Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Deficiência de ferro: quais as consequências a longo prazo?

Deficiência de ferro: quais as consequências a longo prazo?

20/12/2023 Dra. Natália Dr. Gilberto, Dr. Raphael

Especialistas explicam como o organismo funciona quando há irregularidades na quantidade do mineral no organismo.

Deficiência de ferro: quais as consequências a longo prazo?

O ferro tem funções importantes no organismo, como na produção de hemoglobinas para o transporte de oxigênio, no sistema imunológico e nas funções cognitivas. A deficiência desse mineral é um problema de saúde prevalente e muitas vezes subestimado, contudo, pode causar danos significativos a longo prazo. 

Mulheres em fase de reprodução, lactantes, adolescentes e crianças até 5 anos são alguns dos principais grupos atingidos pela doença.

Entendendo a deficiência de ferro e suas causas

O Dr. Gilberto Kobashikawa, endocrinologista do Hospital Albert Sabin (HAS), enfatiza que tanto a escassez quanto o excesso de ferro podem afetar o funcionamento do sistema imunológico. Em contextos infecciosos, a privação de ferro para patógenos é uma estratégia do corpo para se defender. Por isso, em casos de infecções, a reposição desse nutriente não é recomendada. No entanto, os mecanismos exatos de como a deficiência de ferro influencia a resposta imunológica ainda não estão completamente compreendidos.

“Existem diversas causas para a deficiência de ferro, desde baixa ingestão alimentar até perdas anormais de sangue, complicações gastrointestinais e condições médicas específicas. Identificar precocemente os indivíduos em risco de anemia por deficiência de ferro é crucial para prevenir complicações futuras”, explica o Dr. Kobashikawa.

Perspectiva da obstetrícia e ginecologia

Em outra especialidade, o Dr. Raphael Gomes, ginecologista do HAS, destaca que a deficiência de ferro durante a gravidez pode acarretar complicações tanto para a mãe quanto para o feto. “Além de aumentar o risco de anemia, essa carência pode resultar em parto prematuro, baixo peso ao nascer e problemas no desenvolvimento fetal. Mulheres com menstruação intensa, distúrbios gastrointestinais ou condições médicas crônicas devem estar especialmente atentas aos níveis de ferro no organismo”, diz o médico.

Ele também ressalta que a deficiência do mineral pode estar relacionada a questões ginecológicas, como menstruação intensa e irregularidades no ciclo. Os períodos menstruais prolongados podem resultar em perda excessiva de sangue, levando à anemia.

Consequências e impactos a longo prazo

Os efeitos abrangem diversos sistemas do corpo humano. No circulatório, pode-se observar um aumento na frequência cardíaca e maior risco de problemas cardiovasculares. No sistema imunológico, a vulnerabilidade a infecções é aumentada. Já no sistema nervoso, sintomas como dificuldade de concentração, falta de energia e alterações de humor podem surgir.

A Dra. Natália Morales de Camargo, endocrinologista do HAS, alerta para os danos potenciais causados pela deficiência crônica de ferro. “A longo prazo, essa condição pode resultar em anemia, impactar o desenvolvimento infantil, aumentar o risco de doenças cardiovasculares e complicar a gravidez”, adverte a médica.

A deficiência de ferro é uma condição tratável, mas que demanda atenção e cuidados especializados. O diagnóstico precoce é essencial para evitar complicações a longo prazo. Consultar um profissional de saúde é crucial para uma avaliação detalhada e o estabelecimento de um plano de tratamento adequado.

“Em suma, estar ciente dos fatores de risco, realizar exames regulares e buscar orientação médica diante de quaisquer sintomas são passos fundamentais para mitigar os efeitos adversos da deficiência de ferro e preservar a saúde a longo prazo”, conclui a Dra. Natália.

* Dra. Natália Morales de Camargo, endocrinologista do HAS.

* Dr. Gilberto Kobashikawa, endocrinologista do Hospital Albert Sabin (HAS).

* Dr. Raphael Gomes, ginecologista do HAS.

Para mais informações sobre anemia clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: MCAtrês Assessoria em Comunicação e Marketing



O tempo seco e as alergias

Com uma nova onda de calor chegando aliada ao tempo seco, comum nesta época do ano, as alergias respiratórias ganham força.

Autor: Divulgação

O tempo seco e as alergias

Nutrição e atividade física: saúde do corpo e da mente

A nutrição adequada fornece ao corpo os nutrientes necessários para funcionar corretamente.

Autor: Divulgação

Nutrição e atividade física: saúde do corpo e da mente

Cigarro: eletrônico ou “analógico”, é preciso se livrar dele!

Médicos do Hospital Paulista alertam para as diferentes formas de consumo da nicotina, todas prejudiciais à saúde.

Autor: Divulgação

Cigarro: eletrônico ou “analógico”, é preciso se livrar dele!

Quer envelhecer vivendo mais e melhor?

Então cuide agora da sua pressão arterial.

Autor: Felipe Vecchi

Quer envelhecer vivendo mais e melhor?

Glaucoma atinge milhões de pessoas no país e pode causar a perda de visão

Campanha Maio Verde visa estimular a conscientização sobre o diagnóstico precoce da doença, que tem progressão lenta e assintomática.

Autor: Divulgação

Glaucoma atinge milhões de pessoas no país e pode causar a perda de visão

Desconforto no joelho sem causa aparente?

Problema pode estar no quadril, alerta especialista.

Autor: Divulgação

Desconforto no joelho sem causa aparente?

Transplante capilar: cada paciente é de um jeito

Realizar o transplante capilar é um sonho para muitas pessoas com calvície ou com outros problemas que resultam na queda de cabelo.

Autor: ‌Melina Oliveira

Transplante capilar: cada paciente é de um jeito

O que o seu “catarro” quer dizer?

Especialista explica as principais doenças que podem causar a secreção na garganta e como tratar.

Autor: Divulgação

O que o seu “catarro” quer dizer?

Prevenção cardiovascular: quanto mais cedo melhor!

Em artigo, cardiologista da Unimed Araxá explica a importância de modificar fatores que originam as doenças.

Autor: Dr. Flávio Paes

Prevenção cardiovascular: quanto mais cedo melhor!

Sono ruim aumenta risco de glaucoma em até 20%, diz estudo

Ronco e sonecas durante o dia também aumentam chance de ter um glaucoma.

Autor: Divulgação

Sono ruim aumenta risco de glaucoma em até 20%, diz estudo

O que você precisa saber sobre a doença do beijo

Dr. Ricardo Kores, médico infectologista do HC-UFU responde às principais dúvidas.

Autor: Divulgação

O que você precisa saber sobre a doença do beijo

Nascimento prematuro e autismo: Existe relação?

Neuropediatra e membro do Conselho Científico da ONG Prematuridade.com explica a questão.

Autor: Divulgação

Nascimento prematuro e autismo: Existe relação?