Portal O Debate
Grupo WhatsApp


O repique da Covid-19: que não se repiquem os erros

O repique da Covid-19: que não se repiquem os erros

29/11/2020 Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves

Chegamos a uma nova encruzilhada na questão da Covid-19 em território brasileiro.

O repique da Covid-19: que não se repiquem os erros

O Ministério da Saúde acaba de reconhecer o “repique” do mal e prepara providências, ao mesmo tempo em que os governos estaduais e municipais já começam a revogar medidas que afrouxaram a quarentena, as restrições de circulação de pessoas e o exercício das atividades. É de se esperar que, sem o interesse imediato das eleições municipais (que terminam no domingo), a classe política seja mais cordata e tenham comportamento melhor do que o dos meses que se passaram. Para a população – grande vítima de tudo isso – o ideal é que governos federal, estaduais e municipais busquem um grande acordo de cooperação onde evitem as colisões e priorizem a eficiência. É preciso levantar com toda urgência o que foi feito dos hospitais de emergência já desmontados e, se for o caso, recolocá-los em condições operacionais antes que as vagas em UTIs convencionais estejam esgotadas.

A emergência do momento e o desconhecimento de pormenores da pandemia podem ser citados como desculpas para os que agiram com excesso (jamais para os que se corromperam), mas é importante lembrar que hoje já se conhece mais sobre o mal e as novas providências devem ser mais certeiras e de consenso. Todos devem ter boa vontade para poder acertar e prestar os serviços que a população necessita. A própria população tem de por a mão na consciência e tomar a única providência que está ao seu alcance: usar máscara, álcool gel, lavar as mãos, evitar aglomerações e manter o distanciamento. A soma dessas medidas profiláticas mais a chegada das vacinas poderão, ainda, nos livrar de um mal da magnitude da primeira fase, que já provocou a morte de mais de 171 mil brasileiros.

Diferente do que ocorreu nos últimos meses, espera-se mais civilidade dos agentes dessa luta para que, com isso, sejam eles mais eficientes deixando de perder o precioso tempo que vinham empregando em polêmicas. Vamos conter o “repique”, cada um com as armas que lhes são disponíveis, e mirar os esforços e a criatividade no pós-pandemia. Mais dia, menos dias, a Covid-19 e o coronavírus serão coisas do passado. A boa administração dos recursos e da experiência alcançados no bate-cabeças dos últimos oito meses tem de servir para conter a reinfestação. Mas a grande tarefa é a do futuro.

Todos temos de mitigar os prejuízos da pandemia e criar formas adequadas de superá-los e conviver com os novos tempos. A estrutura pública de Saúde tem de aproveitar os vultosos recursos despendidos na pandemia e aplicar o seu residual no sistema, melhorando hospitais e vagas de UTI. Os governantes têm de ser unidos e solidários, esquecendo-se de suas diferenças partidárias e ideológicas e, principalmente, das próximas eleições. Agora, na nossa modesta opinião, todo o esforço e inovação devem estar voltados para a vacinação, pouco importando de onde venham as vacinas, desde que passem pelo crivo e sejam liberadas pela Anvisa. Só isso será capaz de barrar a circulação do vírus e levar ao fim do mal epidêmico. É hora de decência, juízo e solidariedade entre todos...   

* Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) 




Atividade física e saúde mental: mais é menos ou menos é mais?

Que a atividade física traz benefícios à saúde, não é novidade para quase ninguém, certo? No entanto, menos ênfase é dada à saúde mental.

Atividade física e saúde mental: mais é menos ou menos é mais?

Ministério da Saúde começa processo para distribuir vacina contra Covid-19 pelo país

Estados receberam segunda-feira (18) seis milhões de doses do imunizante, entregues hoje ao centro de logística do Governo Federal.

Ministério da Saúde começa processo para distribuir vacina contra Covid-19 pelo país

Covid-19: vacinação trará normalidade imediata à rotina das pessoas?

Um alerta para a importância de manter protocolos de segurança mesmo após imunização.

Covid-19: vacinação trará normalidade imediata à rotina das pessoas?

Estado deve fornecer medicamento para hepatite tipo C

Juiz considerou gravidade da doença e eficácia do remédio reconhecida pelo poder público.


Saiba escolher o melhor protetor solar para sua pele

Particularidades nos produtos fazem a diferença em cada tipo de pele.

Saiba escolher o melhor protetor solar para sua pele

Exposição excessiva a telas podem aumentar sintomas de cansaço na vista

Para qualquer sintoma relacionado a visão a recomendação é visitar um oftalmologista e encontrar a melhor solução para o problema.

Exposição excessiva a telas podem aumentar sintomas de cansaço na vista

Vai para a praia? Os principais cuidados para evitar a infeção urinária

O verão é um período em que as pessoas associam calor, férias, dias de sol, praia.

Vai para a praia? Os principais cuidados para evitar a infeção urinária

90% dos brasileiros gostariam de fazer mais pela saúde física e mental em 2021

Estudo da Hibou revela que 83% dos brasileiros se consideram saudáveis.

90% dos brasileiros gostariam de fazer mais pela saúde física e mental em 2021

Vacinação, a grande tarefa de 2021

Passadas as festas, voltamos à rotina.

Vacinação, a grande tarefa de 2021

Formigas podem transmitir mais fungos e bactérias que baratas

As formigas têm a capacidade de provocar doenças como intoxicações alimentares, diarreia, vômito, entre outras.

Formigas podem transmitir mais fungos e bactérias que baratas

Cuidado com álcool em gel no verão

Produto aumenta o risco de manchas em quem tem dermatites.

Cuidado com álcool em gel no verão

Faça o teste e descubra se você tem refluxo

Infelizmente, esse mal é mais comum do que deveria. Afeta cerca de 50 milhões de brasileiros - 30% da população adulta.

Faça o teste e descubra se você tem refluxo