Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Burnout: síndrome envolve sintomas físicos, mentais e emocionais

Burnout: síndrome envolve sintomas físicos, mentais e emocionais

18/01/2024 Prof. Dra. Denise Pará Diniz

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) avalia que 12 bilhões de dias de trabalho são perdidos em decorrência de depressão e ansiedade, o que gera uma perda em torno de US$ 1 trilhão à economia global.

Burnout: síndrome envolve sintomas físicos, mentais e emocionais

Considerada como doença relacionada ao trabalho pelo Ministério da Saúde, desde 2022, a síndrome do esgotamento profissional, conhecida popularmente como Burnout, afeta 30% dos trabalhadores brasileiros, segundo dados da Associação Nacional de Medicina do Trabalho (Anamt). Neste ranking, o Brasil perde apenas para o Japão, cujo índice fica em torno de 70%.

Em decorrência de sua origem, tanto o indivíduo quanto a empresa precisam estar atentos aos sintomas para que o tratamento correto seja realizado imediatamente, a fim de evitar que o distúrbio evolua para um transtorno. Identificar, analisar e reconhecer os sintomas precocemente e procurar ajuda de um profissional de saúde mental pode evitar, por exemplo, um diagnóstico importante de depressão

“O Burnout ou Síndrome do Esgotamento Profissional caracteriza-se por ser um distúrbio psíquico de caráter depressivo, precedido de esgotamento físico e mental intenso. É bastante interessante observarmos a intensidade e a frequência dos sintomas, para estabelecermos diagnósticos diferenciais” afirma a psicóloga credenciada Omint, Prof. Dra. Denise Pará Diniz, especialista em gerenciamento do estresse voltado à saúde e ao trabalho.

Sinais de alerta

Os sintomas são diversos e afetam as áreas mental, física e social, visto que o ser humano é integrado em seus domínios de vida. Isso em tal escala que é capaz de impedir que o indivíduo consiga lidar com situações minimamente estressantes. De acordo com a Dra. Denise, algumas das principais características do Burnout são:

- cansaço excessivo, físico e mental;

- oscilações repentinas de humor;

- dificuldades de concentração;

- sentimentos de derrota e desesperança;

- sentimentos de fracasso e insegurança;

- negatividade constante;

- sentimentos de incompetência.

- mudanças comportamentais;

- irritabilidade

- dores difusas;

- insônia;

- isolamento;

- mudança no apetite;

- alterações na pressão ou batimentos cardíacos;

- problemas gastrointestinais.

Embora muitas pessoas enfrentem rotinas estressantes, nem todas desenvolvem esse quadro exaustivo. Isso ocorre porque a forma como cada indivíduo percebe e lida com os desafios diários pode variar de acordo com fatores ambientais, genéticos, história de vida, percepção, significados, sistema de valores. Questões ambientais, como o suporte social disponível no trabalho e fora dele podem desempenhar um papel crucial na capacidade de enfrentar e lidar com o estresse.

Diante desses fatos, a psicóloga enfatiza que “a percepção individual e as estratégias de ações proativas para acolhimento, identificação, encaminhamento para um profissional de saúde mental e readaptação do colaborador ao trabalho, adotadas pelas organizações têm um papel fundamental na prevenção e no manejo desse esgotamento profissional”.

Importância organizacional no combate ao Burnout

Apesar de a percepção individual do mundo influenciar no nível do estresse, a questão social também é relevante. Exatamente por isso que as empresas têm um papel importante no suporte aos seus funcionários. “O investimento em ações internas de promoção à saúde mental pode auxiliar a prevenir problemas reduzindo os índices de absenteísmo e presenteísmo e, também, criar um ambiente de trabalho positivo, que atrai e retém talentos”, explica a especialista.

“Além de uma estratégia ética, o desenvolvimento de um conjunto de ações empresariais atento aos colaboradores é inteligente para o sucesso a longo prazo da empresa, pois a tendência será de colaboradores que ao se sentirem acolhidos e com sua saúde priorizada, se tornem engajados, motivados, produtivos, aonde os resultados do ponto de vista individual e empresarial serão de excelência”, completa Denise.

