Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Deixe de ser devedor e torne-se um investidor

Deixe de ser devedor e torne-se um investidor

16/02/2014 Mauro Calil

A possibilidade de ter renda permanente, possuir uma vida confortável e não ser escravo do salário ainda é uma realidade para uma pequena parcela da população brasileira.

Com maior acesso ao crédito e aos bens de consumo, a maioria das pessoas, mesmo com maior permanência no emprego, ainda gasta muito mais do que ganha e, eventualmente, contrai dívidas que arruínam qualquer possibilidade de estabilidade financeira.

Preocupados mais em pagar dívidas, pensar em reservar parte dos ganhos para garantir uma renda futura é um grande desafio. Como resultado, acabamos perdendo boas oportunidades de negócios. Desde que se tenha disposição para fazer algumas mudanças de comportamento, que inicialmente podem parecer complicadas, é possível construir um novo cenário e passar definitivamente de devedor para investidor.

Realizar mudanças, principalmente nos hábitos de consumo, sempre causa algum tipo de desconforto, mas essa nova atitude pode ter efeitos benéficos no longo prazo. O primeiro passo é o pagamento das dívidas mais caras, com juros mais altos, como, por exemplo, as dívidas contraídas no cartão de crédito. O pagamento parcial da fatura e os juros embutidos são um dos grandes motivos de inadimplência.

Pagar as contas do cotidiano no prazo correto também colabora para o equilíbrio financeiro, o que evita o pagamento desnecessário dos juros embutidos. Por mais que possam parecer pequenos, estes gastos, se forem investidos no longo prazo, poderão ter um bom rendimento. Livrar-se das compras por impulso é outro elemento que colabora para essa transição.

Um exemplo simples é uma xícara de café ao custo de R$ 2,00 por dia, de segunda a sexta, pelo período de um ano. Evitar este gasto equivale a uma economia de R$ 520,00 anuais. Se colocarmos esse valor em uma aplicação de renda fixa, como por exemplo, a caderneta de poupança, após um período de três anos, teremos R$ 1 691,45. Há ainda outros mitos que ainda fazem parte do comportamento do brasileiro.

Entre eles, destacam-se o conceito de que, para ser investidor, é preciso ter muito dinheiro disponível e a ideia de que os produtos existentes no mercado financeiro são muito complexos. Como tudo em nossa vida exige conhecimento e prática, vale a pena nos dedicarmos diariamente para compreender e aprender o que o nosso sistema financeiro oferece.

Existem diversas opções, como CDBs, LCIs (Letras de Crédito Imobiliário), LCAs (Letras de Crédito de Agronegócio), Fundos Imobiliários, ações, fundos de renda fixa, entre outras, que podem ser acionadas com investimentos mínimos a partir de R$ 100,00. Neste contexto, para se tornar um investidor, é preciso seguir uma receita muito simples: registre os seus gastos diários, informe-se sobre as alternativas de investimento e discipline-se a salvar uma quantia mensal dos gastos tolos para investir.

Quando começar a ver os resultados, terá uma visão ampliada do dinheiro e do seu poder de compra. E, além disso, com o dinheiro aplicado poderá decidir melhor sobre suas escolhas.

*Mauro Calil é palestrante, educador financeiro, autor dos livros "Separe uma verba para ser feliz" e "A receita do bolo", e ex- gerente geral do Instituto Nacional dos Investidores (INI).



Administração estratégica: desafios para o sucesso em seu escritório jurídico

Nos últimos 20 anos o mercado jurídico mudou significativamente.


Qual o melhor negócio: investir em ações ou abrir a própria empresa?

Ser um empresário ou empresária de sucesso é o sonho de muitas pessoas.


Intercooperação: qual sua importância no pós- pandemia?

Nos últimos dois anos, o mundo enfrentou a maior crise sanitária dos últimos 100 anos.


STF e a Espada de Dâmocles

O Poder Judiciário, o Ministério Público e a Polícia Investigativa são responsáveis pela persecução penal.


Lista tríplice, risco ao pacto federativo

Desde o tempo de Brasil-Colônia, a lista tríplice tem sido o instrumento para a nomeação de promotores e procuradores do Ministério Público.


ESG: prioridade da indústria e um mar de oportunidades

Uma pesquisa divulgada recentemente pelo IBM Institute for Business Value mostra que a sustentabilidade tem ocupado um lugar diferenciado no ranking de prioridades de CEOs pelo mundo se comparado a levantamentos anteriores.


Como conciliar negócios e família?

“O segredo para vencer todas as metas e propostas é colocar a família em primeiro lugar.”, diz a co-fundadora da Minucci RP, Vivienne Ikeda.


O limite do assédio moral e suas consequências

De maneira geral, relacionamento interpessoal sempre foi um grande desafio para o mundo corporativo, sobretudo no que tange aos valores éticos e morais, uma vez que cada indivíduo traz consigo bagagens baseadas nas próprias experiências, emoções e no repertório cultural particular.


TSE, STF e a censura prévia

Sabe-se que a liberdade de expressão é um dos mais fortes pilares da democracia.


Sociedade civil e a defesa da democracia

As últimas aparições e discursos do presidente da República vêm provocando uma nova onda de empresários, instituições e figuras públicas em defesa da democracia e do sistema eleitoral no Brasil.


Para além do juramento de Hipócrates: a ética na prática médica

“Passarei a minha vida e praticarei a minha arte pura e santamente. Em quantas casas entrar, fá-lo-ei só para a utilidade dos doentes, abstendo-me de todo o mal voluntário e de toda voluntária maleficência e de qualquer outra ação corruptora, tanto em relação a mulheres quanto a jovens.” (Juramento de Hipócrates).


O sentido da educação

A educação requer uma formação pessoal, capaz de fazer cada ser humano estar aberto à vida, procurando compreender o seu significado, especialmente na relação com o próximo.