Portal O Debate
Grupo WhatsApp

TJMG lança aplicativo SEI para celulares

TJMG lança aplicativo SEI para celulares

21/10/2020 Divulgação

O SEI para celulares foi apresentado para o presidente Gilson Soares Lemes e os vice-presidentes do TJMG.

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) deu mais um grande passo na modernização de seu processo de trabalho, na tarde do dia 20/10, com o lançamento do aplicativo SEI para celulares.

A nova ferramenta, desenvolvida para as plataformas IOS e Android, permite que o usuário tenha acesso a todos os recursos já existentes na versão do SEI para computadores.

Também possibilita assinaturas por meio de reconhecimento facial, biometria, e o compartilhamento de documentos por whatsapp e e-mail.

De forma pioneira, o TJMG também lançou o manual de uso do novo aplicativo, que deverá ser divulgado para outros tribunais de Justiça do país.

O presidente do TJMG, desembargador Gilson Soares Lemes, acompanhou a apresentação do novo aplicativo, feita pela gerente do Centro de Padronização e Qualidade da Secretaria Executiva de Planejamento e Qualidade na Gestão Institucional (Seplag), Fernanda Mendes.

O presidente determinou a divulgação imediata do aplicativo entre desembargadores, magistrados e servidores.

"Agora é possível que servidores e magistrados trabalhem com seus celulares, aproveitando todas as funcionalidades do Sistema Eletrônico de Informações. É um grande avanço para todos nós e aproveito para parabenizar pelo trabalho as equipes da Seplag e da Diretoria de Informática", comemorou o presidente.

Além do presidente Gilson Lemes, participaram da apresentação o 1º vice-presidente do TJMG, desembargador José Flávio de Almeida; o 2º vice presidente, desembargador Tiago Pinto, o 3º vice-presidente, desembargador Newton Teixeira Carvalho, o vice corregedor geral de Justiça, desembargador Edison Feital Leite; o superintendente Administrativo Adjunto, desembargador José Arthur de Carvalho Filho; o superintendente de Planejamento, desembargador Jaubert Carneiro Jaques, os juízes auxiliares da presidência, José Ricardo Véras e Rosimere das Graças do Couto; o diretor da Seplag, João Victor Rezende, e a gerente do Centro de Padronização e Qualidade, Fernanda Mendes.

A juíza auxiliar da Presidência, Rosimere das Graças do Couto, explica que o SEI já é uma ferramenta consagrada dentro do Tribunal e que vem recebendo inovações.

"Esta foi a primeira inovação do SEI nesta gestão, tornando mais fácil o uso da ferramenta, que agora apresenta novas funcionalidades", destacou a magistrada.

Palma da mão

A gerente do Centro de Padronização e Qualidade do TJMG, Fernanda Mendes, explica que a raiz do sistema está disponível no Portal do Software Público. Cabe a cada tribunal fazer as adaptações de acordo com suas necessidades.

"Fizemos as adaptações no nosso aplicativo que também permite assinaturas, não apenas por meio de senhas, como ocorre com a versão para computadores, mas também via biometria e reconhecimento facial", afirma.

A ferramenta, segundo Fernanda Mendes, possibilita que documentos sejam facilmente compartilhados pelo whatsapp e e-mail.

"Com o aplicativo, o usuário poderá fazer na palma da mão e, em qualquer lugar, tudo que faz normalmente na sua mesa de trabalho, o que significa um grande facilitador", afirma a gerente.

Características

O SEI é uma ferramenta de gestão de processos e documentos eletrônicos que permite a assinatura digital e trâmites administrativos, implantado no TJMG desde 2016.

Com uma interface simples e acessível, possibilita a atuação simultânea de servidores de várias unidades em um mesmo processo, mesmo distantes fisicamente, o que reduz o tempo de realização de atividades e torna os procedimentos mais céleres. Outra vantagem do sistema é a diminuição do uso de papel e de outros materiais.

Fonte: Assessoria de Comunicação Institucional - Ascom



O caso do jogador Dudu do Palmeiras: por que o divórcio deixou a ex-mulher sem nada?

O caso da separação do jogador Dudu, do Palmeiras, deixa um alerta para quem pretende estabelecer um casamento ou uma união estável.


Demissão por WhatsApp não é ilegal

Entendimento da Justiça tem sido de verificar, independente do meio, postura digna e comunicação clara nos desligamentos de trabalhadores.


Caso Daniel Alves, a Lei Pelé e a cultura de atraso de salários no futebol brasileiro

Na última semana fomos surpreendidos pela atitude corajosa do lateral Daniel Alves que decidiu não atuar mais pelo São Paulo Futebol Clube, por conta de atrasos de salários.


As expectativas advindas do Marco Legal das Startups

É verdade que a sensação da comunidade empresarial, quando da eminência da publicação de um novo diploma legal a fim de regular determinada atividade, volta-se naturalmente aos entraves burocráticos capazes de frear e obstar a chancela de negócios.


As fraudes financeiras com bitcoins e a necessidade da punição exemplar

A ampla cobertura da mídia sobre as operações das autoridades brasileiras contra fraudes financeiras utilizando a rentabilidade das criptomoedas como forma de atrair investidores deu visibilidade à uma prática que vem crescendo exponencialmente no Brasil.


Polêmica da Anvisa: atuação do órgão no jogo entre Brasil e Argentina

Na tarde do último domingo (5 de setembro), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) paralisou a partida de futebol entre Brasil e Argentina, que jogavam pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.


As virtudes e desvirtuamentos do Novo Código Eleitoral

Tramita no Congresso Nacional o projeto do Novo Código Eleitoral com mais de novecentos artigos.


Principais impactos da LGPD nas relações de trabalho

A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD - Lei nº13.709/2018) prevê regras e princípios que devem ser observados quando da utilização de dados pessoais pelas empresas privadas e públicas.


Como garantir sua aposentadoria com tranquilidade em Portugal

Quando um cidadão brasileiro decide morar em Portugal, ou vice e versa, é preciso fazer diversos planos para que a sua qualidade de vida seja ainda melhor no país de destino.


Parecer da Receita pretende excluir o ICMS da base dos créditos de PIS e COFINS

O ICMS destacado na nota fiscal não pode ser considerado receita bruta por não representar acréscimo patrimonial do contribuinte.



O que mudou no Direito Condominial com o novo Código Civil?

O jurista Dalmo Dallari afirma que a sociedade humana pode ser considerada como um conjunto de pessoas que estão ligadas pela necessidade de se ajudarem com o intuito de garantir a continuidade da vida e satisfazer seus interesses e desejos.