Para se ter uma ideia de como o investimento na promoção à saúde nas empresas é importante, dados da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) avalia que 12 bilhões de dias de trabalho são perdidos em decorrência de depressão e ansiedade, o que gera uma perda em torno de 1 trilhão de dólares à economia global.

Para tanto, promover meios para o manejo da saúde e bem-estar fortalece ainda mais a cultura organizacional, combatendo uma rotina de pressão e/ou competição corporativa que podem desencadear em um Burnout. A Omint, por exemplo, oferece Programas de Saúde como o Pontual Mente, um serviço de acolhimento psicológico on-line para alívio de estresse, tensão e angústia de maneira pontual, com profissionais capacitados para atendê-los. Além dele, há outros que podem ser personalizados de acordo com cada demanda. 

* Prof. Dra. Denise Pará Diniz, especialista em gerenciamento do estresse voltado à saúde e ao trabalho.

Para mais informações sobre Burnout clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Tamer Comunicação



Dores nas costas lideram causas de afastamento do trabalho no Brasil

Para ter o benefício por incapacidade temporária, o primeiro passo é procurar um médico especialista.

Autor: Adriana Belintani

Dores nas costas lideram causas de afastamento do trabalho no Brasil

Projeto de Lei quer disponibilizar adrenalina autoinjetável pelo SUS

A proposta será analisada em caráter conclusivo pelas comissões de Saúde; de Finanças e Tributação, de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Autor: Divulgação

Projeto de Lei quer disponibilizar adrenalina autoinjetável pelo SUS

Gastrite: dicas para prevenir e tratar a doença

O Google Trends, um dos sites mais famosos de busca na internet, vem apontando “gastrite” como um dos temas mais pesquisados pelos usuários.

Autor: Divulgação

Gastrite: dicas para prevenir e tratar a doença

Especialistas alertam para cuidados com queimaduras de limão, sol e água-viva

Comuns no verão, essas lesões podem se tornar graves se não tiverem a atenção necessária.

Autor: Divulgação

Especialistas alertam para cuidados com queimaduras de limão, sol e água-viva

Dengue: hidratação com até 6 litros de água pode evitar o tipo hemorrágico

Especialista em Saúde Pública esclarece que uma pessoa pode adoecer quatro vezes com os quatro sorotipos da doença.

Autor: Divulgação

Dengue: hidratação com até 6 litros de água pode evitar o tipo hemorrágico

Menopausa: sintomas, tratamentos e dicas

Ginecologista Loreta Canivilo explica tudo sobre esse período da vida da mulher.

Autor: Divulgação

Menopausa: sintomas, tratamentos e dicas

Crianças e Dengue: como prevenir?

Número de casos é alto entre os pequenos e algumas faixas etárias não podem sequer usar repelentes contra insetos.

Autor: Divulgação

Crianças e Dengue: como prevenir?

Dengue, Chikungunya e Zika: conheça os sintomas de cada doença

“Os sintomas podem ser parecidos, por isso, é importante uma avaliação médica”.

Autor: Divulgação

Dengue, Chikungunya e Zika: conheça os sintomas de cada doença

Maioria dos adultos sofrem com dores ou inchaços após o dia de trabalho

Um estudo recente aponta que uma grande parcela da população adulta relata sentir dores e inchaços após um longo dia de trabalho.

Autor: Divulgação

Maioria dos adultos sofrem com dores ou inchaços após o dia de trabalho

Novo corpo, novo indivíduo, novo eu

A cirurgia desempenha um papel importante na vida dos pacientes pós-bariátrica.

Autor: Simone Barros

Novo corpo, novo indivíduo, novo eu

Queloide: o que é e como evitar?

Queloide é uma condição dermatológica caracterizada pelo crescimento anormal de tecido cicatricial.

Autor: Divulgação

Queloide: o que é e como evitar?

Dor no calcanhar afeta 1 em cada 10 pessoas depois dos 40 anos

A fascite plantar é uma doença caracterizada pela degeneração progressiva da fáscia plantar, tecido que se estende do osso do calcanhar até a planta do pé.

Autor: Divulgação

Dor no calcanhar afeta 1 em cada 10 pessoas depois dos 40 anos