Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Alerta Masculino: a Campanha Novembro Azul

Alerta Masculino: a Campanha Novembro Azul

25/10/2014 Daniel Xavier Lima

A campanha Novembro Azul faz alerta sobre o câncer de próstata, segunda causa mais frequente de mortes em homens no Brasil.

O mês de novembro tem sido um período de alerta para o câncer de próstata em todo o mundo, havendo campanhas de conscientização apoiadas e propagadas por instituições médicas, marcas de produtos esportivos e até cervejarias.

A cor escolhida para a fita de alerta contra o câncer de próstata é o azul claro, assim como o branco refere-se ao câncer de pulmão, o amarelo ao osteossarcoma (tumor maligno nos ossos), o rosa ao câncer de mama, dentre outros.

O câncer de próstata é a segunda causa mais frequente de mortes em homens no Brasil. Em todo o mundo é o sexto mais comum, correspondendo a 10% de todos os tumores malignos.

A próstata é uma glândula presente apenas nos homens, localizada à frente do reto e logo abaixo da bexiga. Sua função está relacionada com a fertilidade masculina, pois produz uma substância que compõe o sêmen. A doença que mais afeta a próstata não é o câncer, mas sim, a hiperplasia, que é o seu crescimento exagerado com consequências relativas à micção.

O paciente com hiperplasia prostática pode manifestar dificuldade para urinar ou micções muito frequentes e essas manifestações são vistas principalmente a partir dos 50 anos de idade. Coincidentemente, essa também é a idade na qual o câncer da próstata comumente é diagnosticado.

Ao contrário da hiperplasia, o câncer não causa sintoma algum na fase inicial. Para que o diagnóstico seja suspeitado nessa fase ainda curável da doença, é fundamental que seja feita a avaliação urológica anual, com a dosagem do exame PSA no sangue e a realização do exame da próstata pelo toque retal.

Nos casos em que o urologista detecta alterações significativas em algum desses exames, a biopsia prostática pode então confirmar ou não a presença do tumor. O conceito equivocado de que o rastreamento do câncer de próstata deve ser feito apenas nos pacientes com sintomas é um dos principais focos da campanha Novembro Azul. Quando os sintomas são devidos ao câncer, possivelmente esse homem já apresenta doença avançada, com remotas possibilidades de cura.

Existem casos em que o câncer de próstata se desenvolve muito lentamente, podendo levar muitos anos para poder causar algum dano ao indivíduo. Por outro lado, alguns tumores têm um comportamento mais agressivo e podem levar à morte se não tratados.

O urologista deve avaliar o caso à procura de sinais de agressividade do tumor e discutir abertamente com o paciente as opções de tratamento, que podem inclusive incluir um acompanhamento temporário da doença. O tratamento evoluiu de forma significativa nos últimos anos, com menor agressividade do tratamento cirúrgico e da radioterapia, que são as alternativas de tratamento curativo.

Os possíveis efeitos colaterais, que são principalmente a impotência sexual e a incontinência urinária, são menos frequentes do que no passado e são passíveis de tratamento, quando necessário. O que não se pode ignorar é que o rastreamento do câncer de próstata levou à redução de 40% na mortalidade desse tumor em todo o mundo nos últimos anos, além de ter evitado muito sofrimento. Assim, o que se espera da campanha Novembro Azul é uma conscientização ainda maior e que os homens contem cada vez mais com seus urologistas para gerar saúde e qualidade de vida.

* Daniel Xavier Lima - mestre e doutor em Cirurgia pela UFMG e médico Urologista do Biocor Instituto.



O tempo seco e as alergias

Com uma nova onda de calor chegando aliada ao tempo seco, comum nesta época do ano, as alergias respiratórias ganham força.

Autor: Divulgação

O tempo seco e as alergias

Nutrição e atividade física: saúde do corpo e da mente

A nutrição adequada fornece ao corpo os nutrientes necessários para funcionar corretamente.

Autor: Divulgação

Nutrição e atividade física: saúde do corpo e da mente

Cigarro: eletrônico ou “analógico”, é preciso se livrar dele!

Médicos do Hospital Paulista alertam para as diferentes formas de consumo da nicotina, todas prejudiciais à saúde.

Autor: Divulgação

Cigarro: eletrônico ou “analógico”, é preciso se livrar dele!

Quer envelhecer vivendo mais e melhor?

Então cuide agora da sua pressão arterial.

Autor: Felipe Vecchi

Quer envelhecer vivendo mais e melhor?

Glaucoma atinge milhões de pessoas no país e pode causar a perda de visão

Campanha Maio Verde visa estimular a conscientização sobre o diagnóstico precoce da doença, que tem progressão lenta e assintomática.

Autor: Divulgação

Glaucoma atinge milhões de pessoas no país e pode causar a perda de visão

Desconforto no joelho sem causa aparente?

Problema pode estar no quadril, alerta especialista.

Autor: Divulgação

Desconforto no joelho sem causa aparente?

Transplante capilar: cada paciente é de um jeito

Realizar o transplante capilar é um sonho para muitas pessoas com calvície ou com outros problemas que resultam na queda de cabelo.

Autor: ‌Melina Oliveira

Transplante capilar: cada paciente é de um jeito

O que o seu “catarro” quer dizer?

Especialista explica as principais doenças que podem causar a secreção na garganta e como tratar.

Autor: Divulgação

O que o seu “catarro” quer dizer?

Prevenção cardiovascular: quanto mais cedo melhor!

Em artigo, cardiologista da Unimed Araxá explica a importância de modificar fatores que originam as doenças.

Autor: Dr. Flávio Paes

Prevenção cardiovascular: quanto mais cedo melhor!

Sono ruim aumenta risco de glaucoma em até 20%, diz estudo

Ronco e sonecas durante o dia também aumentam chance de ter um glaucoma.

Autor: Divulgação

Sono ruim aumenta risco de glaucoma em até 20%, diz estudo

O que você precisa saber sobre a doença do beijo

Dr. Ricardo Kores, médico infectologista do HC-UFU responde às principais dúvidas.

Autor: Divulgação

O que você precisa saber sobre a doença do beijo

Nascimento prematuro e autismo: Existe relação?

Neuropediatra e membro do Conselho Científico da ONG Prematuridade.com explica a questão.

Autor: Divulgação

Nascimento prematuro e autismo: Existe relação?