Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Arte e pessoas com deficiência

Arte e pessoas com deficiência

15/12/2018 Oscar D'Ambrosio

É fato que a arte transforma e enriquece quem a pratica.

Trabalhar a arte com pessoas com variados tipos de deficiência é um processo que envolve numerosos aspectos, que vão desde o saber adquirido na academia pelos orientadores das atividades propostas à sensibilidade individual desenvolvida por cada um no trabalho cotidiano. O maior desafio está em não haver fórmulas prontas.

O indivíduo que faz, aquele profissional que orienta e o resultado final se articulam com grande complexidade. Qualquer resposta rápida é simplista e arriscada. Tampouco é possível argumentar que se trata do reino do imponderável, pois profissionais atuam na área com extrema competência e dedicação em busca de respostas.

Acima da importante discussão de métodos e abordagens, está o respeito ao ser humano. Esse ponto precisa ser crucial. Afinal, está se falando aqui de pessoas que conseguem, por meio de diversas manifestações artísticas, alterar a relação consigo e com o entorno.

É fato que a arte transforma e enriquece quem a pratica. E isso torna todos nós especiais. Partindo desse pressuposto, toda atividade visual ganha uma nova dimensão. O desenho, a escultura ou a fotografia passam a ser expressões pelas quais cada criador interpreta a si mesmo e o que está ao seu redor. E esse é o grande papel da arte.

* Oscar D´Ambrosio é jornalista pela USP, mestre em Artes Visuais pela Unesp, graduado em Letras (Português e Inglês) e doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e Gerente de Comunicação e Marketing da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Fonte: Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo 



Dificultando o acesso ao livro

Na proposta de reforma tributária endossada pelo Governo e enviada ao Congresso consta uma nova taxação.


Redes sociais: espaço fértil para a indignação e a esperança

Há um inconformismo geral com o nosso cenário político atual, a indignação é generalizada e evidente em parcela significativa da população.


Como a tecnologia analítica está conquistando espaço no futebol

Com a atual pandemia, os apaixonados por futebol ficaram alguns meses sem ver a bola rolando.


O descaso e a “carteirada” frente à pandemia

A obra Raízes do Brasil de Sergio Buarque de Holanda, originalmente publicada em 1936, analisa elementos fundamentais presentes na cultura brasileira que remontam ao nosso passado colonial e escravagista.


A justiça nossa de cada dia

Se a justiça desaparece é coisa sem valor o fato de os homens viverem-na terra. (Immanuel Kant)


O dia da vergonha

Sem dúvida, ainda temos muito o que aprender com a história para evitar que dias vergonhosos se repitam.


XaaS: Está na hora de pensar em Tudo como Serviço

Quando toda essa crise passar, qual lição levaremos?


A urgência da reforma tributária

No Brasil, o debate sobre a necessidade de uma reforma tributária ocorre há décadas.


Lições importantes da pandemia para os investidores e o futuro financeiro

A pandemia do Covid-19 trouxe impactos significativos em diversas esferas sociais e econômicas.


O Caminho de Saint-Hilaire

Augustin François César Prouvençal de Saint-Hilaire, o botânico francês que ficou conhecido mundialmente apenas como Saint-Hilaire, explorou, entre os anos de 1816 e 1822, a parte central do Brasil colônia e um pouco do sul.


Verdade: qual nos libertará?

Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.


Vergonha: um orgulho familiar

Ouso iniciar a reflexão sobre o sentimento de vergonha pela adaptação da célebre frase: diga-me do que tens vergonha, que eu te direi quem és!