Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Chocolate em excesso pode impactar sono

Chocolate em excesso pode impactar sono

06/04/2023 João Gallinaro

Especialista recomenda moderação e intervalo de 5 horas entre consumo e a hora de ir para a cama.

Chocolate em excesso pode impactar sono

Segundo um levantamento da Kantar, consultoria especializada em pesquisa de mercado, sete milhões de lares se tornaram compradores de ovos de chocolate em 2022 e a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviço e Turismo (CNC) prevê uma intenção de consumir durante o feriado maior que em 2020, um reflexo da importância do doce nessa festividade.

Um estudo da Betway revelou que 21,2% dos entrevistados ingere chocolate pelo menos uma vez ao dia e 52% deles afirmam que o mais comum é consumir chocolate em algum momento da semana, geralmente após uma grande refeição, para amenizar crises de ansiedade e durante a Tensão Pré Menstrual (TPM), mas é constatado que o excesso do doce no organismo causa impactos na saúde geral, inclusive ao sono.

A National Sleep Foundation, nos Estados Unidos, reforça que o chocolate pode sim afetar a qualidade do descanso noturno devido à grande quantidade de cafeína que traz em sua composição. “Tanto a cafeína como a telgromina, substâncias presentes na maioria dos chocolates, são estimulantes e quando associadas a uma grande quantidade de açúcares, que também compõem esses doces, podem elevar os níveis de energia fazendo com que seja ‘mais difícil’ pegar no sono, ocasionando uma piora na qualidade do descanso”, explica João Gallinaro, psiquiatra especialista em sono.

A molécula da cafeína é parecida com a da adenosina, uma das responsáveis por irmos para a cama no horário adequado. “Quando acordamos, nosso cérebro começa a acumular essa substância, ao longo das atividades, fazendo com que a noite tenhamos vontade de dormir”, esclarece. “Por ser semelhante, a cafeína ocupa o lugar da adenosina e atrapalha o mecanismo e acúmulo de sono”, completa o médico.

Pessoas sensíveis à cafeína devem evitar o consumo excessivo de chocolate. “Isso porque o doce vai deixá-las trêmulas e agitadas, gerando dificuldades sobretudo quando ingerido próximo a hora de dormir”, salienta.

Uma das maneiras de minimizar os impactos do consumo exagerado do chocolate é equilibrar as quantidades. “Quanto menor for a quantidade ingerida durante a noite e maior for o intervalo entre a ingestão e a hora de ir para a cama, melhor”, recomenda o especialista. “O chocolate branco também pode ser uma opção para os apreciadores do doce, já que não contém cafeína em sua composição”, finaliza.

Confira seis dicas de João Gallinaro para consumir chocolate ao mesmo tempo que mantém o padrão de qualidade do sono:

Coma com moderação: “Não consuma grandes quantidades de chocolate próximo à hora de dormir”, orienta.

Fique de olho nos intervalos: “Ingerir chocolate de 5 a 6 horas antes de dormir minimiza os impactos no sono, fazendo com que seu descanso seja reparador”, aconselha o médico.

Opte por chocolates com pouca cafeína na composição: “O branco é uma ótima opção”, sugere João.

Tenha rotina: “Horários regulares para dormir e acordar, exposição à luz natural, exercícios para o corpo e a mente e não cochilar durante o dia cuidam do seu sono como um todo”, argumenta.

Evite outros estimulantes: “A associação do chocolate com o café, por exemplo, potencializa a energia”, elucida o especialista.

Cuidado com os eletrônicos: “A luz artificial diminui a produção de melatonina, por isso uso excessivo de computadores, tablets, TVs e celulares é prejudicial ao sono”, complementa João.

* João Gallinaro, especializado em Medicina do Sono pelo Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, com aprimoramento em Medicina do Sono na Universidade de Pittsburgh (EUA) e que foi colaborador do Ambulatório do Sono do Instituto de Psiquiatria da USP.

Para mais informações sobre chocolate clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Entre para o nosso grupo de notícias no WhatsApp

Fonte: TX Comunicação e Conteúdo



O tempo seco e as alergias

Com uma nova onda de calor chegando aliada ao tempo seco, comum nesta época do ano, as alergias respiratórias ganham força.

Autor: Divulgação

O tempo seco e as alergias

Nutrição e atividade física: saúde do corpo e da mente

A nutrição adequada fornece ao corpo os nutrientes necessários para funcionar corretamente.

Autor: Divulgação

Nutrição e atividade física: saúde do corpo e da mente

Cigarro: eletrônico ou “analógico”, é preciso se livrar dele!

Médicos do Hospital Paulista alertam para as diferentes formas de consumo da nicotina, todas prejudiciais à saúde.

Autor: Divulgação

Cigarro: eletrônico ou “analógico”, é preciso se livrar dele!

Quer envelhecer vivendo mais e melhor?

Então cuide agora da sua pressão arterial.

Autor: Felipe Vecchi

Quer envelhecer vivendo mais e melhor?

Glaucoma atinge milhões de pessoas no país e pode causar a perda de visão

Campanha Maio Verde visa estimular a conscientização sobre o diagnóstico precoce da doença, que tem progressão lenta e assintomática.

Autor: Divulgação

Glaucoma atinge milhões de pessoas no país e pode causar a perda de visão

Desconforto no joelho sem causa aparente?

Problema pode estar no quadril, alerta especialista.

Autor: Divulgação

Desconforto no joelho sem causa aparente?

Transplante capilar: cada paciente é de um jeito

Realizar o transplante capilar é um sonho para muitas pessoas com calvície ou com outros problemas que resultam na queda de cabelo.

Autor: ‌Melina Oliveira

Transplante capilar: cada paciente é de um jeito

O que o seu “catarro” quer dizer?

Especialista explica as principais doenças que podem causar a secreção na garganta e como tratar.

Autor: Divulgação

O que o seu “catarro” quer dizer?

Prevenção cardiovascular: quanto mais cedo melhor!

Em artigo, cardiologista da Unimed Araxá explica a importância de modificar fatores que originam as doenças.

Autor: Dr. Flávio Paes

Prevenção cardiovascular: quanto mais cedo melhor!

Sono ruim aumenta risco de glaucoma em até 20%, diz estudo

Ronco e sonecas durante o dia também aumentam chance de ter um glaucoma.

Autor: Divulgação

Sono ruim aumenta risco de glaucoma em até 20%, diz estudo

O que você precisa saber sobre a doença do beijo

Dr. Ricardo Kores, médico infectologista do HC-UFU responde às principais dúvidas.

Autor: Divulgação

O que você precisa saber sobre a doença do beijo

Nascimento prematuro e autismo: Existe relação?

Neuropediatra e membro do Conselho Científico da ONG Prematuridade.com explica a questão.

Autor: Divulgação

Nascimento prematuro e autismo: Existe relação?