Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Como combater alguns distúrbios do sono

Como combater alguns distúrbios do sono

14/01/2020 Divulgação

Problemas para dormir afetam mais de 73 milhões de brasileiros. Saiba como melhorar a qualidade do repouso.

Como combater alguns distúrbios do sono

Acordar, voltar a dormir, levantar, deitar de novo e rolar na cama até o sol nascer. Esse é o ciclo de noites de muitos brasileiros que não conseguem aproveitar as horas de sono com qualidade. De acordo com a Associação Brasileira do Sono (ABS), 73 milhões de pessoas no Brasil sofrem de insônia. Dados reunidos pelo Instituto do Sono de São Paulo mostram um grande crescimento, de 38% para 69%, da população que tem apneia, em análise de 2007 até 2017, o que reforça a relevância do problema.

Dormir bem durante toda a noite é essencial para manter a saúde e a qualidade de vida de qualquer pessoa, é o que destaca Renata Federighi, Consultora do Sono da Duoflex . "Ela ajuda a prevenir doenças, regula nossos hormônios e metabolismo, melhora o humor, além de aumentar a concentração e a memória durante o dia", afirma.

Com tantos benefícios, os cuidados na hora de dormir devem ser redobrados, principalmente quando se refere aos distúrbios do sono. A especialista explica sobre alguns desses problemas e como adotar certos cuidados podem evitar ou amenizar os sintomas.

• Insônia

Um dos distúrbios mais comuns é a insônia. Caracterizada pela dificuldade em iniciar e manter o sono, ela pode surgir como consequência de outras doenças ou alterações hormonais, além de surgir de forma isolada, em alguns casos. "Outros fatores podem desencadear os sintomas da doença, como a ingestão de cafeína e álcool, o uso de tabaco, diuréticos e alguns antidepressivos. Hábitos inadequados antes de dormir também podem prejudicar a qualidade do descanso, como fazer uma refeição muito pesada e não ter uma rotina e horário para deitar", explica a consultora.

Para ajudar a combater a insônia, Renata reforça a importância de fazer a chamada higiene do sono, que ajuda a agilizar o processo de dormir com qualidade. "Adotar alguns hábitos são essenciais para melhorar as horas dormidas, como procurar deitar e acordar no mesmo horário, não ir para cama sem estar cansado, usar um travesseiro adequado ao seu biotipo e postura escolhida para o sono, ter cuidados com a alimentação e bebidas energéticas, usar o quarto apenas para o repouso, não assistir TV e não usar aparelhos eletrônicos na cama", completa.

• Apneia do sono

Outro distúrbio cada vez mais conhecido entre os brasileiros é a síndrome da apneia obstrutiva do sono (SAOS), que é uma interrupção na respiração durante o descanso. As vias aéreas são bloqueadas impedindo o repouso apropriado. "Alguns comportamentos podem agravar o aparecimento desses episódios, como o consumo de bebida alcóolica, tabaco e dormir de barriga para cima. Além disso, a obesidade é um fator que agrava os episódios", comenta a especialista.

Nesse caso, a orientação está ligada com cuidados com a saúde do corpo. Atitudes como perder peso, dormir de lado com o travesseiro correto, evitar ingerir bebidas alcóolicas e não fumar serão aliados fortes para diminuir a ocorrência da apneia durante as horas de sono. Além é claro, de consultar um médico.

• Sonambulismo e as outras parassonias

Apesar das parassonias serem mais comuns na infância e sumirem na adolescência, elas podem afetar adultos também. Mas o que é esse distúrbio? Eles são transtornos episódicos que ocorrem na fase do sono, identificados por um despertar parcial que desencadeia movimentos motores anormais, como caminhar ou conversar. Os distúrbios mais comuns são o sonambulismo, terror noturno e despertar confusional.

De acordo com a consultora, algumas medidas de segurança podem ser necessárias, a fim de evitar acidentes de maior gravidade com a criança ou o adulto, como manter portas trancadas, proteger janelas com redes de proteção, dentre outras. Normalmente, o sonambulismo desaparece com o passar dos anos, no entanto, caso os episódios se tornem contínuos e acentuados é importante buscar ajuda médica.

• Síndrome das pernas inquietas

Sabe aquela vontade incontrolável de movimentar as pernas durante o repouso? Ela também é um distúrbio que afeta a qualidade do descanso. Períodos de estresse e a ingestão de substâncias estimulantes, como álcool e café, agravam os sintomas. "Além de evitar consumir essas bebidas, a prática de exercícios físicos ajudam a diminuir o desconforto", explica.

• Bruxismo

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 30% da população mundial sofre com o bruximo, somente no Brasil esse número chega a 40%. O distúrbio consiste no ato de ranger e aperta os dentes de forma inconsciente enquanto se dorme, causando dores na mandíbula e cabeça, que acabam gerando pequenos despertares.

"Em casos de bruxismo é importante o acompanhamento de um profissional da saúde, que geralmente vai indicar o uso de uma placa estabilizadora. Porém, técnicas de relaxamento vão ajudar a diminuir os sintomas do transtorno", aconselha Renata.

Além disso, a especialista indica alguns cuidados que podem ser seguidos para melhorar as noites de sono de qualquer pessoa, mesmo as que tem algum desses distúrbios. "Tente dormir ao menos oito horas por dia, utilize travesseiros e colchões adequados para manter a disciplina postural, tome um banho morno antes de deitar para relaxar, evite o uso de aparelhos eletrônicos, mantenha o ambiente arejado, silencioso e o mais escuro possível e faça refeições leves antes de ir para a cama", completa a consultora da Duoflex.

Fonte: Duoflex



Por que as crianças sofrem mais com infecções no nariz, ouvidos e garganta?

Diagnóstico e tratamento precoces são essenciais para impedir a recorrência dos problemas.

Por que as crianças sofrem mais com infecções no nariz, ouvidos e garganta?

Insegurança alimentar grave atinge 10,3 milhões de brasileiros

Segundo IBGE, 10,3 milhões de pessoas residem em domicílios com insegurança alimentar grave.

Insegurança alimentar grave atinge 10,3 milhões de brasileiros

Vacinas, suas controvérsias e o mundo em pandemia

Temos pesquisadores do mundo todo, aliando forças em prol da produção de uma vacina em tempo recorde.

Vacinas, suas controvérsias e o mundo em pandemia

Má postura no trabalho é a principal causa de cervicalgia

Dados da Sociedade Brasileira de Estudo da Dor (SBED), de 30 a 50% da população sofre de cervicalgia.

Má postura no trabalho é a principal causa de cervicalgia

O transtorno de ansiedade

Você sabia que a ansiedade é biológica?

O transtorno de ansiedade

Número de doações de medula óssea cai 30% devido à pandemia

Campanha Setembro Verde chama atenção para importância da doação.

Número de doações de medula óssea cai 30% devido à pandemia

Uso excessivo do celular pode causar dores e inflamação dos dedos

Doença chamada de tenossinovite ficou conhecida como "WhatsAppinite".

Uso excessivo do celular pode causar dores e inflamação dos dedos

Campanha Setembro Amarelo conscientiza população sobre o suicídio

Campanha levanta a importância da ampla divulgação da temática com o foco na prevenção para a redução dos casos de suicídio.

Campanha Setembro Amarelo conscientiza população sobre o suicídio

Teste americano que detecta coronavírus em sete minutos chega ao Brasil

Teste é capaz de identificar o vírus ativo no organismo a partir do terceiro dia de contato com infectados e após a manifestação dos sintomas.

Teste americano que detecta coronavírus em sete minutos chega ao Brasil

Por que há idosos que se curam da Covid-19 enquanto jovens morrem?

Médico geriatra, nutrólogo e cardiologista Juliano Burckhardt faz uma análise da complexa e intrincada rede envolvida na imunidade do organismo no combate ao novo coronavírus.

Por que há idosos que se curam da Covid-19 enquanto jovens morrem?

Amamentação não deve ser interrompida por mães infectadas pela COVID-19

A enfermeira Katherine Maurente elenca medidas que devem ser tomas para evitar a contaminação para o bebê.

Amamentação não deve ser interrompida por mães infectadas pela COVID-19

Quatro gatilhos mentais que estão te impedindo de emagrecer

A mente pode ser tanto uma aliada quanto uma vilã quando o assunto é reeducação alimentar, por isso, ela deve ser a primeira a ser reprogramada para atingir o objetivo desejado.

Quatro gatilhos mentais que estão te impedindo de emagrecer