Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Conjuntivite alérgica pode afetar até 60% das pessoas atópicas e 20% da população

Conjuntivite alérgica pode afetar até 60% das pessoas atópicas e 20% da população

06/06/2022 Henri Navesuh

Em suas formas mais graves, as conjuntivites alérgicas podem causar danos na córnea e ameaçar a visão.

Conjuntivite alérgica pode afetar até 60% das pessoas atópicas e 20% da população

Sabe aquela coceira incontrolável no olho que vem acompanhada de uma vermelhidão que não melhora?

Esses são os primeiros sinais da conjuntivite alérgica. O que poucas pessoas sabem é que há diferentes tipos de conjuntivite de origem alérgica e que algumas delas precisam de uma atenção especial. 

Segundo a oftalmologista Dra. Tatiana Nahas, embora a maioria dos casos de alergia ocular tem um desfecho sem complicações, é preciso estar atento às formas mais graves, principalmente quando o processo inflamatório atinge também a córnea.

 “Na ceratoconjuntivite, a inflamação afeta a conjuntiva e a córnea. A partir disso, há um risco maior de ocorrer lesões como cicatrizes, úlceras ou ainda o crescimento de vasos sanguíneos anormais na superfície corneana”.

Coceira e vermelhidão são os principais sintomas
Embora haja diferentes tipos de conjuntivite alérgica, todas têm em comum a coceira e a vermelhidão. “A conjuntivite alérgica sazonal é a mais comum. Normalmente, ocorre mais na primavera e no verão. Isso porque nessas estações há uma quantidade maior de pólen no ar”, diz Dra. Tatiana.

Por outro lado, nos meses do outono e inverno o ar fica mais seco e, como resultado, há uma maior quantidade de agentes alérgenos suspensos no ar. Entre eles podemos citar o pó, poluição e ácaros.

A conjuntivite alérgica pode se tornar perene, ou seja, crônica. Nessas formas, é provável que a pessoa apresente simultaneamente crises de asma, rinite e dermatite.

A rinite afeta, aproximadamente, 20% da população e cerca de 57% dos pacientes com rinite sofrem de sintomas oculares. Contudo, ter rinite não é um pré-requisito para a conjuntivite alérgica.

Tratamento pode ser longo
Em relação ao tratamento, Dra. Tatiana adverte que o paciente não deve usar colírios por conta própria, em nenhuma hipótese.

“Quando a vermelhidão e a coceira não desaparecem, é preciso procurar um oftalmologista. Nas conjuntivites alérgicas, precisamos identificar o que está causando a alergia para poder tratar da melhor maneira. Além disso, o tratamento pode ser prolongado nos casos mais crônicos”, reforça.

O diagnóstico e o tratamento precoce de um quadro de conjuntivite alérgica são fundamentais para evitar o agravamento da condição em relação aos danos que podem ocorrer na córnea e nas pálpebras.

Para mais informações sobre conjuntivite clique aqui.

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Agência Health



Especialistas alertam para cuidados com queimaduras de limão, sol e água-viva

Comuns no verão, essas lesões podem se tornar graves se não tiverem a atenção necessária.

Autor: Divulgação

Especialistas alertam para cuidados com queimaduras de limão, sol e água-viva

Dengue: hidratação com até 6 litros de água pode evitar o tipo hemorrágico

Especialista em Saúde Pública esclarece que uma pessoa pode adoecer quatro vezes com os quatro sorotipos da doença.

Autor: Divulgação

Dengue: hidratação com até 6 litros de água pode evitar o tipo hemorrágico

Menopausa: sintomas, tratamentos e dicas

Ginecologista Loreta Canivilo explica tudo sobre esse período da vida da mulher.

Autor: Divulgação

Menopausa: sintomas, tratamentos e dicas

Crianças e Dengue: como prevenir?

Número de casos é alto entre os pequenos e algumas faixas etárias não podem sequer usar repelentes contra insetos.

Autor: Divulgação

Crianças e Dengue: como prevenir?

Dengue, Chikungunya e Zika: conheça os sintomas de cada doença

“Os sintomas podem ser parecidos, por isso, é importante uma avaliação médica”.

Autor: Divulgação

Dengue, Chikungunya e Zika: conheça os sintomas de cada doença

Maioria dos adultos sofrem com dores ou inchaços após o dia de trabalho

Um estudo recente aponta que uma grande parcela da população adulta relata sentir dores e inchaços após um longo dia de trabalho.

Autor: Divulgação

Maioria dos adultos sofrem com dores ou inchaços após o dia de trabalho

Novo corpo, novo indivíduo, novo eu

A cirurgia desempenha um papel importante na vida dos pacientes pós-bariátrica.

Autor: Simone Barros

Novo corpo, novo indivíduo, novo eu

Queloide: o que é e como evitar?

Queloide é uma condição dermatológica caracterizada pelo crescimento anormal de tecido cicatricial.

Autor: Divulgação

Queloide: o que é e como evitar?

Dor no calcanhar afeta 1 em cada 10 pessoas depois dos 40 anos

A fascite plantar é uma doença caracterizada pela degeneração progressiva da fáscia plantar, tecido que se estende do osso do calcanhar até a planta do pé.

Autor: Divulgação

Dor no calcanhar afeta 1 em cada 10 pessoas depois dos 40 anos

O calor passa, uma cicatriz, não!

O verão, conhecido pela temporada de férias, altas temperaturas e dias ensolarados, pode ser uma estação interessante para quem está considerando passar por uma cirurgia plástica.

Autor: ‌Felipe Villaça

O calor passa, uma cicatriz, não!

Cinco formas de lidar com a enxaqueca no dia a dia

Doença está entre as complicações mais incapacitantes do mundo, segundo dados da Organização Mundial de Saúde.

Autor:  Dra. Jackeline Barbosa

Cinco formas de lidar com a enxaqueca no dia a dia

Ipsemg passará a oferecer serviço de assistência domiciliar

Instituto está com edital aberto para a contratação de prestadores para o serviço.

Autor: Divulgação