Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Equipes de alta performance: como liderar sob uma ótica disruptiva

Equipes de alta performance: como liderar sob uma ótica disruptiva

04/10/2022 Thaísa Passos

Que tipo de líder você é? O que desafia o status quo? Ou é daqueles que se sentem confortáveis com as coisas do jeito como elas são?

Como líder, pode ser tentador adotar uma mentalidade de ficar na zona de conforto quando tudo vai bem e os problemas são ocasionais. Porém, uma gestão assim não tem nada a ver com o mindset disruptivo.

O líder que tem a disrupção como base precisa ter uma mentalidade de crescimento, que se concentra nos aspectos positivos das mudanças. É curioso, tem a mente aberta e não teme incertezas. 

Não há como negar: líderes disruptivos são a antítese da complacência e, mais do que isso, são catalisadores da inovação. O mindset disruptivo é uma oportunidade, pronta para abraçar as demandas do seu público-alvo.

Afinal, novos mercados e soluções não surgem sem uma liderança forte e disposta a correr riscos, a errar, a ampliar o sucesso… e a romper com velhos padrões.

Veja, a seguir, algumas estratégias para colocar em prática a liderança disruptiva.

Lidere com propósito – Mais do que fazer o que precisa ser feito, há quem queira fazer a diferença. E um levantamento da Mckinsey prova isso.

Na pesquisa, 70% dos entrevistados disseram buscar propósito em seu trabalho. Só 15% deles, no entanto, o encontraram – e isso impacta a motivação de qualquer grupo. 

Tão necessário quanto falar sobre objetivos e estratégias é conversar com a equipe sobre as transformações que cada talento pode realizar.

Vale destacar, também, os impactos em contextos externos, especialmente se eles envolvem valores como inclusão, bem comum e sustentabilidade.

Cuidado, porém, com discursos vazios. Só mencione o que realmente integra a cultura organizacional e se encaixa nos seus princípios enquanto líder. 

Inspire – No livro “Comece pelo porquê”, Simon Sinek faz distinções interessantes. Segundo ele, ser líder nada mais é do que assumir um cargo alto no organograma. Já liderar tem significados amplos que influenciam no comportamento do seu time.

Ou seja, potencializar um grupo requer desconstruir noções de poder e hierarquia, tirando de cena o chefe que dá ordens para entrar o gestor que norteia com expertise, bons exemplos, histórias de superação. 

O resultado mais evidente desses diálogos é a construção de relações mais fluidas, assim como um maior número de adesões a projetos corporativos por identificação – não obrigação. 

Apoie seu time – Frisar a importância do trabalho em equipe pode ser um clichê. Mas números do próprio mercado comprovam que o lema “um por todos e todos por um” segue atual.

Segundo dados da Deloitte, 53% das organizações que trocam operações individuais por atuações em conjunto alcançam desempenhos de mercado superiores.

Algo semelhante atestou o ADP Research Institute apontando que, quando aliados uns aos outros, profissionais se engajam duas vezes mais ao trabalho.

Potencializar resultados, então, depende de escalar o time certo e promover a cooperação (não a rivalidade) entre seus membros.    

Se abra aos feedbacks – Para 41% dos profissionais no mercado, habilidades de comunicação e boas relações interpessoais não podem faltar aos melhores líderes.

Ao mesmo tempo, a capacidade de coordenar e oferecer feedbacks foi mencionada por mais de 21% das pessoas.

Os números aparecem num relatório da Training Industry e mostram que tão importante quanto a boa escuta é a capacidade de transformar informações em possibilidades. 

Portanto, seja o líder que se interessa pelo desenvolvimento dos processos, considere os insights da sua equipe e avalie, inclusive, a necessidade de mudar rotas. O caminho para o sucesso também tem curvas, paradas e retornos.

“Lidere, mas saia do caminho” – A frase de Brent Gleeson, autor de Taking Point e coach empresarial, tem significado simples: dê autonomia a seus liderados.

A dinâmica de empoderar equipes nos faz lembrar que times capazes de se mover com poucas intervenções são originados a partir de lideranças sólidas.

E aqui vale citar Tom Brady: “Minha função é ser o melhor que posso para o time, não para mim mesmo”, conclui ele.

* Thaísa Passos é gerente de Marketing global da S.I.N.

Para mais informações sobre líder clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Key Press Comunicação



A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa