Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Cidades Digitais: um projeto que já deveria ter saído do papel

Cidades Digitais: um projeto que já deveria ter saído do papel

07/09/2013 Marcos Sakamoto

Que o uso crescente das tecnologias de comunicação e informação leva muitos benefícios para a qualidade de vida da população é algo praticamente inquestionável.

Conhecimento e obtenção de informações tornaram-se componentes valiosos para a geração de valor econômico, cultural e social. O cidadão que não está conectado, atualmente, fica defasado em relação aos outros. Nesse contexto, uma administração pública que se preocupe com seus cidadãos tem a missão de desenvolver e implantar programas de governo coordenados e articulados, visando a inclusão digital e, em consequência, social dos indivíduos.

Mais do que simples postos de acessos, deve-se evoluir em direção a um conceito de Cidade Digital. É muito comum associar o termo Cidade Digital ao fato de o município disponibilizar o sinal de "internet gratuita" ou até à construção de telecentros. A construção de cidades digitais, no entanto, vai muito além e passa, basicamente, por cinco dimensões:

1 - Universalização do acesso, ou seja, internet rápida e espalhada por toda a cidade e não apenas em pontos de grande circulação;

2 - Serviços públicos 100% online, nos quais o cidadão possa ter acesso aos serviços sem precisar perder horas em filas;

3 - Dados governamentais abertos, de modo a fazer com que cidadãos se engajassem no processo, dando origem a um ambiente de cooperação na gestão pública;

4 - Ferramentas para registro de problemas, demandas e construção de comunidades de colaboração em torno de questões públicas;

5 - Infraestrutura adequada, com um ambiente colaborativo de produção e operação, que garanta a segurança e sigilo dos dados.

As duas primeiras ações ainda parecem dominar a atenção dos políticos, até porque proporcionam a construção da infraestrutura básica e trazem benefícios diretos e rápidos aos cidadãos. Porém, antes mesmo de ser colocada em prática essas cinco ações, é preciso que se tenha alicerçado outros dois aspectos importantes nos municípios: a inclusão digital e a modernização da gestão pública.

Segundo pesquisa realizada por um professor e um aluno da Faculdade Getúlio Vargas (FGV), o Brasil tem a segunda maior média de preços da banda larga entre 15 países. Segundo o estudo, o brasileiro precisa trabalhar 5,01 horas por mês para bancar uma conexão de 1 Mbps. Já no que se refere à modernização da gestão pública, os sistemas computacionais precisam ser integrados de forma que todos eles possam ser aplicados em toda a rede de atendimento ao cidadão.

Tal necessidade exige uma estrutura de rede e disponibilidade de serviços e aplicações que dependem de infraestrutura computacional e planejamento dos municípios. A julgar pela falta de habilidade com que os representantes públicos estão lidando com as recentes manifestações iniciadas justamente pela internet, se chega à conclusão que agilidade e proatividade, características preponderantes na internet, ainda não fazem parte do cotidiano dos responsáveis por tirar do papel o projeto de digitalização das cidades.

*Marcos Sakamoto é presidente da Assespro-SP.



Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.


Sociedade civil e a defesa da democracia

As últimas aparições e discursos do presidente da República vêm provocando uma nova onda de empresários, instituições e figuras públicas em defesa da democracia e do sistema eleitoral no Brasil.


Para além do juramento de Hipócrates: a ética na prática médica

“Passarei a minha vida e praticarei a minha arte pura e santamente. Em quantas casas entrar, fá-lo-ei só para a utilidade dos doentes, abstendo-me de todo o mal voluntário e de toda voluntária maleficência e de qualquer outra ação corruptora, tanto em relação a mulheres quanto a jovens.” (Juramento de Hipócrates).


O sentido da educação

A educação requer uma formação pessoal, capaz de fazer cada ser humano estar aberto à vida, procurando compreender o seu significado, especialmente na relação com o próximo.