Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Fósforo: um nutriente essencial

Fósforo: um nutriente essencial

27/06/2019 Valter Casarin

O fósforo é o segundo mineral mais abundante no corpo humano.

O fósforo é um elemento de origem mineral que foi descoberto no ano de 1669 pelo alquimista Henning Brand, durante seus experimentos na busca pela pedra filosofal.

Amplamente distribuído na natureza, o fósforo é o segundo mineral mais abundante no corpo humano, com conteúdo total de cerca de 600 a 900g, o que equivale de 0,8 a 1,1% do peso corporal de um indivíduo adulto.

Sua maior parte está concentrada nos ossos e dentes juntamente com o cálcio, e o restante distribui-se nos músculos e fluidos corporais.

Sendo um dos integrantes principais da membrana das células, o fósforo faz parte da formação dos chamados fosfolipídeos, que são responsáveis pela permeabilidade seletiva da membrana plasmática e essenciais para manutenção do equilíbrio celular.

O elemento também atua no processo de fosforilação e ativação de enzimas, além de ser necessário para a produção de ATP (adenosina trifosfato) – composto encarregado de armazenar e fornecer energia para as atividades fisiológicas e metabólicas no organismo.

Ainda falando de suas numerosas funções, o fósforo atua no metabolismo de carboidratos, síntese proteica, processo de coagulação e oxigenação, equilíbrio ácido básico do sangue e é um dos constituintes indispensáveis na estrutura óssea e dental. Além disso, sob a forma de fosfato, é componente das moléculas de DNA e RNA.

A ingestão dietética recomendada corresponde a 700 mg/dia para adultos a partir de 19 anos de idade. Como o conteúdo de fósforo encontrado nas plantas e animais está bem acima das recomendações e sua absorção no trato gastrointestinal é bastante efetiva, a deficiência deste mineral é rara em indivíduos normais sob uma dieta geral.

Apesar deste fato, alguns grupos podem estar mais suscetíveis a quadros de déficit do nutriente, como no caso de vegetarianos estritos, idosos, indivíduos com diabetes descompensada, hiperparatireoidismo, má absorção, situações de restrição alimentar, uso contínuo de antiácidos contendo magnésio e alumínio e nos casos de alcoolismo.

Nesse sentido, condições de hipofosfatemia crônica podem resultar no inadequado transporte de oxigênio aos tecidos e prejuízos na produção de ATP, diminuindo a contratilidade do coração, alterando a função de leucócitos e membrana plasmática.

O aumento da mortalidade e maior tempo de internação hospitalar também têm sido associados a deficiência de fósforo. Os sintomas mais comuns nos estados de hipofosfatemia grave são fraqueza muscular, maior vulnerabilidade imunológica, disfunções motoras e sensação de formigamento.

Dentre as principais fontes alimentares do fósforo estão os alimentos de origem animal, como carnes, leites e derivados, ovos e vísceras.

Cereais e leguminosas também são fontes do nutriente, entretanto, sua biodisponibilidade é significativamente menor nestes alimentos em função da presença de compostos antinutricionais.

Por outro lado, alguns industrializados acrescentados de aditivos de fosfato, como no caso das bebidas gaseificadas, podem oferecer altas quantidades do mineral e inclusive, representar um aumento no risco de desenvolvimento de doenças cardiovasculares e osteoporose, quando consumidos em excesso.

Por isso, é fundamental estar sempre atento aos aspectos qualitativos da nossa alimentação, dando preferência aos alimentos in natura e minimamente processados e buscando a composição de um cardápio equilibrado e variado.

Além disso, conhecer a origem dos alimentos desde sua fase de cultivo é essencial para garantir a real disponibilidade de nutrientes, pensando na nutrição e qualidade da alimentação de modo integral.

A adubação do solo pelo uso de fertilizantes é uma ferramenta que fornece o fósforo necessário para a produção de alimentos com adequado balanço deste nutriente em nossa dieta.

A adequada fertilização do solo permite ter alimentos mais nutritivos e, assim combater as deficiências nutricionais da população, garantindo melhor saúde e menos doenças.

* Valter Casarin é engenheiro agrônomo e diretor científico da iniciativa Nutrientes para a Vida (NPV) e Amanda Borghetti, acadêmica de Engenharia Agronômica na ESALQ/USP.

Fonte: Acontece Comunicação e Notícias



Jogos, tecnologia e exercícios físicos são aliados dos idosos durante distanciamento social

Atividades são grandes aliadas na preservação da saúde física e mental durante esse período.

Jogos, tecnologia e exercícios físicos são aliados dos idosos durante distanciamento social

Entenda por que obesos estão no grupo de risco

No Brasil, uma a cada cinco pessoas são obesas.

Entenda por que obesos estão no grupo de risco

Tempo demais no celular faz mal à visão das crianças

Quem tem filhos pequenos sabe bem como é difícil, e às vezes quase impossível, mantê-los distantes das telas iluminadas dos smartphones, tablets, computadores e da televisão.

Tempo demais no celular faz mal à visão das crianças

Pandemia reduz procura no atendimento por câncer de mama

Levantamento foi realizado pela Sociedade Brasileira de Mastologia


Como aumentar a produção de colágeno para o rosto e corpo

Descubra os alimentos que aumentam a produção de colágeno para o rosto, cabelos e unhas. Dicas importantes de como produzir colágeno natural.


Pesquisa estima que casos confirmados são 35% dos sintomáticos

Percentual é melhor que de abril quando proporção era de 15%.

Pesquisa estima que casos confirmados são 35% dos sintomáticos

Por que o Coronavírus é mais perigoso para os idosos?

Entre as razões está a capacidade de resposta do sistema imunológico, que fica mais lenta e fraca à medida em que a pessoa envelhece.

Por que o Coronavírus é mais perigoso para os idosos?

Por que no outono os cabelos caem mais?

Com a chegada do outono/inverno, cai a incidência de luminosidade e as temperaturas ficam cada vez mais baixas.

Por que no outono os cabelos caem mais?

As dores musculares não podem ser ignoradas

Sofrer com dores não é normal e elas não devem ser ignoradas, ainda mais em tempo de pandemia.

As dores musculares não podem ser ignoradas

O movimento dos orgânicos não parou

Perder vidas para um vírus agressivo é o que pode acontecer de pior para a sociedade.

O movimento dos orgânicos não parou

Covid-19 e os impactos nos pacientes com câncer

A pandemia do novo coronavírus tem aumentado a preocupação com os pacientes com doenças pré-existentes.


Como a saúde mental impacta o nosso sistema imunológico?

Prevenção de enfermidades físicas e emocionais devem ter um trabalho focado em tratar o estresse que o isolamento social tem causado.

Como a saúde mental impacta o nosso sistema imunológico?