Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Ômicron: o que sabemos sobre a nova variante

Ômicron: o que sabemos sobre a nova variante

10/12/2021 Divulgação

Especialista aponta o que são certezas sobre a Ômicron e o que ainda não passa de especulação.

Ômicron: o que sabemos sobre a nova variante

Ao que parece, os riscos de uma nova pandemia têm sido subestimados, e, por consequência, as ações de como enfrentá-la já sofrem com a ausência de investimentos. De acordo com uma pesquisa da Universidade Duke, na Carolina do Norte, há cerca de 2% de possibilidade de uma pandemia como a da Covid-19 acontecer todos os anos – o que acarreta em 38% de chance de um ser humano vivenciar algum grande surto ao longo de sua vida.  

Um dos fatores de maior contribuição para o favorecimento de pandemias é a maior facilidade de deslocamento entre cidades, países e continentes em curtos períodos de tempo, o que propicia o transporte de agentes infecciosos. “Um mundo globalizado está sempre em risco eminente de pandemia. O trânsito de pessoas, produtos, mercadorias e animais favorece a disseminação continental das doenças infectocontagiosas e parasitárias”, explica a Dra. Raquel Xavier de Souza Saito, docente do curso de graduação em enfermagem da Faculdade Santa Marcelina.  

No entanto, a especialista afirma que ainda é cedo para afirmar sobre uma nova pandemia, visto que ainda não foi vencida aquela iniciada em 2020 (SARS-CoV-2), de modo que o foco deve estar no controle e monitoramento da doença e suas variantes. “Equipes de inteligência epidemiológica devem triar e acompanhar as variantes genômicas que podem representar maior risco futuro, assim como garantir acesso e certificar a eficácia de vacinas, inclusive em países mais pobres como a África do Sul - onde surgiu a variante Ômicron”. 

A nova variação da Covid-19 foi classificada em 26 de novembro de 2021, pela Organização Mundial da Saúde (OMS), como uma Variante de Preocupação (VOC). Após dois dias (28/11), 12 países já haviam confirmado a detecção da Ômicron em seus territórios. “No Brasil, até o dia 02 de dezembro, três pessoas haviam testado positivo para a nova variante. Nesse cenário, o mais importante é que se mantenham as medidas de precaução”, comenta a professora.  

O que se sabe sobre a Ômicron? 

Ainda existem poucas evidências sobre a nova variação da Covid-19 que tem alarmado pessoas no mundo inteiro. “Até o momento não há consenso, por exemplo, que indique que a infecção com Ômicron possa causar uma doença mais grave em comparação com infecções de outras variantes”, explica Raquel. O mesmo se aplica em termos de transmissibilidade – ainda não se pode afirmar que ela seja mais contagiosa que seus pares.  

No entanto, se sabe que dados preliminares de reinfecção sugerem que pessoas que já tiveram Covid-19 podem ser reinfectadas com Ômicron. Os testes de PCR também continuam valendo e são eficazes na identificação da infecção com a nova variante. Sobre a eficácia da vacina, a docente alerta: “as vacinas continuam sendo essenciais para reduzir doenças graves e morte, inclusive contra essa variante. Os imunizantes atuais permanecem eficazes contra doenças graves e morte”. 

As medidas de precaução  

Frente a esse cenário, é importante manter os cuidados adotados desde o começo do surto de coronavírus, como o uso de máscaras, medidas de higiene, incluindo lavagem de mãos ou uso de álcool gel a 70%, e a etiqueta respiratória, protegendo boca e nariz quando tossir, falar ou espirrar. “As experiências e conhecimentos acumulados nos quase dois anos de pandemia, contribuem para o melhor manejo tanto do controle da doença, por meio de vacinas e medidas preventivas não farmacológicas, quanto na condução dos casos de síndromes respiratórias mais graves. Em todos os aspectos, o sucesso do enfrentamento da pandemia independentemente da variante, depende e deve ser de responsabilidades de todos”, finaliza a doutora.  

Para mais informações sobre Covid-19 clique aqui...

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: XCOM Agência de Comunicação



Principais vacinas e reações em bebês

A vacinação infantil protege de inúmeras doenças e faz parte dos cuidados básicos.

Principais vacinas e reações em bebês

Campanha Nacional de Vacinação foca em poliomielite e multivacinação

Cerca de 40 mil salas de vacinação em todo o país começaram a aplicar os imunizantes. A campanha terminará em 9 de setembro.

Campanha Nacional de Vacinação foca em poliomielite e multivacinação

Sinusites e conjuntivites do inverno aumentam risco da celulite ocular em crianças

Os principais sintomas da celulite periorbital e orbital são vermelhidão e inchaço nas pálpebras.

Sinusites e conjuntivites do inverno aumentam risco da celulite ocular em crianças

Transtornos alimentares: conheça as diferenças de cada tipo e os sintomas

Os transtornos alimentares podem trazer consequências sérias para a saúde.

Transtornos alimentares: conheça as diferenças de cada tipo e os sintomas

Mito ou verdade: seguro de vida é usado somente em morte

O seguro de vida oferece diversas coberturas para serem utilizadas em vida.

Mito ou verdade: seguro de vida é usado somente em morte

O perigo dos cigarros eletrônicos para os adolescentes e jovens

Um pequeno dispositivo que cabe no bolso e que surgiu com a promessa de ser menos prejudicial que o cigarro normal e ainda ajuda a parar de fumar.

O perigo dos cigarros eletrônicos para os adolescentes e jovens

ANVISA aprova novos produtos de canabidiol no Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) aprovou pela primeira vez dois produtos medicinais com teor de THC acima de 0,2%.

ANVISA aprova novos produtos de canabidiol no Brasil

Cuidados ao longo do dia melhoram aparência da pele e previnem doenças

Os diferentes tipos de pele e os cuidados que devem ser tomados em cada período do dia.

Cuidados ao longo do dia melhoram aparência da pele e previnem doenças

Rosácea aumenta risco de inflamação crônica nas pálpebras e olho seco

Doença afeta cerca de 5% da população e em 20% dos casos há manifestações oculares.

Rosácea aumenta risco de inflamação crônica nas pálpebras e olho seco

Benefícios da osteopatia na gravidez

Todo o processo focará na extinção e prevenção de qualquer tipo de dores e inflamações oriundas das alterações corporais.

Benefícios da osteopatia na gravidez

Entorse de tornozelo pode evoluir para lesões mais severas quando não tratado

Até um terço dos pacientes podem sentir dor depois de 12 meses da lesão.

Entorse de tornozelo pode evoluir para lesões mais severas quando não tratado

Diabetes aumenta em 35% o risco de desenvolver um glaucoma neovascular

Glaucoma neovascular está ligado ao diabetes e doenças que afetam o sistema vascular.

Diabetes aumenta em 35% o risco de desenvolver um glaucoma neovascular