Portal O Debate
Grupo WhatsApp

5 cuidados que ajudam a prevenir a perda auditiva

5 cuidados que ajudam a prevenir a perda auditiva

18/10/2022 Maria Branco

1 bilhão de jovens correm risco de perda auditiva, segundo a OMS Grupo Microsom, especialista em saúde auditiva indica cinco hábitos que ajudam jovens a não se exporem a ruídos muito altos.

5 cuidados que ajudam a prevenir a perda auditiva

A perda auditiva afeta, anualmente, milhões de brasileiros. E entre os mais jovens, o principal risco está relacionado ao uso de fones de ouvido. Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), mais de 1 bilhão de jovens entre 12 e 35 anos no mundo correm risco de perda auditiva por conta da exposição excessiva a altos ruídos. 

Em 2015, a OMS criou a iniciativa ‘Make Listening Safe’, que tem como objetivo reduzir os riscos relacionados à audição ‘insegura’ por meio de dispositivos e sistemas de áudio pessoais. E a partir da colaboração de especialistas em som, audiologia, acústica, tecnologia, comunicação em saúde, padronização e desenvolvimento de produtos, foi criada uma Norma Global que visa regular a exposição a sons altos por meio de sistemas de áudio.

“O conteúdo desta norma, baseado em pesquisas e estudos, indica que para o período de sete dias, com 40 horas de uso de fones, a intensidade máxima recomendada deve ser de 80 dBs”, explica Maria Branco, fonoaudióloga do Grupo Microsomempresa especializada em qualidade de vida para pessoas com necessidades especiais como perda auditiva, zumbido no ouvido e apneia do sono.

Para saber qual intensidade está o dispositivo, é possível utilizar aplicativos para celulares que funcionam como um decibelímetro. Além disso, existem algumas precauções importantes que podem ser tomadas para minimizar ou evitar essa perda. Por isso, a fonoaudióloga reuniu cinco cuidados que ajudam a prevenir a perda auditiva: 

Não abuse do volume

O principal cuidado em relação ao volume é manter a intensidade máxima de 80 dB. Segundo Maria, alguns celulares e computadores modernos já têm essa trava de segurança nas configurações de ajustes. 

Se o dispositivo não tiver essa configuração, existem alguns programas gratuitos que podem ajudar, como: 

  • Sound Lock – programa que bloqueia o volume quando ultrapassa o limite estabelecido
  • Quiet on the set – limita o volume e tem a possibilidade de travar esse limite, com uma senha (indicado para que crianças pequenas e adolescentes não alterem os níveis da saída)
  • A fonoaudióloga ainda reforça que o ideal é limitar a barra do volume, utilizando até a metade do dial. Outra dica pontuada por ela é verificar se, com os fones de ouvido, é possível manter uma conversa com outra pessoa a um braço de distância. “Caso não seja possível, isso pode significar que o volume do fone está acima de 85 dB”, explica.

    Use o fone corretamente

    Maria explica que é preciso usar os fones nas duas orelhas. “Isso promove uma vantagem chamada somação binaural, com um ganho de 6 dB. Esse ganho pode contribuir para que não haja necessidade de aumentar muito o volume do dispositivo”, completa.

    Fique atento ao ambiente

    O ambiente externo interfere em como utilizamos os fones, portanto é necessário entender o ruído para se adaptar corretamente. “Caso esteja em ambientes fechados e muito ruidosos, opte por fones com cancelamento de ruído”, explica. 

    Ela ressalta ainda que esse tipo de fone deve ser evitado em locais abertos, com trânsito de veículos, tais como ruas, avenidas e parques, por questões de segurança.

    Saiba quando parar

    “O uso excessivo de fones pode acarretar em zumbidos, sensação de ouvidos tampados, dor de ouvido ou dificuldade para ouvir e entender”, aponta a especialista. Neste caso, além de diminuir o volume ou parar de usar o acessório, Maria aconselha a busca por profissionais adequados, como fonoaudiólogos ou médico otorrinolaringologista.

