Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Cientistas Cristãos refletem sobre o que significa a religião em tempos de crise

Cientistas Cristãos refletem sobre o que significa a religião em tempos de crise

16/06/2020 Kevin Ness

No dia 8 de junho, realizou-se a assembleia anual dA Igreja de Cristo, Cientista, em sua sede, em Boston.

O evento foi realizado on-line. Essa igreja é uma das muitas denominações religiosas que vêm trabalhando incansavelmente, nos últimos meses, para ajudar suas congregações a se adaptar ao mundo on-line, atendendo às recomendações e orientações de cada localidade.

Essa assembleia anual foi uma oportunidade para os membros se reunirem virtualmente e refletir sobre o que significa ser uma igreja em tempos de crise — como ir acima e além do que as autoridades pedem, e realmente servir a comunidade.

“O que o verdadeiro amor faz é aplacar o medo”, disse Robin Hoagland, membro de uma diretoria de cinco pessoas, “e esse é o amor de que mais precisamos, neste momento”.

A questão se aplica às necessidades resultantes da atual crise econômica e de saúde pública, além da atenção global voltada aos direitos humanos.

O jornal The Christian Science Monitor, mencionado na reunião, é um dos meios pelos quais a igreja demonstra como se interessa por tais questões.

O jornal foi fundado em 1908, com o lema “não prejudicar ninguém, mas sim abençoar toda a humanidade”. Ele tem dado cobertura a questões relacionadas com injustiça e racismo, desde seus primórdios. A cobertura da pandemia, nos últimos meses, tem sido oferecida livre de pagamento.

Os comentários por parte das autoridades da igreja e de membros, durante a reunião, ressaltaram a conexão entre adorar a Deus e cuidar do próximo — ensinamento básico de Jesus, que os cristãos relembram.

“Na proporção em que amamos a Deus de todo nosso coração, com toda nossa alma e entendimento — na mesma proporção nossas mãos são movidas pelo Cristo para atender às necessidades de nossos irmãos e irmãs”, disse Keith Wommack, outro membro da diretoria.

Um membro residente na Alemanha, que vem organizando a ajuda humanitária das Nações Unidas, disse: “Quando temos de enfrentar necessidades humanitárias de nível mundial, pode acontecer de fazermos uma porção de coisas que não são suficientes, ou de enfrentarmos obstáculos”. A oração “traz à mente soluções… porque a oração é poderosa. Ela faz a diferença”.

Os diversos comentários também reafirmaram o compromisso da igreja com a cura espiritual, que procura ver a imagem de Deus em todos e cada um.

“É necessária grande dose de amor e humildade, nesse trabalho de cura”, escreveu Mary Baker Eddy, a fundadora da igreja. “Devemos nos esforçar para imitar a paciência amorosa de Jesus.”

A cura não pode ser vista dogmaticamente, enfatizam os Cientistas Cristãos. É uma questão de gratidão a Deus, que é amor, e de aprender a reconhecer mais e mais Sua presença salvadora.

Um membro que vive no Peru, contou como o amor de Deus o curou do pesar que sentia, após o filho ter falecido no hospital, devido a um acidente de carro.

Nessa mesma época, ele próprio foi curado de uma dor crônica nos joelhos e na coluna. Ele falou de como foi importante o apoio dos membros da igreja local, à qual se filiou logo depois.

A secretária da igreja deu as boas-vindas a novos membros, originários de 30 países, de uma lista que vai de Angola, Argentina, Austrália, até Reino Unido, EUA, Uruguai e Zimbabwe. A igreja também deu as boas-vindas à nova presidente, Anne-Françoise Bouffé, de Paris, França.

A reunião concluiu-se com um vídeo, em que foram reunidas as vozes e imagens de centenas de membros, cantando um hino individualmente, mas ao mesmo tempo, em cinco idiomas diferentes.

O público em casa foi convidado a se unir também, inclusive os que se conectaram desde Brasil.

* Kevin Ness é o Gerente dos Comitês de Publicação da Ciência Cristã para A Primeira Igreja de Cristo, Cientista.

Fonte: Comitê de Publicação da Ciência Cristã para Brasil




Anywhere Office: a pandemia, rotina de trabalho e os nômades digitais

Desde 2007, quando Steve Jobs apresentou ao mundo o primeiro smartphone da maneira que conhecemos hoje, estamos passando por intensa transformação.


Prisão do deputado Daniel Silveira

A toda ação corresponde uma reação.


Exportações de minério de ferro cresceram 9% em janeiro

O mês de janeiro registrou uma alta de 9% na quantidade de minério de ferro exportado do Brasil para o exterior, tendo por comparação o mesmo período do ano passado, segundo dados do Ministério da Economia.


A dificuldade de cassar mandato político

A imoral prerrogativa constitucional que confere somente ao Congresso o poder de cassar o mandato de um parlamentar por cometimento de ilegalidade, à vista de qualquer cidadão de mediana cultura, constitui-se de medida irrazoável que fere o princípio da igualdade de tratamentos.


Ainda não nos preocupamos com o combate à pobreza

Um dos piores anos da história recente do país, 2020 também foi o ano em que a taxa de pobreza atingiu 8%, seu menor patamar em 44 anos.


Um ano de pandemia

A Covid-19 apareceu causando surpresa e aflição em todas as instâncias da sociedade, seja para a economia, a política, a educação, ou para as pessoas, no que se refere aos relacionamentos, sentimentos próprios, etc.


Como os paradigmas determinam nossos resultados

Você sabia que os nossos comportamentos habituais são moldados por paradigmas?


Ferrovias para poucos

Está em curso no Congresso, de forma quase silenciosa, mais um atentado à soberania brasileira.


Recomeço? Primeiro, o porquê

Existe um texto - às vezes atribuído ao Carlos Drummond de Andrade, embora não seja de sua autoria - que corre na internet há bastante tempo. Diz assim:


Tributação no e-commerce: a importância do regime tributário

O e-commerce tem crescido vertiginosamente nos últimos anos, em todos os países, a despeito das crises e solavancos da economia.


Em tempo de pandemia

Nestes tristes dias de pandemia, em que os médicos do Serviço de Saúde, lamentam que não se tem o devido cuidado, protegendo-se e protegendo o semelhante, lembrei-me de antigo chefe, que tive, quando era menino e moço.


2021, o ano em que seremos melhores

Nos últimos 20 anos as empresas fizeram altos investimentos em tecnologia e marketing para capturar dados de seus clientes e prospects e armazená-los em grandes repositórios de dados.