Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Da incerteza à prosperidade

Da incerteza à prosperidade

24/06/2020 Efigenia Vieira

Cuide-se sempre.

Seja qual for a estação, as dificuldades, os limites necessários, as possibilidades em tempos de pandemia, e ainda que não exista uma vacina ou algum coquetel que combata a Covid-19.

O que acomete o planeta, não é uma onda passageira, não se trata de um período com objetivos de curto prazo e mudanças superficiais.

Chegou a hora de deixarmos de lado aquela sensação de desânimo e impotência, como se estivéssemos atados, amordaçados e sem forças suficientes para vivermos o presente e construirmos o futuro. Já estamos atrasados.

Veja, se pararmos um pouco que seja, é possível constatar que sempre que a civilização vivencia revoluções disruptivas, o mundo inteiro, simultaneamente, passa por transformações profundas. Todas as revoluções globais são marcos de transições na história da humanidade.

O nosso mundo físico e o digital são interdependentes e quase não percebemos. Nossa secular adaptabilidade se faz presente no ritmo de acomodação do novo.

As divulgadas “soft skills” estão sendo absorvidas gradativamente. Naturalmente, por àqueles que estão sempre se preparando para a inovação e trazem em suas carreiras e vidas, o registro do autoconhecimento, aprendizado constante, resiliência e mudanças.

Velhos modelos mentais, perdem lugar para uma nova maneira de compreender o mundo e nele agir. O comando satisfatório do fluxo de um cotidiano saudável e holístico se faz imprescindível. Afinal, tudo começa com você.

Entretanto, não basta mais apenas um "mindset" de crescimento voltado à resolução de problemas. No século passado isso era determinante, hoje compõe o conjunto de competências e habilidades em um ambiente de crise muito complexo.

Sabemos que o gerenciamento de crise envolve muitas incertezas e surpresas. Decisões precisam ser tomadas mesmo antes que os fatos estejam legíveis.

As decisões não podem esperar. A intuição e a coleta de dados junto da observação de cenários e respostas compõem o instrumental.

Atualizar, revisar ideias com base em informações que gradativamente vão surgindo, novos "insights" e atitude crítica trazem referências, que podem vir acompanhadas de soluções.

Novas possibilidades se desenham, contribuem e aumentam as funções vitais do nosso corpo e a longevidade do nosso cérebro. Faz parte do processo da adaptação.

A nossa saúde mental, exige, principalmente, um ambiente onde o pH de nosso organismo seja definido pelo bem-estar íntimo. Uma rede de neurônios vibrantes e luminosos em expansão e interação com um corpo alongado e saudável.

O nome disso é harmonia. Emoções frenéticas em plena anarquia terão de ser trabalhadas. Uma de cada vez.

Nesta seara, o senhor do tempo na era do instantâneo e do urgente, terá de preservar a sua saúde emocional e mental, e ainda aprender a lidar com o estresse, ansiedade, pânico, insônia, doenças autoimunes, tarefas e mais tarefas, que em muitos casos não são finalizadas.

Sem dúvida o mundo será provido de muitas demandas de trabalho para aqueles que souberem, em um processo gradativo, serem líderes em um mundo onde os negócios precisam ser renovados e multiplicados. Ser híbrido, construtor e saudável em um mundo que sobreviverá a todas as dificuldades.

Acredito que a humanização estará presente, mas haverá espaço para a solidariedade? Os espaços serão para poucos privilegiados?

Outra questão polêmica! Vejo que a espiritualidade talvez conquiste maior espaço em tempos vindouros. Há muitos caminhos a serem percorridos no mundo da sempre crescente evolução do homo sapiens sapiens.

* Efigenia Vieira é headhunter e CEO da Upside Group.

Fonte: Naves Coelho Comunicação



Dificultando o acesso ao livro

Na proposta de reforma tributária endossada pelo Governo e enviada ao Congresso consta uma nova taxação.


Redes sociais: espaço fértil para a indignação e a esperança

Há um inconformismo geral com o nosso cenário político atual, a indignação é generalizada e evidente em parcela significativa da população.


Como a tecnologia analítica está conquistando espaço no futebol

Com a atual pandemia, os apaixonados por futebol ficaram alguns meses sem ver a bola rolando.


O descaso e a “carteirada” frente à pandemia

A obra Raízes do Brasil de Sergio Buarque de Holanda, originalmente publicada em 1936, analisa elementos fundamentais presentes na cultura brasileira que remontam ao nosso passado colonial e escravagista.


A justiça nossa de cada dia

Se a justiça desaparece é coisa sem valor o fato de os homens viverem-na terra. (Immanuel Kant)


O dia da vergonha

Sem dúvida, ainda temos muito o que aprender com a história para evitar que dias vergonhosos se repitam.


XaaS: Está na hora de pensar em Tudo como Serviço

Quando toda essa crise passar, qual lição levaremos?


A urgência da reforma tributária

No Brasil, o debate sobre a necessidade de uma reforma tributária ocorre há décadas.


Lições importantes da pandemia para os investidores e o futuro financeiro

A pandemia do Covid-19 trouxe impactos significativos em diversas esferas sociais e econômicas.


O Caminho de Saint-Hilaire

Augustin François César Prouvençal de Saint-Hilaire, o botânico francês que ficou conhecido mundialmente apenas como Saint-Hilaire, explorou, entre os anos de 1816 e 1822, a parte central do Brasil colônia e um pouco do sul.


Verdade: qual nos libertará?

Conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.


Vergonha: um orgulho familiar

Ouso iniciar a reflexão sobre o sentimento de vergonha pela adaptação da célebre frase: diga-me do que tens vergonha, que eu te direi quem és!