    Cuide da saúde auditiva

    Além dos cuidados com fone destacados acima, Maria ressalta ainda a importância de fazer avaliações periodicamente. “Nos check-ups anuais, é preciso incluir uma visita a especialistas do ouvido e realizar avaliações auditivas. Além disso, sempre que tiver qualquer sensação de ouvidos tapados, zumbido ou dificuldade para ouvir, procure um médico”, conclui.

    * Maria Branco - fonoaudióloga do Grupo Microsom.

    Para mais informações sobre perda auditiva clique aqui...

    Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

    Fonte: Ortolani Consultoria em Comunicação e Marketing



    Especialistas alertam para cuidados com queimaduras de limão, sol e água-viva

    Comuns no verão, essas lesões podem se tornar graves se não tiverem a atenção necessária.

    Autor: Divulgação

    Especialistas alertam para cuidados com queimaduras de limão, sol e água-viva

    Dengue: hidratação com até 6 litros de água pode evitar o tipo hemorrágico

    Especialista em Saúde Pública esclarece que uma pessoa pode adoecer quatro vezes com os quatro sorotipos da doença.

    Autor: Divulgação

    Dengue: hidratação com até 6 litros de água pode evitar o tipo hemorrágico

    Menopausa: sintomas, tratamentos e dicas

    Ginecologista Loreta Canivilo explica tudo sobre esse período da vida da mulher.

    Autor: Divulgação

    Menopausa: sintomas, tratamentos e dicas

    Crianças e Dengue: como prevenir?

    Número de casos é alto entre os pequenos e algumas faixas etárias não podem sequer usar repelentes contra insetos.

    Autor: Divulgação

    Crianças e Dengue: como prevenir?

    Dengue, Chikungunya e Zika: conheça os sintomas de cada doença

    “Os sintomas podem ser parecidos, por isso, é importante uma avaliação médica”.

    Autor: Divulgação

    Dengue, Chikungunya e Zika: conheça os sintomas de cada doença

    Maioria dos adultos sofrem com dores ou inchaços após o dia de trabalho

    Um estudo recente aponta que uma grande parcela da população adulta relata sentir dores e inchaços após um longo dia de trabalho.

    Autor: Divulgação

    Maioria dos adultos sofrem com dores ou inchaços após o dia de trabalho

    Novo corpo, novo indivíduo, novo eu

    A cirurgia desempenha um papel importante na vida dos pacientes pós-bariátrica.

    Autor: Simone Barros

    Novo corpo, novo indivíduo, novo eu

    Queloide: o que é e como evitar?

    Queloide é uma condição dermatológica caracterizada pelo crescimento anormal de tecido cicatricial.

    Autor: Divulgação

    Queloide: o que é e como evitar?

    Dor no calcanhar afeta 1 em cada 10 pessoas depois dos 40 anos

    A fascite plantar é uma doença caracterizada pela degeneração progressiva da fáscia plantar, tecido que se estende do osso do calcanhar até a planta do pé.

    Autor: Divulgação

    Dor no calcanhar afeta 1 em cada 10 pessoas depois dos 40 anos

    O calor passa, uma cicatriz, não!

    O verão, conhecido pela temporada de férias, altas temperaturas e dias ensolarados, pode ser uma estação interessante para quem está considerando passar por uma cirurgia plástica.

    Autor: ‌Felipe Villaça

    O calor passa, uma cicatriz, não!

    Cinco formas de lidar com a enxaqueca no dia a dia

    Doença está entre as complicações mais incapacitantes do mundo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde.

    Autor:  Dra. Jackeline Barbosa

    Cinco formas de lidar com a enxaqueca no dia a dia

    Ipsemg passará a oferecer serviço de assistência domiciliar

    Instituto está com edital aberto para a contratação de prestadores para o serviço.

    Autor: Divulgação