Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Chance de desenvolver terçol aumenta no verão

Chance de desenvolver terçol aumenta no verão

10/01/2023 Dra. Tatiana Nahas

Calor e umidade são condições ideiais para a proliferação de micro-organismos que causam o terçol.

Chance de desenvolver terçol aumenta no verão

A relação do verão com o terçol, uma das doenças oculares mais comuns em todo o mundo, é que o calor e a umidade são condições climáticas propícias para a proliferação de bactérias que podem infectar as pálpebras e causar um terçol.

O terçol é uma infecção bacteriana que atinge as pálpebras. É importante dizer que quase todo mundo vai ter pelo menos um episódio de terçol ao longo da vida.

O terçol se caracterizada por um “bolinha” vermelha que surge nas pálpebras. Essa bolinha causa dor, vermelhidão e calor no local. Com o passar dos dias, surge um ponto de pus nessa bolinha. A lesão, nesse ponto da infecção, lembra um espinha.

Segundo Dra. Tatiana Nahas, oftalmologista especialista em cirurgia plástica ocular, essa bolinha é um abscesso que pode conter uma secreção purulenta devido à infecção. Na maioria dos casos, a infecção é causada pela bactéria Staphylococcus aureus.

Por que é mais comum desenvolver um terçol no verão?

O terçol pode ocorrer em qualquer época do ano, principalmente em pessoas com predisposição.

Entretanto, o verão soma duas condições perfeitas para a proliferação de bactérias: calor e umidade. Nas pálpebras estão localizadas as glândulas Zeis e de Meibômio. A Zeis secreta uma substância oleosa com propriedades antissépticas que ajuda a impedir o crescimento das bactérias.

“Já a glândula de Meibômio produz outras substâncias essenciais para defesa imunológica dos olhos contra bactérias. As altas temperaturas e a umidade podem fazer com que essas glândulas não funcionem adequadamente. Com isso, a defesa dos olhos cai, abrindo as portas para micro-organismos, como o Staphylococcus aureus.  E assim surge o terçol”, explica Dra. Tatiana.

Além do verão, existem outros fatores de risco?

Sim, o verão aumenta o risco de ter um terçol. Mas naturalmente há outros riscos mais importantes como:

  • Ter inflamação crônica nas pálpebras ou meibomite (inflamação das glândulas de Meibômio)
  • Ter dermatite seborreica
  • Ter rosácea
  • Fazer reposição hormonal, principalmente com testosterona
  • Estar na menopausa
  • Ter olho seco
  • Como são feitos o diagnóstico e o tratamento?

    O diagnóstico do terçol é clínico, ou seja, não é preciso fazer nenhum exame. A outra boa notícia é o que terçol é uma doença autolimitada. Isso quer dizer que o terçol melhora ao longo dos dias, em geral sem tratamento.

    Entretanto, o oftalmologista pode recomendar o uso de antibióticos tópicos em casos mais específicos. A principal recomendação é fazer compressas de água morna. Além disso, é totalmente desaconselhável tentar “espremer” o terçol para liberação do pus. Isso pode agravar a infecção.

    Como prevenir o terçol?
  • Evite coçar os olhos, principalmente com as mãos sujas
  • Não utilize colírios de outras pessoas, muito menos sem a prescrição médica
  • Cuidado com maquiagem vencida, pincéis sujos e contaminados
  • Sempre remova a maquiagem e faça a higiene das pálpebras
  • Não use hormônios sem prescrição médica
  • Nos pacientes com blefarite, rosácea e outras doenças que aumentam o risco de desenvolver um terçol, a dica é realizar regularmente a higiene das pálpebras.

    * Dra. Tatiana Nahas, oftalmologista especialista em cirurgia plástica ocular.

    Para mais informações sobre Olhos clique aqui...

    Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

    Fonte: Agência Health



    Especialistas alertam para cuidados com queimaduras de limão, sol e água-viva

    Comuns no verão, essas lesões podem se tornar graves se não tiverem a atenção necessária.

    Autor: Divulgação

    Especialistas alertam para cuidados com queimaduras de limão, sol e água-viva

    Dengue: hidratação com até 6 litros de água pode evitar o tipo hemorrágico

    Especialista em Saúde Pública esclarece que uma pessoa pode adoecer quatro vezes com os quatro sorotipos da doença.

    Autor: Divulgação

    Dengue: hidratação com até 6 litros de água pode evitar o tipo hemorrágico

    Menopausa: sintomas, tratamentos e dicas

    Ginecologista Loreta Canivilo explica tudo sobre esse período da vida da mulher.

    Autor: Divulgação

    Menopausa: sintomas, tratamentos e dicas

    Crianças e Dengue: como prevenir?

    Número de casos é alto entre os pequenos e algumas faixas etárias não podem sequer usar repelentes contra insetos.

    Autor: Divulgação

    Crianças e Dengue: como prevenir?

    Dengue, Chikungunya e Zika: conheça os sintomas de cada doença

    “Os sintomas podem ser parecidos, por isso, é importante uma avaliação médica”.

    Autor: Divulgação

    Dengue, Chikungunya e Zika: conheça os sintomas de cada doença

    Maioria dos adultos sofrem com dores ou inchaços após o dia de trabalho

    Um estudo recente aponta que uma grande parcela da população adulta relata sentir dores e inchaços após um longo dia de trabalho.

    Autor: Divulgação

    Maioria dos adultos sofrem com dores ou inchaços após o dia de trabalho

    Novo corpo, novo indivíduo, novo eu

    A cirurgia desempenha um papel importante na vida dos pacientes pós-bariátrica.

    Autor: Simone Barros

    Novo corpo, novo indivíduo, novo eu

    Queloide: o que é e como evitar?

    Queloide é uma condição dermatológica caracterizada pelo crescimento anormal de tecido cicatricial.

    Autor: Divulgação

    Queloide: o que é e como evitar?

    Dor no calcanhar afeta 1 em cada 10 pessoas depois dos 40 anos

    A fascite plantar é uma doença caracterizada pela degeneração progressiva da fáscia plantar, tecido que se estende do osso do calcanhar até a planta do pé.

    Autor: Divulgação

    Dor no calcanhar afeta 1 em cada 10 pessoas depois dos 40 anos

    O calor passa, uma cicatriz, não!

    O verão, conhecido pela temporada de férias, altas temperaturas e dias ensolarados, pode ser uma estação interessante para quem está considerando passar por uma cirurgia plástica.

    Autor: ‌Felipe Villaça

    O calor passa, uma cicatriz, não!

    Cinco formas de lidar com a enxaqueca no dia a dia

    Doença está entre as complicações mais incapacitantes do mundo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde.

    Autor:  Dra. Jackeline Barbosa

    Cinco formas de lidar com a enxaqueca no dia a dia

    Ipsemg passará a oferecer serviço de assistência domiciliar

    Instituto está com edital aberto para a contratação de prestadores para o serviço.

    Autor: Divulgação