Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A “onda” dos procedimentos estéticos vai acabar?

A “onda” dos procedimentos estéticos vai acabar?

13/10/2023 Simone Barros

Vai embora o frio e se aproxima a temporada de altas temperaturas.

A “onda” dos procedimentos estéticos vai acabar?

A expectativa é que no verão, o calor acima dos 30 graus, tal qual no verão europeu, permaneça. Mas, para além da preocupação com as ondas de calor, existe uma outra “onda” sem fim que preocupa os profissionais da área da saúde com consciência: a dos procedimentos estéticos.

Isso porque é nesse período, que as pessoas estão mais propensas a procurar ajuda para tratar aquela questão estética que costuma ser evidenciada no calor. Entretanto, apesar desse crescimento sazonal, passamos por um fenômeno social que tem tornado a busca pelo corpo perfeito cada vez mais problemática, sobretudo entre os jovens.

Por aqui, a realização de cirurgias plásticas tem sido cada vez mais comum e normalizada. A exemplo disso, estatísticas recentes apontam que estamos entre os países líderes que mais fazem esse tipo de intervenção, junto dos EUA e da Turquia. Mas não são apenas as cirurgias que têm atingido patamar recorde, os procedimentos faciais, como o tratamento de olheiras e “papada” e os corporais, como liporedução e criolipólise também têm ganhado o mercado de forma exponencial.

Em 2020, quando o boom da harmonização começou, as pesquisas do termo no Google cresceram 540% no Brasil. No ano seguinte, mais um dado assustador: cresce em 140% o número de procedimentos em jovens no país. E isso não é normal. A busca desenfreada pela perfeição nessa fase da vida ultrapassa as barreiras físicas, de aparência, e chegam até o interior, no psicológico, num problema de saúde pública.

A explicação? Pandemia, isolamento social, excesso de tempo nas redes sociais, incertezas sobre o futuro, insatisfações com a realidade, entre outras. No entanto, a discussão é mais profunda. A onda dos procedimentos que explodiu em 2020 está durando tempo demais.

Isso demonstra que, primeiro, a transformação do período foi intensa e grande. Segundo, que essas mudanças foram tão intensas a ponto de transformar o panorama comportamental dos jovens, muitas vezes imaturos, que tomaram essas transformações como algo natural, não problemático, e amplamente incentivado.

Agora, a esperança é de que entremos numa nova era: a do questionamento dos exageros que envolvem as cirurgias e os procedimentos estéticos. Celebridades já começam a desfazer esses procedimentos que podem deformar face e corpo e que, na maioria das vezes, tem origem numa distorção de imagem.

O momento é de falar sobre a relação entre procedimentos e o psicológico. É debater sobre o que passa no interior de quem quer transformar completamente o exterior e questionar quem estabelece o exagero como padrão. Precisamos de menos neura com o exterior e mais cuidado com a mente. A urgência é para que a saúde mental se torne objeto de cuidado e preocupação assim como vemos com a aparência.

É preciso perceber que o panorama social dos jovens mudou. São adolescentes se tornando adultos rápido demais. O acesso aos procedimentos, por sua vez, também se tornou fácil demais. E há muita gente se aproveitando de uma sociedade que não percebe a problemática por trás dessas mudanças (que também aconteceram rápido demais). É hora de desacelerar, furar essa onda que se tornou um problema social.

Neste segundo semestre, esperamos que o verão e as festas de fim de ano não sejam gatilhos para o descompasso da sociedade com o próprio corpo e que a qualidade de vida (corpo, mente e espírito) seja de fato a força motriz da busca por procedimentos.

* Simone Barros, fisioterapeuta e diretora da Clínica Simone Barros.

Para mais informações sobre estética clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Inverno acende alerta para cuidado com casos de bronquiolite em crianças

Principal risco está associado à maior circulação do Vírus Sincicial Respiratório (VSR); conheça os principais sintomas e sinais de alerta da doença.

Autor: Divulgação

Inverno acende alerta para cuidado com casos de bronquiolite em crianças

Vida longa: estudo mostra segredo da longevidade no sangue de centenários

Identificar biomarcadores da longevidade é apenas o primeiro passo, é preciso, também, descobrir fatores que os influenciam.

Autor: Divulgação

Vida longa: estudo mostra segredo da longevidade no sangue de centenários

Sedentarismo: 5 dicas para ser mais ativo mesmo com uma rotina corrida

É preciso incluir as atividades físicas de uma forma natural no seu dia a dia para fugir do sedentarismo.

Autor: Divulgação

Sedentarismo: 5 dicas para ser mais ativo mesmo com uma rotina corrida

Solteiros têm mais chances de morrer do que casados

De acordo com o especialista em relacionamentos, Caio Bittencourt, estar em uma relação pode ajudar na manutenção da saúde de modo geral.

Autor: Divulgação

Solteiros têm mais chances de morrer do que casados

Varizes estouradas? E agora, o que fazer?

As veias das pernas têm a função de levar o sangue ao coração após irrigarem os membros inferiores.

Autor: Divulgação

Varizes estouradas? E agora, o que fazer?

Saiba quais são as alergias e doenças respiratórias mais comuns no inverno

A incidência de doenças respiratórias aumenta no inverno devido às baixas temperaturas, ambientes úmidos e poluição.

Autor: Divulgação

Saiba quais são as alergias e doenças respiratórias mais comuns no inverno

Por que o frio é um dos vilões para o cabelo?

A queda de cabelo costuma ser o terror de muita gente. E a chegada do frio torna esse pesadelo ainda mais intenso.

Autor: ‌Melina Oliveira

Por que o frio é um dos vilões para o cabelo?

A era da saúde digital chegou: seus conflitos éticos também

A chamada era digital já transformou toda a área da saúde. Saúde Digital

Autor: Thiago Rocha da Cunha 

A era da saúde digital chegou: seus conflitos éticos também

Queimadas, poluição e tempo seco: como fica a saúde respiratória e ocular?

Cerca de 25% apresentam a síndrome do olho seco nesta época do ano.

Autor: Divulgação

Queimadas, poluição e tempo seco: como fica a saúde respiratória e ocular?

Veranico com calor e poluição é risco para quem faz atividades ao ar livre

Professor de Medicina do Esporte dá dicas de como evitar problemas causados por essa combinação.

Autor: Divulgação

Veranico com calor e poluição é risco para quem faz atividades ao ar livre

O que comer para evitar resfriados e fortalecer o sistema imunológico?

Com a chegada do inverno no próximo dia 21, as temperaturas caem, a umidade aumenta e os vírus e bactérias se propagam com mais facilidade.

Autor: Divulgação

O que comer para evitar resfriados e fortalecer o sistema imunológico?

O tempo seco e as alergias

Com uma nova onda de calor chegando aliada ao tempo seco, comum nesta época do ano, as alergias respiratórias ganham força.

Autor: Divulgação

O tempo seco e as alergias