Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A ditadura do crime

A ditadura do crime

23/04/2014 Dirceu Cardoso Gonçalves

O inaceitável incêndio de 34 ônibus estacionados no pátio da empresa transportadora de Osasco (SP), como represália pela morte de um jovem envolvido com o tráfico, é um perigoso precedente.

Ao contrário de ocorrências anteriores, onde se colocou fogo em veículos porque alguém da comunidade foi morto pela polícia, sabe-se que esse jovem foi executado por desconhecidos, muito provavelmente na disputa entre integrantes do submundo.

Não há, pelo menos até que se prove em contrário, qualquer motivação para se vingar depredando uma prestadora de serviço público. Por conta do incêndio, a empresa sofreu prejuízo da ordem de R$ 10 milhões e 20 mil passageiros tiveram dificuldade de transporte.

Já está indo longe demais a impotência das autoridades e da sociedade perante os agressores. Se a moda pega, bastará ocorrer um confronto ou qualquer fato banal que descontente os marginais, verdadeiros “donos” do trecho, para veículos, sedes de empresas e outros bens serem depredados e vandalizados.

O poder público, como concedente de todos os serviços - tanto que cobra imposto para permitir sua realização – tem o dever de garantir a segurança para a sua realização. Se assim não for, cada dia se tornará mais difícil encontrar investidores que queiram trabalhar em determinadas áreas, pois os riscos são crescentes.

O transporte de ônibus nas periferias já sofre restrições por conta dos freqüentes ataques e quem sofre, em última análise, além da cambaleante economia, é a população carente do serviço.

Os governos, parlamentares, juristas, defensores dos direitos humanos e todos os libertários (verdadeiros e falsos) que, ao longo das últimas décadas, trabalharam pelo afrouxamento das leis e de sua execução, devem hoje à sociedade providências que possam garantir sua segurança.

A democracia que todos sonhamos e buscamos não inclui deixar impunes os criminosos pois, dessa forma, cria-se a paralela ditadura da bandidagem, que escraviza a população inteira. O país possui um invejável ordenamento jurídico, mas sua prática é lenta, demagógica e ineficiente.

Precisamos acabar de vez com a impunidade. Todos os malfeitos têm de encontrar a justa consequência para que os potenciais transgressores sejam desencorajados e os que já transgrediram exemplarmente retirados do convívio social por longos e reflexivos períodos...

* Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves - dirigente da ASPOMIL (Associação de Assist. Social dos Policiais Militares de São Paulo)



Eleições para vereadores merecem mais atenção

Em anos de eleições municipais, como é o caso de 2024, os cidadãos brasileiros vão às urnas para escolher prefeito, vice-prefeito e vereadores.

Autor: Wilson Pedroso


Para escolher o melhor

Tomar boas decisões em um mundo veloz e competitivo como o de hoje é uma necessidade inegável.

Autor: Janguiê Diniz


A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso