Portal O Debate
Grupo WhatsApp

É hora de se preocupar com a dengue

É hora de se preocupar com a dengue

06/05/2023 Dr. Leandro Curi

A junção de água parada com calor e sombra costuma ser a fórmula perfeita para a proliferação do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue e da chikungunya.

É hora de se preocupar com a dengue

Por isso, quando a temperatura cai, a partir do outono, nem todo mundo dá tanta atenção assim para o mosquito quanto no verão. Mas a verdade é que os riscos de haver uma reprodução em massa do mosquito ocorrem o ano inteiro.

Isso porque o inseto transmissor tem a capacidade de sobreviver também ao frio. Além disso, a fêmea do Aedes costuma depositar os ovos no período de maior estiagem, e assim que as chuvas se iniciam eles brotam, fazendo nascer novos mosquitos. É um erro, portanto, despreocupar-se com os mosquitos na época em que as chances de contrair essas doenças são menores.

De acordo com o Ministério da Saúde, o período de maior transmissão da dengue ocorre justamente nos meses mais chuvosos, entre novembro e maio. Mas o próprio órgão reforça o alerta sobre a capacidade de os ovos conseguirem sobreviver pelo período de um ano no ambiente mais frio. É exatamente isso que chama a atenção agora, no fim de abril.

De fato, o número de casos de dengue e de chikungunya tende a diminuir com o fim das chuvas, mas agora é o momento exato de se montar uma força-tarefa para combater os ovos e as larvas em águas paradas, que daqui a alguns meses poderão se transformar na ameaça do próximo verão. Os cuidados, portanto, devem ser permanentes.

A principal regra é não deixar água parada em recipientes como pneus velhos, caixas d’água, vasos de plantas, garrafas e baldes. A orientação é de sempre mantê-los limpos e secos, e, no caso das caixas d’água e das garrafas, deixar esses recipientes completamente vedados com uma tampa. O repelente para mosquito e o uso de roupas mais longas também servem para evitar a contaminação. Mas vale lembrar que estamos falando de prevenção à proliferação do mosquito, e assim evitar que ele apareça e seja necessário se proteger com essas armas.

Outra forma de combater as larvas é jogando água sanitária semanalmente nas poças onde haja o risco de proliferação. Mas todas essas medidas só terão resultados efetivos se toda a comunidade participar das ações contra o Aedes aegypti. Não adianta exterminar um foco enquanto outros tantos lugares ainda insistem em dar espaço para o mosquito. É o trabalho conjunto, aliado ao empenho do próprio poder público, que conseguirá diminuir o número de casos. Mais uma vez, é a consciência popular o ingrediente principal na receita para eliminar a dengue.

Muito além do coletivo, há também medicamentos que combatem a doença, mas o ideal mesmo é prevenir a disseminação do Aedes Aegypti. Hoje existe uma vacina que parece ter boa eficácia contra a dengue, mas ainda não está distribuída para o grande público. Esse imunizante pode cessar o grande nível de acometimento da dengue, mas até que esteja disponível, dizimar os focos do mosquito é a medida mais segura e adequada.

* Dr. Leandro Curi, médico infectologista do Hospital Felício Rocho.

Para mais informações sobre dengue clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp



Quer envelhecer vivendo mais e melhor?

Então cuide agora da sua pressão arterial.

Autor: Felipe Vecchi

Quer envelhecer vivendo mais e melhor?

Glaucoma atinge milhões de pessoas no país e pode causar a perda de visão

Campanha Maio Verde visa estimular a conscientização sobre o diagnóstico precoce da doença, que tem progressão lenta e assintomática.

Autor: Divulgação

Glaucoma atinge milhões de pessoas no país e pode causar a perda de visão

Desconforto no joelho sem causa aparente?

Problema pode estar no quadril, alerta especialista.

Autor: Divulgação

Desconforto no joelho sem causa aparente?

Transplante capilar: cada paciente é de um jeito

Realizar o transplante capilar é um sonho para muitas pessoas com calvície ou com outros problemas que resultam na queda de cabelo.

Autor: ‌Melina Oliveira

Transplante capilar: cada paciente é de um jeito

O que o seu “catarro” quer dizer?

Especialista explica as principais doenças que podem causar a secreção na garganta e como tratar.

Autor: Divulgação

O que o seu “catarro” quer dizer?

Prevenção cardiovascular: quanto mais cedo melhor!

Em artigo, cardiologista da Unimed Araxá explica a importância de modificar fatores que originam as doenças.

Autor: Dr. Flávio Paes

Prevenção cardiovascular: quanto mais cedo melhor!

O tempo seco e as alergias

Com uma nova onda de calor chegando aliada ao tempo seco, comum nesta época do ano, as alergias respiratórias ganham força.

Autor: Divulgação

O tempo seco e as alergias

Sono ruim aumenta risco de glaucoma em até 20%, diz estudo

Ronco e sonecas durante o dia também aumentam chance de ter um glaucoma.

Autor: Divulgação

Sono ruim aumenta risco de glaucoma em até 20%, diz estudo

O que você precisa saber sobre a doença do beijo

Dr. Ricardo Kores, médico infectologista do HC-UFU responde às principais dúvidas.

Autor: Divulgação

O que você precisa saber sobre a doença do beijo

Nascimento prematuro e autismo: Existe relação?

Neuropediatra e membro do Conselho Científico da ONG Prematuridade.com explica a questão.

Autor: Divulgação

Nascimento prematuro e autismo: Existe relação?

7 fatos que você precisa saber antes de cogitar uma plástica

49,5% dos profissionais processados por erros médicos não tinham certificados em cirurgia plástica.

Autor: Divulgação

7 fatos que você precisa saber antes de cogitar uma plástica

Frutose, álcool e café: qual relação com a gordura no fígado?

Endocrinologista responde a dez dúvidas sobre a esteatose hepática.

Autor: Dra. Marília Bortolotto

Frutose, álcool e café: qual relação com a gordura no fígado?