Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Como integrar a cultura em processos de fusões com empresas chinesas?

Como integrar a cultura em processos de fusões com empresas chinesas?

16/09/2016 Sumara Lorusso

Uma forte onda de investimentos de companhias chinesas no Brasil é esperada para os próximos meses.

Contudo, mesmo com a rapidez com que o país se insere na economia global, muitos chineses não deixam suas tradições milenares para trás.

Mas, como integrar culturas e comunicações tão diferentes depois de um processo de fusão, por exemplo? Para te ajudar nesse processo, selecionei algumas atitudes simples, porém muito apreciadas pelos chineses, para você colocar em prática agora mesmo. Confira!

Seja sempre cortês: não se apresentar antes de iniciar uma conversa ou discussão de negócios ou então perder a paciência no meio de uma negociação é considerado um erro grave. Para os chineses, a cortesia é essencial para a criação de bons e duradouros relacionamentos. Portanto, esteja sempre atento a sua comunicação verbal e corporal ao lidar com seus novos colegas.

Aposte na reciprocidade: na China, o relacionamento pessoal é assimilado como uma complexa rede de relações indispensáveis ao funcionamento social, político e organizacional. Por isso, os chineses enxergam os relacionamentos como uma espécie de conta corrente que deve estar sempre equilibrada. Se recebem um presente, eles retribuem. Se são convidados para um evento, eles retribuem. Faça o mesmo, nunca deixe de retribuir nada que lhe for oferecido. Se algum chinês te pedir um favor, pense como uma obrigação.

Respeite as simbologias e superstições: em uma cultura milenar como a da China, não faltam crenças nas quais acreditar. Assim, por mais que não faça muito sentido para você, evite julgar, questionar ou criticar. Apenas respeite. Uma dica preciosa é evitar presenteá-los com um chapéu verde, que simboliza traição, ou com um relógio, que em chinês é representado por uma palavra que lembra tristeza e luto. Outra grande superstição dos chineses refere-se aos números, que podem trazer sorte ou azar. Sempre evite o quatro, que no idioma local a pronúncia se parece com a da palavra morte, em compensação, aposte no oito, que sugere prosperidade, e nos múltiplos de cinco.

Tenha cuidado com a palavra “não”: por considerarem indelicado negar um pedido, os chineses não gostam de responder “não” diretamente, pois sabem que a negativa pode causar desconforto, o que é muito embaraçoso para eles. Assim, se você escutar expressões do tipo “talvez depois”, “vamos discutir mais” ou “não será muito conveniente” vindo de um chinês, entenda como uma resposta não favorável. Da mesma forma, se você tiver que dizer “não”, pense em outra forma de dizê-lo, como “talvez em outro momento”.

Evite rejeitar seus convites: a melhor forma de você estreitar os laços de amizade com os novos funcionários da empresa será fora do trabalho. Os chineses preferem realizar suas reuniões durante almoços e jantares regados a álcool. Por isso, não recuse seus convites. Para eles, isso mostra que você não tem medo de mostrar seu lado fraco. Mas, tome cuidado para não cometer nenhuma gafe que te prejudique. Conhecer algumas regrinhas de etiqueta para esse momento é importante. Por exemplo, quando receber um cartão, sempre segure com as duas mãos e somente depois entregue o seu, segurando também com as duas mãos; não demonstre surpresa se os chineses arrotarem ou fizerem outros barulhos na mesa, isso é comum para eles. Também não recuse se um chinês oferecer um alimento com um hashi (kuàizi) que já tenha sido usado, isso é sinal de compartilhamento.

Se interesse por sua cultura e idioma, mas fuja de discussões políticas: os chineses apreciam e se sentem muito prestigiados com quem se interessa por sua cultura ou tenta falar seu idioma. Então, vale a pena você investir no conhecimento de algumas palavras da língua. Assim, você poderá se situar melhor em diferentes ocasiões e também irá conquistar muitos pontos positivos na empresa. Mas, se não houver completo domínio do que estiver falando é preferível contar com o apoio de um intérprete do que arriscar-se a ser mal compreendido.

Cada palavra chinesa pode ter muitos significados dependendo do tom em que é dita, então é preciso ter certeza antes de dizer. Também é importante evitar falar de política e movimentos sociais da China, porque poderá deixar a outra pessoa embaraçada. Apesar da economia do país ser bastante aberta, está longe de ser liberal para assuntos sociais.

Agora, se você achou tudo muito complexo, não desista! Procure uma escola especializada no idioma e na cultura chinesa e tire todas as suas dúvidas com os próprios chineses. Nada melhor do que receber o conhecimento direto da fonte, não é mesmo? Tenho certeza que você irá se encantar com a visão dos chineses sobre o mundo dos negócios!

* Sumara Lorusso é formada em letras e tradução pela Unibero e tem fluência em mais de cinco idiomas, incluindo o Mandarim.



A desconstrução do mundo

Quando saí do Brasil para morar no exterior, eu sabia que muita coisa iria mudar: mais uma língua, outros costumes, novas paisagens.

Autor: João Filipe da Mata


Por nova (e justa) distribuição tributária

Do bolo dos impostos arrecadados no País, 68% vão para a União, 24% para os Estados e apenas 18% para os municípios.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


Um debate desastroso e a dúvida Biden

Com a proximidade das eleições presidenciais nos Estados Unidos, marcadas para novembro deste ano, realizou-se, na última semana, o primeiro debate entre os pleiteantes de 2024 à Casa Branca: Donald Trump e Joe Biden.

Autor: João Alfredo Lopes Nyegray


Aquiles e seu calcanhar

O mito do herói grego Aquiles adentrou nosso imaginário e nossa nomenclatura médica: o tendão que se insere em nosso calcanhar foi chamado de tendão de Aquiles em homenagem a esse herói.

Autor: Marco Antonio Spinelli


Falta aos brasileiros a sede de verdade

Sigmund Freud (1856-1939), o famoso psicanalista austríaco, escreveu: “As massas nunca tiveram sede de verdade. Elas querem ilusões e nem sabem viver sem elas”.

Autor: Samuel Hanan


Uma batalha política como a de Caim e Abel

Em meio ao turbilhão global, o caos e a desordem só aumentam, e o Juiz Universal está preparando o lançamento da grande colheita da humanidade.

Autor: Benedicto Ismael Camargo Dutra


De olho na alta e/ou criação de impostos

Trava-se, no Congresso Nacional, a grande batalha tributária, embutida na reforma que realinhou, deu nova nomenclatura aos impostos e agora busca enquadrar os produtos ao apetite do fisco e do governo.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa