Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Coronavírus x obesidade: 7 a cada 10 brasileiros estão acima do peso

Coronavírus x obesidade: 7 a cada 10 brasileiros estão acima do peso

22/06/2020 Divulgação

Nutrólogo do HCor destaca que pacientes obesos costumam também ser diabéticos ou hipertensos

Coronavírus x obesidade: 7 a cada 10 brasileiros estão acima do peso

Considerada como fator de risco para o desenvolvimento de uma série de doenças, quando se fala da pandemia de Covid-19, a obesidade também aparece na lista dos grupos de risco para os pacientes infectados pelo vírus.

De acordo com o nutrólogo do HCor, Daniel Magnoni, dados da população brasileira apontam que 77% das pessoas estão acima do peso – sendo 20% obesas e 57% com excesso de peso, índices que chamam atenção dos gestores de saúde na linha de frente do combate ao coronavírus no País.

Recentemente, segundo a Secretaria Municipal de Saúde, um estudo que avaliou 14 mil infectados pela Covid-19 na capital mostrou que um a cada três pacientes com obesidade e coronavírus vieram a óbito.

“Nessa relação, a obesidade sugere que nos deparemos com pacientes que também têm outras complicações, como diabetes, hipertensão, alterações renais e insuficiência cardíaca. Em geral, são os obesos com problemas concomitantes que apresentam uma evolução negativa da doença”, destaca o nutrólogo.

Por outro lado, obesos que tenham metabolismo estável e estejam em dia com o controle da glicemia e os níveis de pressão arterial podem apresentar boa evolução clínica, muito diferente daqueles que se apresentem instáveis e sem controles adequados.

Magnoni alerta, entretanto, que - para além dessa soma de fatores - sozinha, a obesidade pode apresentar, sim, um risco mais elevado ao paciente. Isso porque os obesos tendem a desenvolver um quadro de inflamação crônica (processo relacionado à baixa imunidade), além de terem dificuldades no bom funcionamento do sistema respiratório, diretamente atingido pelo coronavírus.

De acordo com o nutrólogo, é fundamental ter muito cuidado com dietas exageradas para emagrecimento, já que, além de poucos resultados na perda de peso, elas podem levar a graves deficiências nutricionais, piorando a resposta metabólica e imunitária à infecção pela Covid-19.

“Assim como em qualquer época, durante a pandemia e a quarentena, devemos seguir dietas equilibradas, sem restrições, mas também sem excessos. Muito além da balança, precisamos lembrar que a boa alimentação e a prática de atividade física são hábitos essenciais na manutenção da nossa saúde”, pontua.

Fonte: HCor



Vacina para a Covid-19, o que precisamos saber

Qualquer notícia sobre a produção das vacinas contra a Covid-19 sempre deixa a população mundial esperançosa.

Vacina para a Covid-19, o que precisamos saber

Ministério da Saúde lança campanha de amamentação

Amamentação reduz mortalidade infantil e risco de câncer de mama.

Ministério da Saúde lança campanha de amamentação

Seminário internacional sobre autismo aborda ética no tratamento

No dia 22 de agosto, acontece o XVIII Seminário Internacional do Instituto LAHMIEI - Autismo da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).


Como saber se tenho bruxismo?

Dor na mandíbula e cabeça ao acordar são sintomas comuns.

Como saber se tenho bruxismo?

As novas maneiras de olhar e cuidar da saúde física e mental

Muito tem se falado sobre o impacto da pandemia e do distanciamento social na vida das pessoas.


Consultas odontológicas diminuem 80% durante a pandemia

Pesquisa feita pela UFPel diz respeito às consultas odontológicas na rede pública.

Consultas odontológicas diminuem 80% durante a pandemia

Aspectos emocionais do câncer

O câncer coloca a pessoa em situação limite, pois carrega o estigma da morte e do sofrimento.


Vacinas: destrinchando as fases da produção

A história do processo de produção das vacinas remonta aos trabalhos realizados pelo naturalista e médico inglês Edward Jenner, no final do século XVIII.

Vacinas: destrinchando as fases da produção

Lançado e-book com rotina de médicos em UTIs na pandemia

Prosas, versos e muita emoção mostram a nova realidade dos profissionais.


Síndrome de Burnout deve atingir diversos profissionais pós-pandemia

Cansaço, fadiga e estresse no trabalho podem ser mais sérios do que se imagina

Síndrome de Burnout deve atingir diversos profissionais pós-pandemia

Qual é o plano futuro para o setor de saúde depois da pandemia?

O setor de saúde deverá se reinventar, assim como vários setores da economia.

Qual é o plano futuro para o setor de saúde depois da pandemia?

Baixa adesão faz Ministério da Saúde ampliar campanha contra sarampo

Pessoas de 20 a 49 anos poderão se vacinar até o dia 31 de agosto, em todo o país.

Baixa adesão faz Ministério da Saúde ampliar campanha contra sarampo