturas e fomentar valores, sobretudo numa democracia.

O debate democrático é infinito. As agendas feministas também. No ano passado, cerca de 36 mil processos foram ajuizados na Justiça do Trabalho cujo tema era a equiparação salarial ou a isonomia.

A nova lei é, sem dúvidas, uma contraofensiva à misoginia e uma demarcação política à desigualdade salarial. O governo pensou na mulher. Bobbio afirmava que a apatia política dos cidadãos compromete o futuro da democracia.

A recomposição e os alinhamentos feitos com as mulheres mostram que há consistentes investimentos na esfera da sua participação cívica.

Ainda que por certas franjas, como através do cuidado com a questão do pagamento pelo trabalho, pelo aumento das mulheres no espaço de poder, pela incorporação da perspectiva de gênero nesses espaços e pelo esforço colossal do Executivo, Legislativo e Judiciário de reduzir a vulnerabilidade da mulher.

Vemos uma democracia rosa. Barbie está nos cinemas e os parâmetros morais de justiça, esses sim, estão na lei. É um esforço dentro do pacto democrático, hoje - pink.

* Maria Inês Vasconcelos é advogada Constitucionalista, pesquisadora e palestrante.

Para mais informações sobre isonomia salarial clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Naves Coelho Comunicação



A vida vivida (de verdade) é fora do story

Pedagoga reúne vivências em sala de aula para compor romance juvenil sobre uso excessivo de redes sociais, valorização da aparência e equilíbrio entre saúde física e mental.

Autor: Divulgação


Como doar leite materno?

Médico explica a importância do aleitamento materno e o passo a passo para fazer a coleta e armazenamento corretos.

Autor: Divulgação

Como doar leite materno?

Toda mãe merece (e precisa) conciliar maternidade com bem-estar

A dedicação aos filhos é importante, mas ela precisa ser acompanhada de hábitos que auxiliem uma mãe a permanecer emocionalmente saudável.

Autor: Celso di Lascio

Toda mãe merece (e precisa) conciliar maternidade com bem-estar

Livro aborda os desafios para as mulheres na área de tecnologia

A promoção da diversidade e da inclusão ainda é um grande desafio na área de tecnologia.

Autor: Divulgação

Livro aborda os desafios para as mulheres na área de tecnologia

MRV promove qualificação para mulheres atuarem na construção civil

A iniciativa faz parte do projeto ‘Elas Transformam a Construção’ e conta com o apoio do Alicerce Educação e do Instituto da Quebrada.

Autor: Divulgação


O dom da maternidade

Maternidade é uma palavra doce que exala o perfume do amor, mas que também traz impregnado nessa doce missão outros atributos como entrega, doação e santidade.

Autor: Rogéria Moreira

O dom da maternidade

Fabet abre inscrições para curso de formação de motoristas mulheres no transporte de cargas

A Fabet São Paulo está com inscrições abertas para a próxima turma de Formação de Mulheres para o Transporte de Cargas.

Autor: Marcos Villela Hochreiter

Fabet abre inscrições para curso de formação de motoristas mulheres no transporte de cargas

Só podia ser mulher…

Levanta a mão a mulher que nunca ouviu essa frase. Bem, não aconselho esperar muito para ver essa tal mão surgir estendida, muito menos se você estiver de pé.

Autor: Jéssica Chagas Lydes

Só podia ser mulher…

Seja mais otimista

Você sabia que ser otimista pode influenciar positivamente no seu desempenho? Algumas pesquisas já comprovaram isso.

Autor: Juliana Brito

Seja mais otimista

Silicone atrapalha a amamentação?

Médico tira dúvidas que podem surgir ao realizar uma mamoplastia de aumento.

Autor: Divulgação

Silicone atrapalha a amamentação?

A Justiça Restaurativa em defesa das mulheres

O Brasil ainda está muito longe de ser um exemplo de sociedade que respeita e protege suas mulheres.

Autor: Jéssica Gonçalves

A Justiça Restaurativa em defesa das mulheres

A luta feminina também é contra o câncer de colo de útero

As mulheres devem ter em mente é que a prevenção precisa ser tratada com prioridade.

Autor: Celso di Lascio

A luta feminina também é contra o câncer de colo de útero