Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Como lidar com as decepções profissionais

Como lidar com as decepções profissionais

18/05/2016 Jaques Grinberg

Muitos profissionais, empregados ou não, já sentiram-se decepcionados.

Como lidar com as decepções profissionais

Podemos traduzir para desapontados ou enganados com uma situação ou promessa não realizada. É fácil culpar terceiros por uma decepção, o chefe ou colegas de trabalho.

Alguns, culpam os clientes e outros muitas vezes nem sabem quem culpar. A decepção acontece quando algo que esperávamos acontecer não acontece.

Veja 7 dicas para aprender a lidar com as decepções e sofrer menos.

1. Espere menos e faça muito mais.

Quando a expectativa é menor, as chances de uma decepção também são menores. E quando você espera menos e faz muito mais, diminuí muito as chances de decepcionar-se. O grande erro de muitos profissionais é esperar muito e nada fazer para ter o resultado esperado.

2. Faça por você, não espere um obrigado.

Os profissionais que faz o que precisa ser feito, sem esperar um agradecimento do chefe ou elogios dos colegas conseguem trabalhar com mais satisfação.

3. Estude muito e esteja preparado para novos desafios.

Independente da sua profissão e responsabilidades, em um mundo globalizado e competitivo, é importante acompanhar as mudanças. Tempo de profissão já foi um diferencial competitivo, atualmente é o conhecimento, facilidade de trabalho em equipe e flexibilidade que tornam um profissional requisitado.

4. Seja curioso e criativo. Pergunte e descubra coisas novas todos os dias.

Qual foi a última vez que você participou de uma palestra, leu um livro ou pesquisou na internet informações para o seu trabalho render muito mais. O que os seus clientes, seus colegas e o seu chefe pensam do seu trabalho é o mesmo que você pensa? Existem formas de fazer o seu trabalho mais rápido e com uma qualidade superior? Seja curioso e criativo, responda estas perguntas com duas ou três possibilidades diferentes.

5. Acredite no seu potencial.

Todos nascem igual, não existe sorte, existe força de vontade. Ganhar na loteria é probabilidade. O jogador tem que investir tempo para ir até uma lotérica, pensar e escolher os números para jogar, arriscar e pagar o valor do jogo para ter chances de ganhar.

E quando ganha, todos dizem que é sorte. Sorte é ganhar na loteria sem jogar. Podemos trazer este conceito para a empresa, como por exemplo, aquele colega que foi promovido e todos dizem que é sorte ou “puxa saco”. O que ele fez e tem de diferente para ter sido promovido?

6. Não tenha medo do que ainda não aconteceu.

Ter medo do que ainda não aconteceu é mais comum do que você imagina. Ter medo de perder o emprego é um dos fatores que geram a decepção profissional. Quando um profissional acredita que irá perder o emprego o seu rendimento cai e falhas no serviço começam a acontecer.

Quando perde o emprego a culpa é dos colegas, do chefe que não gostava dele ou da crise. O profissional esquece de avaliar o seu desempenho negativo por causa de um medo que não existia, mas aconteceu somente por causa deste medo.

7. Sorria mais.

Sorrir é o melhor remédio para a vida. Deu certo, sorria e festeje o resultado. Deu errado, sorria e conserte. Aprender a assumir os erros e comprometer-se a corrigi-los é para poucos profissionais que destacam-se e diminuem as chances de novas decepções. Viver bem é sorrir para viver. Experimente!

* Jaques Grinberg é empreendedor, coach, palestrante, consultor e sócio em quatro empresas.



A empatia como chave para gestão de entregas e pessoas

Uma discussão que acredito ser muito pertinente em tempos de pandemia é como ficam, neste cenário quase caótico, as entregas?


Mass-Media “mascarada”

A semana passada, aventurei-me a sair, para um longo passeio, na minha cidade. Passeio a pé, porque ainda não frequentei o transporte público.


A quarentena e as artes

Schopenhauer foi um filósofo que penetrou no âmago do mundo.


O legado da possibilidade

Quando podemos dizer que uma coisa deu certo? O que é, afinal, um sucesso?


O que diabos está acontecendo?

A crise está a todo vapor e acelerando tendências que levariam décadas para se desenrolar.


STF e o inquérito do fim do mundo

Assim que o presidente da Suprema Corte determinou a abertura do inquérito criminal para apurar ameaças, fake news contra aquele sodalício, nomeando um dos ministros da alta corte para instaurá-lo, de ofício, com base no artigo 43 do Regimento Interno, não vi nenhuma ilegalidade.


As décadas de 20

A mais agitada década de vinte de todas foi a do século XX.


Nós acreditamos!

A história ensina lições. Muitas lições.


A saúde do profissional de educação em tempos de pandemia

Muitos profissionais tiveram que se adaptar por causa da pandemia.



“Quem viva?! …”

Contava meu pai, com elevada graça, que tivemos antepassado, muito desenrascado, que sempre encontrava resposta pronta, na ponta da língua.


Super-mãe. Eu?

Lembro-me de um episódio que aconteceu há alguns anos atrás e que fez com que eu refletisse seriamente sobre meu comportamento de mãe.