Portal O Debate
Grupo WhatsApp

O cardápio de energia elétrica

O cardápio de energia elétrica

21/02/2023 Christian Cunha

Há muitas opções para economizar na fatura, mas você sabe como escolher?

O cardápio de energia elétrica

Energia elétrica: todo mundo consome, mas pouca gente entende do assunto. Especialmente quando se trata de custos, é muito comum que os clientes se sintam confusos. Afinal, por um lado eles são incomodados por termos técnicos, dificuldade de compreender a fatura de energia (que são, de fato, indecifráveis) e a sensação constante de que os preços não param de subir. E por outro, são bombardeados por diversas ofertas de solução para economizar, mas sem nenhuma ajuda para distinguir qual é a melhor para cada caso.

Pois bem, para melhor esclarecer, vamos separar o cardápio de opções em três seções. A primeira é a eficiência: utilizar o mínimo de energia para cada necessidade, consumir menos. Algumas opções são o uso de lâmpadas LED para iluminação de ambientes, eletrodomésticos eficientes (especialmente refrigeração) que prometem baixo consumo, soluções específicas para aquecimento (placas solares ou gás natural), e sistemas de automação para ligar e desligar equipamentos conforme sua utilização. Comparando com um “menu degustação”, podemos dizer que, se planejando, dá para todos terem um pouco de tudo isso em casa.

Cumprida esta etapa, passamos à compra da energia. Afinal, esse também é um produto que pode custar mais caro em um mercado que no outro - e, no futuro, será possível a todos nós escolher de onde comprá-lo, assim como já fazemos ao escolher nossas operadoras de telefonia celular, por exemplo. Atualmente, contamos com duas possibilidades: uma é a geração distribuída e outra, o mercado livre - que hoje ainda seria como aquela parte caríssima do cardápio, acessível apenas aos clientes mais abonados. 

Para saber a quem estão disponíveis, é preciso entender se o cliente está em baixa tensão ou alta tensão. Mas o que é isso? Fácil. O cliente em baixa tensão tem uma conta tipicamente no valor de R$ 8 mil a R$ 10 mil por mês. Na fatura de energia, você vai encontrar em algum lugar a classe “A”, de alta tensão, ou “B”, de baixa tensão. 

A solução natural para o cliente “B” é a geração distribuída. Ele pode optar por fazer um painel solar próprio, realizando o investimento na instalação das placas fotovoltaicas (que costuma levar de seis a sete anos para se pagar), ou fazer uma locação de terceiros, obtendo economia entre 10% e 15% na conta de energia. 

Para o cliente “A”, com gastos mensais superiores a faixa entre R$ 8 mil e  R$ 10 mil (vale dizer que, normalmente, são pessoa jurídica),  a solução natural é o mercado livre de energia. Nesse caso, ele tem liberdade para escolher de quem comprar energia, devendo informar à concessionária que deseja obter sua energia de forma independente. No mercado livre, as economias podem ser bem maiores, de 15% a 30%. Na prática, esse consumidor continua sendo atendido pela concessionária da região, que passa a cobrar um valor menor (só o transporte), pois é ela quem investe e administra a rede de postes e cabos na rua.

Nessa modalidade, o cliente pode comprar energia de diversas comercializadoras. E a recomendação é que os contratos tenham pelo menos três anos de duração, com flexibilidade no consumo. Ou seja, se o consumo subir ou cair, será preciso fazer ajustes mês a mês. 

Voltando a pensar com otimismo no futuro, existe a expectativa de abertura plena do mercado de energia nos próximos anos, possivelmente entre 2026 e 2028, quando o cliente de baixa tensão também poderá desfrutar dessa terceira seção do cardápio e escolher livremente seu fornecedor. Será então um grande momento de digitalização, personalização, produtos e planos para todos os tamanhos e perfis de consumidor.

* Christian Cunha é CEO da Energizou.

Para mais informações sobre energia elétrica clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: NR7



Sustentabilidade e eficiência energética na indústria

A preocupação com menor impacto no meio ambiente há muito tempo é pautada por entidades, empresas e sociedade, e quando olhamos para o setor industrial, essa necessidade é ainda mais crucial.

Autor: Giordania R. Tavares

Sustentabilidade e eficiência energética na indústria

O impacto positivo da energia eólica nas economias locais

Além da geração de 11 postos de trabalho a cada MW instalado, as usinas atuam como catalisadoras dos setores de comércio e serviços das regiões onde estão instaladas.

Autor: Divulgação

O impacto positivo da energia eólica nas economias locais

Cinco dicas de economia de energia no inverno

Julho terá condições de geração de energia menos favoráveis, conforme sinalização da Aneel.

Autor: Divulgação

Cinco dicas de economia de energia no inverno

Cemig realiza inspeções na rede elétrica com drones em todo estado

Equipes da companhia atuam em todas as regiões do estado utilizando o equipamento para localização de defeitos em áreas de difícil visualização.

Autor: Divulgação

Cemig realiza inspeções na rede elétrica com drones em todo estado

MG já investiu R$ 19,6 bilhões na geração própria de energia solar

Segundo mapeamento da ABSOLAR, estado acumula mais de 684 mil consumidores atendidos pela fonte solar em residências, comércios, indústrias, propriedades rurais e prédios públicos.

Autor: Divulgação

MG já investiu R$ 19,6 bilhões na geração própria de energia solar

Gasmig atinge marca de 100 mil clientes ligados

A Companhia de Gás de Minas Gerais (Gasmig) atingiu o marco de 100 mil clientes ligados. O Contrato de concessão previa que a Companhia chegasse a esta marca em dezembro de 2026.

Autor: Divulgação


Armazenamento solar: uma alternativa para acabar com o ‘susto’ da conta de energia

Estudo do Instituto Polis e da Ipec mostrou que quase metade das famílias brasileiras apontam a conta de luz como o item que mais impacta o orçamento familiar.

Autor: Simone Cesário

Armazenamento solar: uma alternativa para acabar com  o ‘susto’ da conta de energia

Pipas prejudicam mais de 100 mil clientes da Cemig nos quatro primeiros meses de 2024

Além do grande risco de acidentes fatais, linhas chilenas e cerol podem causar falta de energia em grandes circuitos do sistema elétrico.

Autor: Divulgação

Pipas prejudicam mais de 100 mil clientes da Cemig nos quatro primeiros meses de 2024

Sobre a alta eficiência energética das máquinas brasileiras

Em um cenário global onde a eficiência energética se torna cada vez mais um diferencial competitivo, a indústria brasileira de máquinas se destaca por sua capacidade de inovação e adaptação.

Autor: Gino Paulucci Jr.


Eficiência Energética da Cemig vai beneficiar mais de 1,5 milhão de pessoas

Previsão de investimento da empresa para o PEE é da ordem de R$ 102 milhões até o fim do ano.

Autor: Divulgação

Eficiência Energética da Cemig vai beneficiar mais de 1,5 milhão de pessoas

Cemig vai instalar mais de 3 mil religadores na rede de distribuição

Equipamentos são instalados nas redes elétricas urbanas e rurais e contribuem para o rápido restabelecimento do serviço em casos de defeitos transitórios.

Autor: Divulgação

Cemig vai instalar mais de 3 mil religadores na rede de distribuição

Se está sobrando energia porque conta de luz é tão cara?

Hidrelétricas ambientalmente sustentáveis seriam um exemplo que poderíamos ter dado ao mundo e não demos.

Autor: Divulgação

Se está sobrando energia porque conta de luz é tão cara?