Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Os impactos da nova lista de doenças ocupacionais

Os impactos da nova lista de doenças ocupacionais

03/01/2024 Lucas Lanna Resende

A nova lista atenderá toda a população trabalhadora, independentemente de ser urbana ou rural.

Os impactos da nova lista de doenças ocupacionais

Depois de 24 anos de sua implementação, a lista de doenças ocupacionais, um instrumento fundamental para a identificação e reconhecimento de enfermidades decorrentes das atividades de trabalho, passou por ajustes para refletir com precisão os riscos de saúde emergentes em ambiente profissional. 

Recentemente, o Ministério da Saúde incorporou 165 novas patologias na lista de doenças ocupacionais por meio da portaria GM/MS nº 1.999, de 27 de novembro de 2023. Entre elas, estão a Covid-19, doenças de saúde mental (burnout, ansiedade, depressão), distúrbios musculoesqueléticos e alguns tipos de câncer. 

De acordo com as informações do governo federal, a quantidade de códigos de diagnósticos das enfermidades passou de 182 para 347. Ainda, conforme dados do Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) do Ministério da Saúde, o Sistema Único de Saúde (SUS) atendeu a quase 3 milhões de casos de doenças ocupacionais entre 2007 e 2022, sendo que a maior parte das notificações, 52,9%, foi relativa a doenças graves decorridas do labor. 

O levantamento aponta ainda que 26,8% foram geradas pela exposição a material biológico; 12,2% devido a acidente com animais peçonhentos; e 3,7% por lesões por esforços repetitivos (LER) ou distúrbios osteomusculares relacionados ao trabalho. Por fim, temos que somente neste ano, já são mais de 390 mil casos notificados. 

A nova lista atenderá toda a população trabalhadora, independentemente de ser urbana ou rural, ou da forma de inserção no mercado de trabalho, seja formal ou informal. É um movimento importante, pois auxilia na identificação, na prevenção e no tratamento adequado de doenças relacionadas às atividades laborais. 

A ideia é que o aprimoramento da lista contribua para a estruturação de assistência e vigilância que possibilitem locais de trabalhos mais seguros e saudáveis. 

Como resultado, os empregadores terão que considerar algumas medidas adicionais ou até adotar novas práticas para garantir o cumprimento das diretrizes. Devem, por exemplo, revisitar e eventualmente atualizar suas políticas internas de saúde e segurança do trabalho, estabelecendo novos protocolos de prevenção, identificação e relato das doenças incluídas na lista. 

É fundamental que as empresas passem a investir em programas de saúde ocupacional robustos, que incluam a realização de exames médicos regulares e o monitoramento da saúde, principalmente mental, dos trabalhadores. Para isso, podem realizar também parcerias com serviços de psicólogos e/ou outros serviços de saúde especializados.

Além disso, também entende-se que devem realizar treinamentos regulares para educar os profissionais sobre medidas preventivas e a importância de notificar qualquer sintoma ao empregador.

É essencial que as companhias estejam cientes das implicações legais da lista e garantam a conformidade com a nova regulamentação. Para isso, devem contar com a ajuda de profissionais do direito trabalhista que estão à disposição para orientar a adoção de medidas necessárias.

As empresas devem, portanto, alinhar a cultura organizacional com as novas exigências do Ministério da Saúde, propiciando um meio ambiente laboral adequado e combatendo os riscos à saúde física e mental dos trabalhadores. Isso trará benefícios não só aos colaboradores, como às companhias por meio do aumento de produtividade, engajamento, rendimento e comprometimento dos funcionários. 

* Lucas Landi Brito é advogado Trabalhista no Marcos Martins Advogados.

Para mais informações sobre doenças ocupacionais clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: Brain Story



Dores nas costas lideram causas de afastamento do trabalho no Brasil

Para ter o benefício por incapacidade temporária, o primeiro passo é procurar um médico especialista.

Autor: Adriana Belintani

Dores nas costas lideram causas de afastamento do trabalho no Brasil

Projeto de Lei quer disponibilizar adrenalina autoinjetável pelo SUS

A proposta será analisada em caráter conclusivo pelas comissões de Saúde; de Finanças e Tributação, de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Autor: Divulgação

Projeto de Lei quer disponibilizar adrenalina autoinjetável pelo SUS

Gastrite: dicas para prevenir e tratar a doença

O Google Trends, um dos sites mais famosos de busca na internet, vem apontando “gastrite” como um dos temas mais pesquisados pelos usuários.

Autor: Divulgação

Gastrite: dicas para prevenir e tratar a doença

Especialistas alertam para cuidados com queimaduras de limão, sol e água-viva

Comuns no verão, essas lesões podem se tornar graves se não tiverem a atenção necessária.

Autor: Divulgação

Especialistas alertam para cuidados com queimaduras de limão, sol e água-viva

Dengue: hidratação com até 6 litros de água pode evitar o tipo hemorrágico

Especialista em Saúde Pública esclarece que uma pessoa pode adoecer quatro vezes com os quatro sorotipos da doença.

Autor: Divulgação

Dengue: hidratação com até 6 litros de água pode evitar o tipo hemorrágico

Menopausa: sintomas, tratamentos e dicas

Ginecologista Loreta Canivilo explica tudo sobre esse período da vida da mulher.

Autor: Divulgação

Menopausa: sintomas, tratamentos e dicas

Crianças e Dengue: como prevenir?

Número de casos é alto entre os pequenos e algumas faixas etárias não podem sequer usar repelentes contra insetos.

Autor: Divulgação

Crianças e Dengue: como prevenir?

Dengue, Chikungunya e Zika: conheça os sintomas de cada doença

“Os sintomas podem ser parecidos, por isso, é importante uma avaliação médica”.

Autor: Divulgação

Dengue, Chikungunya e Zika: conheça os sintomas de cada doença

Maioria dos adultos sofrem com dores ou inchaços após o dia de trabalho

Um estudo recente aponta que uma grande parcela da população adulta relata sentir dores e inchaços após um longo dia de trabalho.

Autor: Divulgação

Maioria dos adultos sofrem com dores ou inchaços após o dia de trabalho

Novo corpo, novo indivíduo, novo eu

A cirurgia desempenha um papel importante na vida dos pacientes pós-bariátrica.

Autor: Simone Barros

Novo corpo, novo indivíduo, novo eu

Queloide: o que é e como evitar?

Queloide é uma condição dermatológica caracterizada pelo crescimento anormal de tecido cicatricial.

Autor: Divulgação

Queloide: o que é e como evitar?

Dor no calcanhar afeta 1 em cada 10 pessoas depois dos 40 anos

A fascite plantar é uma doença caracterizada pela degeneração progressiva da fáscia plantar, tecido que se estende do osso do calcanhar até a planta do pé.

Autor: Divulgação

Dor no calcanhar afeta 1 em cada 10 pessoas depois dos 40 anos