Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Obesidade, sobrepeso e os males sociais

Obesidade, sobrepeso e os males sociais

10/12/2019 Henrique Eloy

A obesidade e o sobrepeso devem ser pensados como problemas de saúde pública e como tal devem ser tratados desde a sua prevenção.

Obesidade, sobrepeso e os males sociais

O relatório The Heavy Burden of Obesity – The Economics of Prevention (O pesado fardo da obesidade - A economia da prevenção, em tradução livre), divulgado em outubro de 2019, pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), apresentou dados expressivos e preocupantes relativos ao excesso de peso no Brasil. A pesquisa apontou que a população brasileira com sobrepeso tende a viver 3,3 anos a menos que a média geral e que, justamente por isso, a economia do país pode ser afetada de maneira negativa.

É fato que o excesso de peso, há algum tempo, é considerado um malefício por acarretar problemas conhecidos da população, como inaptidão para fazer atividade física, propensão a diferentes doenças e maiores tendências a diabetes e hipertensão. Além disso, pessoas que estão acima do peso apresentam maiores riscos de sofrer derrames pela maior probabilidade de ter triglicérides e colesterol altos.

Contudo, a população, de forma geral, ainda não compreende o quanto isso é grave. A negligência com a saúde, principal responsável pelas taxas elevadas de sobrepeso e obesidade que o Brasil apresenta, não afeta somente o indivíduo, e sim a sociedade como um todo.

O relatório da OCDE elucidou muito bem o quanto essas complicações interferem na economia de um país. O estudo da organização estima que o aumento do número de pessoas acima do peso será responsável pela queda de 5% do PIB brasileiro nas próximas três décadas. A queda é consequência da série de dificuldades que o excesso de peso causa na saúde, como a qualidade do sono prejudicada, visitas frequentes a consultórios médicos e realização de exames; o que provoca ausências no serviço e diminuição de produção.

Os dados apresentados mostram que a realidade brasileira é muito preocupante. Segundo o Ministério da Saúde, no Brasil, 55,7% das pessoas estão acima do peso, o que representa mais da metade da população. A pasta ainda projeta que, em 2022, 46,5% dos meninos entre 5 e 9 anos e 38,2% das meninas com a mesma idade sofram com o excesso de peso ou obesidade.

Ao se tratar de crianças com sobrepeso, o alerta deve ser ainda maior. A infância e a adolescência são as etapas de amadurecimento físico, psíquico e mental do indivíduo. Muitas vezes a criança ou o adolescente com excesso de peso apresenta dificuldades na escola, principalmente, para participar das atividades físicas. Dessa forma, ela passa a ser excluída dos times de futebol, vôlei - ou seja lá qual esporte for -, por ser mais obesa que as demais. Com o tempo, essa criança também passa a ser isolada das demais atividades sociais da escola pelos próprios colegas.

Esse isolamento social pode gerar quadros depressivos nem sempre diagnosticados, além de ser o responsável por essa criança ou adolescente apresentar rendimento escolar abaixo da média esperada. Esses fatores psíquicos e mentais influenciarão na capacidade cognitiva da criança e criarão sequelas para o resto da vida.

Por tudo isso, a obesidade e o sobrepeso devem ser pensados como problemas de saúde pública e como tal devem ser tratados desde a sua prevenção. Sendo assim, a comunidade médica e o poder público deveriam tratá-los de forma intensa e agressiva, assim como fizeram nas campanhas contra o tabagismo no Brasil. As indústrias deveriam ser obrigadas a colocar em seus produtos alertas sobre o risco de obesidade, assim como existem avisos nos maços de cigarro.Outro fator - esse deveria ser uma obrigação tanto do poder público quanto da classe médica - é tentar estimular ao máximo possível a atividade física dessas crianças e adolescentes que estão acima do peso. Pode parecer exagero, mas ver uma criança comendo um salgadinho e tomando um refrigerante deveria causar tanto espanto quanto ver uma criança fumando.

* Dr. Henrique Eloy, médico gastroenterologista, especialista em cirurgia bariátrica

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Por que as crianças sofrem mais com infecções no nariz, ouvidos e garganta?

Diagnóstico e tratamento precoces são essenciais para impedir a recorrência dos problemas.

Por que as crianças sofrem mais com infecções no nariz, ouvidos e garganta?

Insegurança alimentar grave atinge 10,3 milhões de brasileiros

Segundo IBGE, 10,3 milhões de pessoas residem em domicílios com insegurança alimentar grave.

Insegurança alimentar grave atinge 10,3 milhões de brasileiros

Vacinas, suas controvérsias e o mundo em pandemia

Temos pesquisadores do mundo todo, aliando forças em prol da produção de uma vacina em tempo recorde.

Vacinas, suas controvérsias e o mundo em pandemia

Má postura no trabalho é a principal causa de cervicalgia

Dados da Sociedade Brasileira de Estudo da Dor (SBED), de 30 a 50% da população sofre de cervicalgia.

Má postura no trabalho é a principal causa de cervicalgia

O transtorno de ansiedade

Você sabia que a ansiedade é biológica?

O transtorno de ansiedade

Número de doações de medula óssea cai 30% devido à pandemia

Campanha Setembro Verde chama atenção para importância da doação.

Número de doações de medula óssea cai 30% devido à pandemia

Uso excessivo do celular pode causar dores e inflamação dos dedos

Doença chamada de tenossinovite ficou conhecida como "WhatsAppinite".

Uso excessivo do celular pode causar dores e inflamação dos dedos

Campanha Setembro Amarelo conscientiza população sobre o suicídio

Campanha levanta a importância da ampla divulgação da temática com o foco na prevenção para a redução dos casos de suicídio.

Campanha Setembro Amarelo conscientiza população sobre o suicídio

Teste americano que detecta coronavírus em sete minutos chega ao Brasil

Teste é capaz de identificar o vírus ativo no organismo a partir do terceiro dia de contato com infectados e após a manifestação dos sintomas.

Teste americano que detecta coronavírus em sete minutos chega ao Brasil

Por que há idosos que se curam da Covid-19 enquanto jovens morrem?

Médico geriatra, nutrólogo e cardiologista Juliano Burckhardt faz uma análise da complexa e intrincada rede envolvida na imunidade do organismo no combate ao novo coronavírus.

Por que há idosos que se curam da Covid-19 enquanto jovens morrem?

Amamentação não deve ser interrompida por mães infectadas pela COVID-19

A enfermeira Katherine Maurente elenca medidas que devem ser tomas para evitar a contaminação para o bebê.

Amamentação não deve ser interrompida por mães infectadas pela COVID-19

Quatro gatilhos mentais que estão te impedindo de emagrecer

A mente pode ser tanto uma aliada quanto uma vilã quando o assunto é reeducação alimentar, por isso, ela deve ser a primeira a ser reprogramada para atingir o objetivo desejado.

Quatro gatilhos mentais que estão te impedindo de emagrecer