Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Quem não quer tomar vacina ou usar máscara pode ser demitido por justa causa?

Quem não quer tomar vacina ou usar máscara pode ser demitido por justa causa?

22/01/2021 Divulgação

Garantir um ambiente de trabalho seguro é uma obrigação das empresas, que podem colocar a vacinação e uso de máscaras como norma interna.

No último domingo (17/01/2021), em um dia histórico, a Anvisa aprovou o uso emergencial de duas vacinas contra o Covid-19 no Brasil.

Porém, diversos motivos, entre eles o medo da vacina, fazem com que algumas pessoas ainda se recusem a receber a imunização.

Muitos usam o argumento de ser uma decisão pessoal. Mas será que é mesmo? Raphael Garcia, CEO da OCUPPE - Prevenção e Proteção ao Trabalho, explica que apesar de ainda não existir uma Norma Regulamentadora, que obrigue o trabalhador a ser vacinado contra Covid-19, a recusa da vacina pode ser motivo para uma demissão por justa causa.

Raphael Garcia lembra que é obrigação das empresas garantir um ambiente seguro aos seus trabalhadores e, por isso, elas podem incluir em seu PCMSO (Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional) tanto o uso de máscaras quanto a vacinação obrigatória.

Dessa forma, a empresa também fica responsável por fornecer as máscaras de proteção, bem como orientações para uso da mesma.

Vacina contra Covid-19

Apesar de os empregadores não poderem solicitar a vacina, eles podem exigir que seu funcionário forneça comprovante de vacinação para trabalhar neste ambiente.

Dessa forma, se um trabalhador não vacinado insistir em ir para o local de trabalho, ele pode estar sujeito a penalidades legais, incluindo advertências, suspensão e demissão por justa causa.

Uma das obrigações da empresa é zelar pelo meio ambiente e pela saúde de seus colaboradores. E é por isso que a demissão por justa causa é possível, já que quem se recusa a tomar a vacina está colocando a saúde de todos os colegas em risco.

Ou seja, se a empresa indicar em seu PCMSO como medida protetiva a vacinação contra Covid-19, e o colaborador se recusar a tomar a vacina, a rescisão por justa causa poderia ser adotada como medida punitiva.

Além disso, primeiramente, a empresa deve dar uma advertência ou suspensão e, só então, se a recusa persistir, a demissão por justa causa.

Sendo assim, é muito importante incluir a imunização em seu PCMSO e fazer dessa uma norma da empresa.

Raphael Garcia lembra que ainda é preciso ter paciência com esse assunto, porque a vacina ainda não está disponível para toda a população.

“Existe um cronograma e um plano de imunização que deve ser seguido. Dessa forma, a empresa só pode exigir a vacinação após ser obrigatório para aquele grupo em específico”, afirma.

Uso de máscara

Seguindo o mesmo pensamento, Raphael Garcia explica que o funcionário que também se recusa a usar máscaras pode ser demitido por justa causa.

As empresas podem adorar em seu PCMSO o uso obrigatório de máscaras de proteção, a fim de garantir mais segurança para seus funcionários. Sendo assim, aqueles que se recusarem a usar a proteção poderão ser demitidos.

“Um funcionário que se recusa a usar máscara ou não a usa corretamente se equipara  aquele que se recusa a usar os Equipamentos de Proteção Individual (EPI)”, destaca Raphael. Por isso, a empresa pode e deve fiscalizar essa questão para garantir a segurança de todos os seus colaboradores.

Entretanto, quando você equipara o uso da máscara a um EPI, ela acaba sendo classificada dentro da NR6, determinando que cabe ao empregador fornecer e orientar quanto a higienização, guarda e uso do equipamento de proteção individual.

“Como a recomendação é de duas horas com cada máscara, as empresas podem fornecer kits com 8 máscaras para que a pessoa use quatro máscaras por dia, de duas em duas horas e, no dia seguinte, ela use as outras quatro, enquanto as usadas no dia anterior estão sendo higienizadas. Fica como sugestão adotar quatro cores diferentes, por exemplo, nas duas primeiras horas do dia o uso de máscaras verdes, depois azul, amarelo e vermelha. Assim, é possível ter uma maior facilidade de controle se a pessoa está fazendo a substituição da máscara de acordo com a regra das duas horas e também se ela está usando a máscara corretamente”, aponta Raphael.

Fonte: Carvalho Assessoria



Legalidade ou ilegalidade: o falso impasse das empresas offshores

Apesar de pouco utilizadas pela maior parte dos indivíduos, as empresas offshores são bastante conhecidas, face à intensa profusão de material acerca delas, seja com conteúdo fictício ou não.


As controvérsias do acesso aos dados de vacinação dos trabalhadores

Ainda existem muitas controvérsias sobre a exigência de vacinação de trabalhadores aqui no Brasil.


Efeitos do plano de demissão voluntária na quitação geral do contrato de trabalho

As relações individuais e coletivas produzem efeitos diferentes nas relações de trabalho e, ao que parece, ainda vão ocupar as discussões jurídicas nas questões envolvendo os direitos atingidos no âmbito de cada uma e a adequação instrumental que permita sua compreensão e redução da litigiosidade.


Está proibida a venda de remédios para emagrecer

O Supremo Tribunal Federal derrubou a lei que autorizava a produção, a venda e o consumo de 4 medicamentos para emagrecer: a sibutramina, a anfepramona, o femproporex e o mazindol.


Por que fazer um planejamento previdenciário

O primeiro argumento para convencer você a fazer um planejamento previdenciário é o tempo.


As vantagens (e os perigos) das contratações temporárias

A chegada do fim do ano, com as festas de Natal e do Réveillon, abre a temporada de contratações temporárias no varejo.


Direitos autorais na pichação e no grafite

Você sabe qual é a diferença entre pichação e grafismo? As pichações são as escritas nas fachadas e nos muros, e muito presente nos anos 80 quando ainda não tinha uma lei específica para a prática.


A restituição do dinheiro aos investidores no caso GAS Consultoria

Recentemente, uma ação conjunta entre Ministério Público Federal (MPF) e Polícia Federal denominada Operação KRYPTOS, com ampla cobertura midiática, encerrou as operações da GAS Consultoria, sob acusação dos responsáveis pela empresa supostamente cometerem crimes contra o sistema financeiro nacional.


Stalking: o que você precisa saber

Nas últimas semanas, liderou o Top 10 da Netflix o seriado Você (You), cujo roteiro romantiza a vida de um personagem charmoso e carismático que pratica o denominado “stalking” em pessoas de seu círculo social.


O dilema do reconhecimento da paternidade

O pedido de reconhecimento de paternidade muitas vezes é constrangedor para a mulher e assustador para o homem.


Doença mental adquirida no exercício profissional pode ser considerada acidente de trabalho

Alguns tipos de transtornos mentais podem estar relacionados ao ambiente de trabalho.


Os paradigmas legais da greve dos jogadores do Cruzeiro

Os jogadores do elenco profissional do Cruzeiro anunciaram no dia 13 de outubro que estão em greve por conta do atraso no pagamento dos salários.