Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Tecnologia como aliada para minimizar a brecha digital

Tecnologia como aliada para minimizar a brecha digital

09/12/2016 Fabiana Rosa

As tecnologias marcaram uma verdadeira revolução, na qual o significado de “estar conectado” adquiriu um novo valor.

Hoje, estar conectado significa “ser parte”, integrar uma rede social na qual encontramos nossos amigos, compartilhamos nossos interesses e acessamos diversas oportunidades.

As tecnologias definitivamente melhoraram nossa qualidade de vida, permitindo-nos transpor barreiras sociais, culturais, geográficas, que antes nos limitavam. As tecnologias nos aproximaram do mundo e o mundo de nós.

No entanto, esta revolução não se encontra igualmente disponível para toda a sociedade. Pessoas com deficiência física têm visto poucos avanços – e bastante tardios – desta onda tecnológica, acessando de forma parcial, limitada e incompleta os recursos tecnológicos disponíveis.

Com mais de 200 milhões de habitantes, a população com alguma deficiência física no Brasil ultrapassa os 22%. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, 10% da população tem algum tipo de deficiência e 80% vivem em países em desenvolvimento.

Na América Latina e Caribe esse número corresponderia a 85 milhões de pessoas. É justamente no âmbito da inclusão de pessoas com algum tipo de deficiência que as empresas de TI têm a oportunidade única de exercer o papel de cidadão corporativo, criando tecnologias que ajudem a sociedade avançar.

Uma das principais empresas globais de tecnologia, a Indra, tem como um de seus objetivos utilizar a inovação e o desenvolvimento tecnológico como ferramentas para uma maior integração social. Por meio das Tecnologias Acessíveis, modelo de parceria que permite a interação entre a multinacional e universidades, a Indra busca diminuir estas brechas digitais desenvolvendo soluções e serviços inovadores na área da acessibilidade e inclusão.

Com mais de 50 projetos desenvolvidos nos últimos 15 anos, são muitos os exemplos de ferramentas que contribuíram para melhorar o acesso das pessoas com deficiência à tecnologia. Estas soluções de êxito já registram mais de 450.000 downloads de 95 países, incluindo o Brasil.

Em 2014 foi assinada a Cátedra de Tecnologias Acessíveis da Indra no Brasil com a Red Ilumno, rede formada por nove universidades da América Latina, que inclui as brasileiras Universidade Veiga de Almeida (UVA) e o Centro Universitário Jorge Amado (UNIJORGE). Com tempo estimado de quatro anos, o projeto visa ampliar o acesso de pessoas portadoras de deficiência ao ensino superior à distância.

O projeto prevê várias etapas, começando pela elaboração de um panorama das pessoas com deficiência que já estão no ensino superior à distância. Dentre as instituições que compõem a Red Ilumno, foi mapeado que as deficiências visuais (202), auditivas (100) e de mobilidade (155) são os mais presentes entre os alunos com alguma deficiência.

Depois da fase inicial de pesquisa, a Cátedra irá propor tecnologias que atenderão estas necessidades. Como resultado final, a parceria irá resultar em novas soluções para minimizar a brecha digital que ainda afeta a população com deficiência, trazendo resultados que devem extrapolar as barreiras do Brasil e oferecer alternativas para uma sociedade mais igualitária.

* Fabiana Rosa é Gerente de Comunicação e Responsabilidade Corporativa da Indra no Brasil.



Os desafios de tornar a tecnologia acessível à população

Vivemos uma realidade em que os avanços tecnológicos passaram a pautar nosso comportamento e nossa sociedade.


O uso do celular, até para telefonar

Setenta e sete por cento dos brasileiros utilizam o smartphone para pagar contas, transferir dinheiro e outros serviços bancários.


Canto para uma cidade surda

O Minas Tênis Clube deu ao Pacífico Mascarenhas o que a cidade de Belo Horizonte deve ao Clube da Esquina; um cantinho construído pelo respeito, gratidão, admiração, reconhecimento, apreço e amor.


Como acaso tornou famoso notável compositor

Antes de alcançar a celebridade, e a enorme fortuna, Verdi, passou muitas dificuldades financeiras.


Gugu e a fragilidade da vida

A sabedoria aconselha foco no equilíbrio emocional e espiritual diante da fragilidade e fugacidade da vida.


Quando o muro caiu

O Brasil se preparava para o segundo turno das eleições presidenciais, entre o metalúrgico socialista Luís Inácio Lula da Silva e a incógnita liberal salvacionista Fernando Collor de Melo, quando a televisão anunciou a queda do muro de Berlim.


Identidade pessoal e identidade familiar

Cada família gesta a sua identidade, ainda que algumas vezes, de forma inconsciente.


Desprezo e ingratidão

Não sei o que dói mais: se a ingratidão se o desprezo.


A classe esquecida pelo governo

O fato é que a classe média acaba por ser a classe esquecida pelo governo.


O STF em defesa de quem?

A UIF, antigo COAF, foi criada como uma unidade do Ministério da Justiça (hoje, no BACEN) para fazer uma coisa muito simples: receber dos bancos notificações de que alguém teria realizado uma transação suspeita, anormal.


O prazer da leitura

Ao contrário do que se possa pensar, não tenho muitos amigos. Também não são muitos os conhecidos.


Desmoralização do SFT

A moralidade e a segurança jurídica justificam a continuidade da prisão em segunda instância. A mudança desta postura favorece a impunidade dos poderosos e endinheirados.