Portal O Debate
Grupo WhatsApp

A oposição cega é oposição ao Brasil

A oposição cega é oposição ao Brasil

09/05/2016 Bady Curi Neto

A oposição cega, do quanto pior melhor, é apequenar a função dos representantes da população no Congresso Nacional.

A oposição cega é oposição ao Brasil

Sabido que o Partido dos Trabalhadores, antes da eleição do ex-presidente Lula, sempre exerceu a função de oposição, o que é sempre salutar para Democracia. Logicamente, a oposição deve ser exercida não pela mera discordância política, mas com valor maior, qual seja o bem da nação.

A oposição cega, do quanto pior melhor, apenas com fulcro interesses políticos partidários é apequenar a função dos representantes da população no Congresso Nacional.

Com o andamento do impeachment no Senado e a possibilidade premente do afastamento da presidente da república pelo prazo de 180 (cento e oitenta) dias, o Presidente do Partido dos Trabalhadores disse, textualmente: "É muito mais do que oposição parlamentar só. É dizer para a população, para a sociedade que, com governo ilegítimo não tem paz, não tem estabilidade, não tem tranquilidade, tem luta".

No ano passado, ouvimos o ex-presidente Lula, expoente maior do PT, ao discursar durante um ato de defesa da Petrobras, dizer; “Quero a paz e democracia, mas também sabemos brigar. Sobretudo quando o Stedile colocar o exército dele na rua. ”

Poderíamos citar vários outros episódios antidemocráticos e pouco republicanos desde o início da decadência do governo federal e o processo do Impeachment, mas se faz desnecessário tendo em vista a ampla divulgação pelos meios de comunicação e nas redes sociais.

Ao contrário do que alegam alguns, a oposição e a população brasileira não estão satisfeitas com o processo de Impedimento, o momento é de total apreensão, seja pela crise econômica, seja pela instabilidade de governança.

O Impedimento é um processo constitucional, quando o mandatário maior da nação comete crime de responsabilidade, tendo como punição a retirada do cargo eletivo e a impossibilidade de ocupar função pública durante um período de oito anos.

Não existe golpe, não existe revanchismo, não existe traição do vice-presidente (que fora eleito na mesma chapa da Presidente, in casu, por duas vezes, dando sustentabilidade a eleição e ao governo). O que existe é um remédio jurídico, previsto na constituição, cujo julgamento é realizado pelo poder Legislativo, no intuito de coibir e/ou punir a prática de crime de responsabilidade.

Todos aqueles argumentos são sofistas, forma de desviar a atenção dos atos praticados da mandatária maior da nação, leia-se pedaladas fiscais entre outros, numa tentativa de promover uma defesa transversa do indefensável.

Já a oposição premeditada e as ameaças veladas (a exemplo das invasões de terras pelos movimentos dos sem terras) no intuito, único e exclusivo, de forcejar instabilidade ao próximo governo, caso a mandatária maior da nação seja afastada no processo de impedimento, isto sim, configura-se golpe e revanchismo, não só ao Presidente, mas a toda população brasileira, que espera que o país se recupere para voltar a crescer economicamente, gerando empregos para todos.

A oposição cega não é oposição parlamentar, é oposição ao Brasil.

* Bady Curi Neto, advogado fundador do Escritório Bady Curi Advocacia Empresarial, ex-juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais (TRE-MG)



Eleições para vereadores merecem mais atenção

Em anos de eleições municipais, como é o caso de 2024, os cidadãos brasileiros vão às urnas para escolher prefeito, vice-prefeito e vereadores.

Autor: Wilson Pedroso


Para escolher o melhor

Tomar boas decisões em um mundo veloz e competitivo como o de hoje é uma necessidade inegável.

Autor: Janguiê Diniz


A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso