Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A importância de formar talentos

A importância de formar talentos

07/01/2022 Alexandra Gonçalves

Um dos maiores desafios das empresas tem sido encontrar talentos com habilidades desenvolvidas e preparados para contribuir com a estratégia da empresa.

Quando nos referimos a mão de obra especializada, é ainda mais desafiador, afinal as aptidões técnicas e as competências que necessitamos dentro das organizações vão muito além de um diploma.

O avanço tecnológico e a constante busca por soluções, inovações que garantam mais produtividade, economia e sustentabilidade às corporações têm intensificado, levando as organizações a se preocuparem ainda mais com os processos de seleção e o desenvolvimento de competências essenciais para o negócio.

Somando a este cenário, as empresas têm, cada vez mais, reconhecido a importância de ter um programa sólido de desenvolvimento de talentos para melhorar o desempenho organizacional. Identificar potenciais e treinar habilidades se torna fundamental para o avanço das organizações.

Quando temos a oportunidade de usarmos nossa vocação natural combinada com capacidades desenvolvidas ao longo da vida, temos muita mais probabilidade de encontrarmos desafios e satisfação em todos os níveis e aí, a inovação, soluções e resultados acontecem.

Pessoas que usam seus talentos para realizar suas atividades têm menos probabilidade de sofrer de esgotamento porque  sentem prazer no que fazem e extraem energia de seu trabalho.

Não podemos deixar de reforçar a importância de um ambiente corporativo psicologicamente seguro, diverso e inclusivo para o desenvolvimento humano.

Ter uma equipe com habilidades não apenas relacionadas às qualidades técnicas, mas, diversa, incluindo também aspectos subjetivos do indivíduo, ou seja, os soft skills – habilidades interpessoais – juntamente com a habilidade de aprender coisas novas de forma contínua, se tornou um grande desafio para as organizações e para o futuro do trabalho.

A empatia é um dos mais importantes skills quando buscamos um ambiente de trabalho cada vez mais colaborativo, promovendo trocas que contribuirão para a busca de inovação e soluções assertivas, e o coeficiente base para a empatia, é a inteligência emocional essencial para ser bem-sucedido, não importa em que área de atuação.

No que tange aos aspectos técnicos, hard skills, para empresas que utilizam equipamentos de alta complexidade, encontrar talentos com prática de um especialista, ou seja, um consultor, é um grande dificultador, já que o conhecimento vai além do aprendido em sala de aula.

Quando pensamos em um consultor, que além de ser um especialista na área, ainda tem habilidades pessoais bem desenvolvidas, com domínio de outro idioma,  realmente tem sido ainda mais desafiador.

Por isso, quero compartilhar uma experiência positiva, ocorrida na Sandvik. Decidimos investir na busca por um time diferente, por meio do programa de capacitação profissional especializada, chamado Sandschool.

A Sandvik é uma empresa global com valores muito sólidos e uma grande reputação no mercado mundial e acreditamos que esta soma de talentos diversos, formação técnica e habilidades desenvolvidas seja a chave para a sustentabilidade do negócio.

Nosso propósito era atrair talentos nas comunidades onde atuamos, que além da formação técnica tivessem a segurança como um valor pessoal, aspiração para seguir crescendo e se desenvolvendo, que estivessem motivados o suficiente para aprender coisas novas e de forma contínua e principalmente que pudessem usar seus talentos naturais em alinhamento com as práticas.

O primeiro programa Sandschool contou com mais de mil inscritos de todo o país, sendo 400 pré-selecionados e 12 finalistas, que passaram por três meses de imersão em uma de nossas unidades.

Com isso, eles tiveram a oportunidade de aprender muito sobre os nossos produtos e vivenciar na prática o processo de trabalho, conhecer todo o maquinário e, principalmente, os valores e a cultura da companhia.

Acreditamos que investir em desenvolvimento segue sendo o caminho para garantir a melhoria contínua dos nossos processos.

Teoria e prática, aliadas, contribuem consideravelmente para aumentar a produtividade e o diferencial competitivo.

Temos agora temos o desafio de pensarmos como ampliar este programa a um número ainda maior de talentos, formá-los para o futuro e garantir um pool de talentos preparados para os nossos projetos.

Estamos certos que através dessa iniciativa, traremos equidade para os nossos processos com foco em aumentar a nossa diversidade, desenvolver e qualificar mão de obra nas localidades onde atuamos e sermos sustentáveis como organização.

Continuaremos a promover ações, iniciativas, que contribuam na promoção e criação de ambientes de trabalho onde nossos talentos sintam-se engajados e queiram crescer juntos. Onde diversidade e inclusão, oportunidade de desenvolvimento, meritocracia sejam valores vividos dia a dia.

É notório o quanto os nossos talentos do programa Sandschool se sentem engajados, mais alinhados a nossa cultura e valores e muito mais preparados para iniciar suas atividades; não temos dúvida que o investimento que estamos fazendo agora será em pouco tempo transformado em soluções, inovações e satisfação dos nossos clientes.

* Alexandra Chaves é Gerente de RH e EHS da Sandvik Mining and Rock Solutions.

Para mais informações sobre desenvolvimento de talentos clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Rede Comunicação



Gestão empresarial e perspectivas para 2022

Após mais um ano de pandemia, a alta administração das empresas priorizou a sobrevivência enquanto teve de lidar com expectativas frustradas.


O que a pandemia nos ensinou sobre fortalecer nossas parcerias

A pandemia da COVID-19 forçou mudanças significativas na operação de muitas empresas.


O barulho em torno do criado-mudo

Se você entrar agora no site da Amazon e escrever (ou digitar) “criado-mudo”, vai aparecer uma resposta automática dizendo que você não deve usar essa expressão porque ela é racista.


Reputação digital: é possível se proteger contra conteúdos negativos

O ano é 2022 e há quem pense que a internet ainda é uma terra sem lei. A verdade é que a sociedade avançou e o mundo virtual também.


Questão de saúde pública, hanseníase ainda é causa de preconceito e discriminação

Desde 2016, o Ministério da Saúde realiza a campanha Janeiro Roxo, de conscientização sobre a hanseníase.


Desafios para o Brasil retomar o rumo

A tragédia brasileira está em cartaz há décadas.


Mortes e lama: até quando, Minas?

Tragédias no Brasil são quase sempre pré-anunciadas. É como se pertencessem e integrassem a política de cotas. Sim, há cotas também para o barro e a lama. Cota para a dor.


Proteção de dados de sucesso

Pessoas certas, processos corretos e tecnologia adequada.


Perspectivas e desafios do varejo em 2022

Como o varejo lida com pessoas, a sua dinâmica é fascinante. A inclusão de novos elementos é constante, tais como o “live commerce” e a “entrega super rápida”.


Geração millenials, distintas facetas

A crise mundial – econômica, social e política – produzida pela transformação sem precedentes da Economia 4.0 coloca, de forma dramática, a questão do emprego para os jovens que ascendem ao mercado de trabalho.


Por que ESG e LGPD são tão importantes para as empresas?

ESG e LGPD ganham cada vez mais espaço no mundo corporativo por definirem novos valores apresentados pelas empresas, que procuram melhor colocação no mercado, mais investimentos e consumidores satisfeitos.


O Paradoxo de Fermi e as pandemias

Em uma descontraída conversa entre amigos, o físico italiano Enrico Fermi (1901-1954) perguntou “Onde está todo mundo?” ao analisarem uma caricatura de revista que retratava alienígenas, em seus discos voadores, roubando o lixo de Nova Iorque.