Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O repique da Covid-19: que não se repiquem os erros

O repique da Covid-19: que não se repiquem os erros

29/11/2020 Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves

Chegamos a uma nova encruzilhada na questão da Covid-19 em território brasileiro.

O repique da Covid-19: que não se repiquem os erros

O Ministério da Saúde acaba de reconhecer o “repique” do mal e prepara providências, ao mesmo tempo em que os governos estaduais e municipais já começam a revogar medidas que afrouxaram a quarentena, as restrições de circulação de pessoas e o exercício das atividades. É de se esperar que, sem o interesse imediato das eleições municipais (que terminam no domingo), a classe política seja mais cordata e tenham comportamento melhor do que o dos meses que se passaram. Para a população – grande vítima de tudo isso – o ideal é que governos federal, estaduais e municipais busquem um grande acordo de cooperação onde evitem as colisões e priorizem a eficiência. É preciso levantar com toda urgência o que foi feito dos hospitais de emergência já desmontados e, se for o caso, recolocá-los em condições operacionais antes que as vagas em UTIs convencionais estejam esgotadas.

A emergência do momento e o desconhecimento de pormenores da pandemia podem ser citados como desculpas para os que agiram com excesso (jamais para os que se corromperam), mas é importante lembrar que hoje já se conhece mais sobre o mal e as novas providências devem ser mais certeiras e de consenso. Todos devem ter boa vontade para poder acertar e prestar os serviços que a população necessita. A própria população tem de por a mão na consciência e tomar a única providência que está ao seu alcance: usar máscara, álcool gel, lavar as mãos, evitar aglomerações e manter o distanciamento. A soma dessas medidas profiláticas mais a chegada das vacinas poderão, ainda, nos livrar de um mal da magnitude da primeira fase, que já provocou a morte de mais de 171 mil brasileiros.

Diferente do que ocorreu nos últimos meses, espera-se mais civilidade dos agentes dessa luta para que, com isso, sejam eles mais eficientes deixando de perder o precioso tempo que vinham empregando em polêmicas. Vamos conter o “repique”, cada um com as armas que lhes são disponíveis, e mirar os esforços e a criatividade no pós-pandemia. Mais dia, menos dias, a Covid-19 e o coronavírus serão coisas do passado. A boa administração dos recursos e da experiência alcançados no bate-cabeças dos últimos oito meses tem de servir para conter a reinfestação. Mas a grande tarefa é a do futuro.

Todos temos de mitigar os prejuízos da pandemia e criar formas adequadas de superá-los e conviver com os novos tempos. A estrutura pública de Saúde tem de aproveitar os vultosos recursos despendidos na pandemia e aplicar o seu residual no sistema, melhorando hospitais e vagas de UTI. Os governantes têm de ser unidos e solidários, esquecendo-se de suas diferenças partidárias e ideológicas e, principalmente, das próximas eleições. Agora, na nossa modesta opinião, todo o esforço e inovação devem estar voltados para a vacinação, pouco importando de onde venham as vacinas, desde que passem pelo crivo e sejam liberadas pela Anvisa. Só isso será capaz de barrar a circulação do vírus e levar ao fim do mal epidêmico. É hora de decência, juízo e solidariedade entre todos...   

* Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo) 



Por que roncamos ao dormir de barriga para cima?

Entenda como as diferentes posições para dormir interferem no funcionamento do organismo.

Por que roncamos ao dormir de barriga para cima?

Dia Mundial do Alzheimer visa desmistificar o preconceito sobre a doença

"Conhecer demência é conhecer Alzheimer" é tema de campanha em 2021.

Dia Mundial do Alzheimer visa desmistificar o preconceito sobre a doença

Estamos esperando o quê?

Uma pesquisa rápida no Google Trends aponta o que qualquer cidadão do mundo já sabe: o termo mais mencionado e pesquisado no ano passado foi “Coronavírus”.

Estamos esperando o quê?

Proteção da CoronaVac em pessoas com comorbidade é superior a 90%

Pesquisa analisa 5 mil profissionais de educação e da segurança pública da rede estadual lotados em Manaus.

Proteção da CoronaVac em pessoas com comorbidade é superior a 90%

Fisioterapia precoce é essencial no tratamento da artrite idiopática juvenil

Doença é autoimune e pode afetar bebês e crianças pequenas.

Fisioterapia precoce é essencial no tratamento da artrite idiopática juvenil

Atividade física reduz risco de desenvolver glaucoma 

Estudo aponta que declínio do risco pode chegar a 73%.

Atividade física reduz risco de desenvolver glaucoma 

“Agir salva vidas” é tema de campanha Setembro Amarelo 2021

Campanha para reduzir índices de suicídio é uma iniciativa da ABP e do Conselho Federal de Medicina.

“Agir salva vidas” é tema de campanha Setembro Amarelo 2021

Por que terceira dose de vacina contra Covid é importante e necessária

Variantes do vírus fazem com que seja necessário "treinar" o organismo para poder prevenir infecções.

Por que terceira dose de vacina contra Covid é importante e necessária

Tabagismo aumenta chances de casos graves da Covid-19

Relação entre fumo e doença é mais um motivo importante para a decisão de parar de fumar

Tabagismo aumenta chances de casos graves da Covid-19

Dicas de alimentação na TPM, gravidez e menopausa

Toda mulher passa por diferentes fases no ciclo fértil.

Dicas de alimentação na TPM, gravidez e menopausa

Número de mortes por paradas cardíacas aumenta durante a pandemia

Pesquisa mostra que procura por atendimento hospitalar por AVC e ataques cardíacos sofreu redução no período.

Número de mortes por paradas cardíacas aumenta durante a pandemia

Como a vitamina B12 pode beneficiar a sua saúde

A deficiência de vitamina B12 pode causar disfunções no sistema digestivo, sanguíneo ou neurológico.

Como a vitamina B12 pode beneficiar a sua saúde