Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Esporte é mesmo sinônimo de saúde?

Esporte é mesmo sinônimo de saúde?

02/08/2021 Zair Candido de Oliveira Netto

Enquanto cabeça, tronco e membros se movimentam, o gasto calórico causa transformações no organismo humano.

Esporte é mesmo sinônimo de saúde?

Rompimentos, torções, sobrecargas, distensões. A carreira de um atleta de alto rendimento costuma ter muitos desses substantivos dolorosos. Em busca de superar limites, esses seres humanos quase deuses, muitas vezes não conseguem evitar que as lesões assombrem seus sonhos dourados. O estresse não é apenas físico, mas também emocional. Quando Simone Biles, considerada por muitos a maior ginasta de todos os tempos, desiste de competir em nome de sua saúde mental, é porque seu corpo jovem já ultrapassou há muito a tênue linha que divide as conquistas dos traumas. E a norte-americana é apenas o exemplo mais recente que prova: o esporte nem sempre é sinônimo de saúde.

Ao longo dos séculos, a humanidade vem organizando a atividade física, necessária para a manutenção do bem-estar, sob diferentes regras, padrões e metodologias. A esse conjunto de normas dá-se o nome de esporte. Enquanto cabeça, tronco e membros se movimentam, o gasto calórico causa transformações no organismo humano. Mexer-se é desenvolver uma melhor condição cardiorrespiratória, potencializar o metabolismo, fortalecer a musculatura e a estrutura óssea, estimular o sistema hormonal. Tudo isso é muito bem-vindo e promove a saúde física e mental. No entanto, no caso de esportistas profissionais, o objetivo é outro.

Ser o primeiro é a finalidade primordial para quem tem o esporte como profissão. Afinal, como em qualquer profissão, entregar bons resultados é o que traz reconhecimento. A rotina de atletas de alto rendimento tem mais a ver com performance do que com saúde. E, para atingir as ambiciosas metas estabelecidas, muitas vezes os quesitos da saúde são extrapolados. Ganhar medalhas, vencer torneios e campeonatos e manter-se no topo de rankings são resultados almejados por qualquer atleta profissional. Embora gerem melhorias para o organismo, esses propósitos aumentam o risco de sofrer lesões.

A dor é uma constante na vida de quem deseja ir além do que outros já foram. Atletas de alto rendimento treinam muitas vezes na semana, durante horas seguidas, impondo a seus corpos cargas muito intensas. O overtraining pode causar lesões que comprometem carreiras para sempre e, para evitar um impacto demasiado grande em músculos, articulações, ossos e tendões, uma equipe complexa de profissionais orienta e monitora os movimentos. Fisioterapeutas se somam a educadores físicos, que, por sua vez, trabalham em sintonia com nutricionistas, que acompanham toda uma horda de psicólogos e médicos de várias especialidades. A ciência contemporânea é capaz de prevenir grande parte dos problemas que, há poucos anos, atormentavam os atletas. Mesmo assim, há um limite que não pode ser ultrapassado. E, às vezes, é exatamente ali que está a pequena lacuna que impede alguém de se tornar um campeão.

Fernando Pessoa dizia o que muitos esportistas aplicam sem notar: “Quem quer passar além do Bojador / tem que passar além da dor”. É aí que mora o risco. Não importa quanto acompanhamento se tem, o excesso é sempre muito perigoso - e pode até mesmo levar à morte ou a sequelas irreversíveis. Na última edição da Eurocopa, o jogador da Dinamarca Christian Eriksen teve uma parada cardíaca em campo. Mesmo sendo a grande estrela da seleção de seu país e da Inter de Milão, constantemente avaliado por toda uma estrutura médica e profissional, ninguém conseguiu prever o que estava para acontecer naquele dia. O nível que se exige hoje nos esportes de alto rendimento é muito alto e, muitas vezes, a intensidade dos treinamentos é superior à capacidade do atleta.

E não importa se o drama é físico, como o do dinamarquês, ou psicológico, como o de Biles. Os problemas causados por ir além dos próprios limites são igualmente graves. É um sprint, um arranque, um levantamento, ou uma puxada em um momento decisivo, que pode trazer consequências com as quais será necessário conviver por muito tempo. Para que o esporte seja igual a saúde, é preciso respeitar o corpo como se respeitam as regras de cada competição.

* Zair Candido de Oliveira Netto, doutor em Ciências da Saúde e coordenador do curso de Educação Física da Universidade Positivo.

Para mais informações sobre Esportes clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Central Press



Dores nas costas lideram causas de afastamento do trabalho no Brasil

Para ter o benefício por incapacidade temporária, o primeiro passo é procurar um médico especialista.

Autor: Adriana Belintani

Dores nas costas lideram causas de afastamento do trabalho no Brasil

Projeto de Lei quer disponibilizar adrenalina autoinjetável pelo SUS

A proposta será analisada em caráter conclusivo pelas comissões de Saúde; de Finanças e Tributação, de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Autor: Divulgação

Projeto de Lei quer disponibilizar adrenalina autoinjetável pelo SUS

Gastrite: dicas para prevenir e tratar a doença

O Google Trends, um dos sites mais famosos de busca na internet, vem apontando “gastrite” como um dos temas mais pesquisados pelos usuários.

Autor: Divulgação

Gastrite: dicas para prevenir e tratar a doença

Especialistas alertam para cuidados com queimaduras de limão, sol e água-viva

Comuns no verão, essas lesões podem se tornar graves se não tiverem a atenção necessária.

Autor: Divulgação

Especialistas alertam para cuidados com queimaduras de limão, sol e água-viva

Dengue: hidratação com até 6 litros de água pode evitar o tipo hemorrágico

Especialista em Saúde Pública esclarece que uma pessoa pode adoecer quatro vezes com os quatro sorotipos da doença.

Autor: Divulgação

Dengue: hidratação com até 6 litros de água pode evitar o tipo hemorrágico

Menopausa: sintomas, tratamentos e dicas

Ginecologista Loreta Canivilo explica tudo sobre esse período da vida da mulher.

Autor: Divulgação

Menopausa: sintomas, tratamentos e dicas

Crianças e Dengue: como prevenir?

Número de casos é alto entre os pequenos e algumas faixas etárias não podem sequer usar repelentes contra insetos.

Autor: Divulgação

Crianças e Dengue: como prevenir?

Dengue, Chikungunya e Zika: conheça os sintomas de cada doença

“Os sintomas podem ser parecidos, por isso, é importante uma avaliação médica”.

Autor: Divulgação

Dengue, Chikungunya e Zika: conheça os sintomas de cada doença

Maioria dos adultos sofrem com dores ou inchaços após o dia de trabalho

Um estudo recente aponta que uma grande parcela da população adulta relata sentir dores e inchaços após um longo dia de trabalho.

Autor: Divulgação

Maioria dos adultos sofrem com dores ou inchaços após o dia de trabalho

Novo corpo, novo indivíduo, novo eu

A cirurgia desempenha um papel importante na vida dos pacientes pós-bariátrica.

Autor: Simone Barros

Novo corpo, novo indivíduo, novo eu

Queloide: o que é e como evitar?

Queloide é uma condição dermatológica caracterizada pelo crescimento anormal de tecido cicatricial.

Autor: Divulgação

Queloide: o que é e como evitar?

Dor no calcanhar afeta 1 em cada 10 pessoas depois dos 40 anos

A fascite plantar é uma doença caracterizada pela degeneração progressiva da fáscia plantar, tecido que se estende do osso do calcanhar até a planta do pé.

Autor: Divulgação

Dor no calcanhar afeta 1 em cada 10 pessoas depois dos 40 anos