Portal O Debate
Grupo WhatsApp

LGPD e saúde

LGPD e saúde

21/08/2021 Tadeu Saint’ Clair

A chegada do mês de agosto marcou a entrada em vigor da Lei Geral de Proteção aos Dados (LGPD), no que diz respeito as sanções em caso de descumprimento.

Isto significa que as pessoas jurídicas, de diferentes portes e ramos de atuação, deverão redobrar os cuidados com os dados fornecidos pelos clientes, realizando procedimentos de adequação tecnológica, mas também jurídica de todos os seus contratos, fichas de atendimento, prontuários e diversos outros documentos legais.

Isso inclui as empresas que prestam serviços de saúde, principalmente operadoras de planos de saúde e hospitais, mas também consultórios e clínicas médicas e odontológicas.

Sobretudo porque é um dos setores mais visados à luz da LGPD: esses prestadores têm acesso a informações pessoais que alcançam a intimidade do paciente e envolvem a posse de dados considerados bastante delicados.

As empresas de saúde têm acesso ao histórico de consultas e procedimentos realizados por cada usuário, seja da saúde pública, privada, por meio de convênio ou plano de saúde.

Essas informações valem ouro para qualquer empresa. É possível, por exemplo, identificar mulheres que acabaram de gerar um filho, e usar essa informação para vender certos tipos de produtos compatíveis com seu perfil.

O objetivo da nova lei é proteger os titulares dessas informações. Houve um caso recente que serve para endossar a relevância da LGPD para o setor da saúde.

Em 2017, o ataque de um hacker ao banco de dados do Sistema Único de Saúde (SUS) expôs informações pessoais de 2,4 milhões de usuários, exibindo, dentre outros elementos, nomes completos, CPF, data de nascimento e tipo sanguíneo.

Além de proteger os usuários, existem dois motivos para que as empresas cumpram com rigor a LGPD. A lei vai ajudar a regrar o compartilhamento desses dados, respeitando os interesses dos usuários sem prejuízo das corporações.

Eles terão, inclusive, acesso ao banco de dados e poderão editar suas informações. E as multas por descumprimento são pesadas.

Podem variar de uma simples advertência até a cobrança de 2% sobre o faturamento da empresa e suspensão de atividades.

Embora as PJs tenham tido prazo de um ano para se adaptar à LGPD, o advogado alerta que a maior parte ainda não considerou a nova legislação para fazer investimentos de adequação jurídica e de segurança para os seus bancos de dados.

É fácil justificar! Como a Lei de Proteção aos Dados demandará custos para a adaptação de muitas empresas, a grande parte deixou para fazer os ajustes só agora.

Mas é fundamental que façam isso o mais breve possível, porque não é uma mudança interna fácil, e expõe a segurança do que uma empresa tem de muito valioso, que são os dados de seus clientes.

Para realizar as mudanças de forma correta, o ideal é que a empresa seja orientada por um escritório de advocacia especializado nesse setor e considere realizar investimentos de TI em sua base de dados.

* Tadeu Saint’ Clair é advogado tributarista e empresarial, com larga experiência na adequação da LGPD para empresas de saúde.

Para mais informações sobre LGPD clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Caso Daniel Alves, a Lei Pelé e a cultura de atraso de salários no futebol brasileiro

Na última semana fomos surpreendidos pela atitude corajosa do lateral Daniel Alves que decidiu não atuar mais pelo São Paulo Futebol Clube, por conta de atrasos de salários.


As expectativas advindas do Marco Legal das Startups

É verdade que a sensação da comunidade empresarial, quando da eminência da publicação de um novo diploma legal a fim de regular determinada atividade, volta-se naturalmente aos entraves burocráticos capazes de frear e obstar a chancela de negócios.


As fraudes financeiras com bitcoins e a necessidade da punição exemplar

A ampla cobertura da mídia sobre as operações das autoridades brasileiras contra fraudes financeiras utilizando a rentabilidade das criptomoedas como forma de atrair investidores deu visibilidade à uma prática que vem crescendo exponencialmente no Brasil.


Polêmica da Anvisa: atuação do órgão no jogo entre Brasil e Argentina

Na tarde do último domingo (5 de setembro), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) paralisou a partida de futebol entre Brasil e Argentina, que jogavam pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.


As virtudes e desvirtuamentos do Novo Código Eleitoral

Tramita no Congresso Nacional o projeto do Novo Código Eleitoral com mais de novecentos artigos.


Principais impactos da LGPD nas relações de trabalho

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD - Lei nº13.709/2018) prevê regras e princípios que devem ser observados quando da utilização de dados pessoais pelas empresas privadas e públicas.


Como garantir sua aposentadoria com tranquilidade em Portugal

Quando um cidadão brasileiro decide morar em Portugal, ou vice e versa, é preciso fazer diversos planos para que a sua qualidade de vida seja ainda melhor no país de destino.


Parecer da Receita pretende excluir o ICMS da base dos créditos de PIS e COFINS

O ICMS destacado na nota fiscal não pode ser considerado receita bruta por não representar acréscimo patrimonial do contribuinte.



O que mudou no Direito Condominial com o novo Código Civil?

O jurista Dalmo Dallari afirma que a sociedade humana pode ser considerada como um conjunto de pessoas que estão ligadas pela necessidade de se ajudarem com o intuito de garantir a continuidade da vida e satisfazer seus interesses e desejos.


A necessidade da LGPD na sociedade contemporânea

A lei de proteção de dados se tornou essencial diante todas as evoluções tecnológicas.


Posso comprar imóvel em leilão de forma parcelada?

Existem duas formas de se adquirir um imóvel em leilão: por meio de pagamento à vista ou de forma parcelada, conforme disciplina o artigo 895 do Código de Processo Civil.