Portal O Debate
Grupo WhatsApp

Dicas para profissionais em cargos de liderança em TI

Dicas para profissionais em cargos de liderança em TI

17/10/2022 Alvaro Oliveira

A Tecnologia da Informação encara um crescimento acelerado em todo o mundo.

De acordo com relatório divulgado pela Associação Brasileira de Empresas de Software (ABES), o mercado de TI deve se expandir em 14,3% em 2022, no Brasil, e em 6,4% em escala global.

Para se ter um panorama do setor, em 2021 ele foi avaliado em US $ 45,7 bilhões. Com essa ascensão, é natural que os profissionais da área se desenvolvam e progridam constantemente na profissão, formando lideranças e cargos de influência acerca dos talentos que ainda estão iniciando a carreira.

Diante de cada vez mais desafios, o líder de tecnologia vem recebendo algumas expectativas por parte dos profissionais que embarcam em novos projetos, como um gestor que poderá oferecer suporte e desenvolver estratégias de coordenação do trabalho desempenhado por sua equipe.

Ele também possui o compromisso de garantir uma jornada positiva e favorável aos colaboradores, ou seja, deve se preocupar em proporcionar o crescimento de cada talento na empresa.

Ao assumir um cargo com maior responsabilidade no departamento de TI de uma empresa, ou até mesmo dentro do mercado de tecnologia, é imprescindível que o profissional disponha de algumas qualidades e habilidades principais, as quais farão toda a diferença em designá-lo como um bom líder e gestor e, consequentemente, possibilitarão conquistar ótimos resultados aos projetos.

Conhecimento em business

Muitas são as posições que um líder em tecnologia pode ocupar. Uma das mais comuns é o CIO, conhecido como Chief Information Officer ou Diretor de Tecnologia da Informação, que é o executivo responsável por toda a área de TI de uma empresa e tem como responsabilidade definir a estratégia de tecnologia e supervisionar operações de infraestrutura e sistemas de computação.

O ponto primordial para este líder é ser apto a gerenciar, eficientemente, os projetos com seus respectivos prazos.

Para ser líder em TI, conhecer as novas linguagens de programação é importante, porém, não é o suficiente. É possível dizer que um líder deve ter, sobretudo, habilidades sobre negócios.

O know-how em gestão e estratégia contribui para que ele possa tomar decisões mais perspicazes e possam delegar as diferentes tarefas de um projeto.

Vale ressaltar que atribuir as demandas aos devidos colaboradores – em vez de assumi-las sozinho – é um desafio, mas é impreterível para estruturar uma equipe excelente e expandir os negócios.

Da mesma forma, a inovação também é um elemento fundamental para qualquer negócio ter sucesso, especialmente na tecnologia.

A propósito, uma pesquisa da ManageEngine revelou que 95% dos executivos consideram a Tecnologia da Informação responsável pela inovação nos negócios.

Desta maneira, é inegável que a transformação digital impulsionou a presença e a importância do setor de TI para inúmeros segmentos.

Habilidades comportamentais

É essencial que, em todos os ramos profissionais, os líderes corram atrás de aperfeiçoar algumas habilidades comportamentais que fazem uma grande diferença na rotina de trabalho – e na tecnologia não é diferente, mas crucial.

Uma delas é a oferta de disponibilidade, presença, escuta ativa e valorização do próximo. Um projeto dificilmente obtém êxito se os responsáveis por o gerenciar e liderar a equipe que nele atua não possuírem boa comunicação e empatia.

É necessário que as lideranças compreendam que o mundo passa por uma mudança contínua e que as novas gerações de talentos precisam se sentir acolhidas, compreendidas e que fazem parte da equipe, principalmente com o avanço do trabalho remoto, onde as percepções de trabalho colaborativo têm mudado profundamente e muitas pessoas começam a trabalhar já no modelo remoto.

Um líder também precisa estar aberto a diálogos para entender como os colaboradores estão se sentindo emocionalmente e ter uma visão holística dos profissionais e dos projetos em andamento, podendo saber como definir estratégias para manter ambos conectados de modo prático e eficiente.

Mente aberta às novas tecnologias

Com o decorrer do tempo, novos conceitos de tecnologia surgem e se tornam parte do dia a dia de trabalho. Por essa razão, não apenas os líderes como todos os profissionais de TI devem estar alinhados com as novidades do setor, buscando atualizações para que o seu conhecimento não se torne atrasado ou obsoleto.

É comum que novas linguagens de programação apareçam e despontem de tempos em tempos, mas há também muitos conceitos emergindo, como o Cloud Computing, que vem se consolidando no mercado e deve ser considerado um modelo de gestão de TI, por se tratar de uma tecnologia inteligente e avançada que permite o armazenamento e gestão de dados em alta performance e escalabilidade, bem como oferece mobilidade e produtividade com segurança de dados e redução de custos.

A Andela, marketplace global de talentos técnicos, tem a preocupação de conectar o brilhantismo com a oportunidade.

Uma das mais diversas funções abrangidas em sua rede é o gerente de produto, responsável por gerenciar requisitos e entregar produtos de qualidade que estejam alinhados com as metas de negócios.

Este é um dos primeiros cargos de liderança conhecidos no mercado e pode ser considerado um ponto inicial de experiência para profissionais de TI que desejam avançar na carreira e assumir funções de líderes em projetos, empresas ou negócios do setor.

* Alvaro Oliveira é Chief Network Officer na Andela.

Para mais informações TI sobre clique aqui…

Publique seu texto em nosso site que o Google vai te achar!

Fonte: Sing Comunicação de Resultados



O Pronto Atendimento e o desafio do acolhimento na saúde

O trabalho dentro de um hospital é complexo devido a diversas camadas de atendimento que são necessárias para abranger as necessidades de todos os pacientes.

Autor: José Arthur Brasil


Como melhorar a segurança na movimentação de cargas na construção civil?

O setor da construção civil é um dos mais importantes para a economia do país e tem impacto direto na geração de empregos.

Autor: Fernando Fuertes


As restrições eleitorais contra uso da máquina pública

Estamos em contagem regressiva. As eleições municipais de 2024 ocorrerão no dia 6 de outubro, em todas as cidades do país.

Autor: Wilson Pedroso


Filosofia na calçada

As cidades do interior de Minas, e penso que de outros estados também, nos proporcionam oportunidades de conviver com as pessoas em muitas situações comuns que, no entanto, revelam suas características e personalidades.

Autor: Antônio Marcos Ferreira


Onde começam os juros abusivos?

A imagem do brasileiro se sustenta em valores positivos, mas, infelizmente, também negativos.

Autor: Matheus Bessa


O futuro da indústria 5.0 na sociedade

O conceito de Indústria 5.0 é definido como uma visão humanizada das transformações tecnológicas no setor, equilibrando as necessidades atuais e futuras dos trabalhadores e da sociedade com a otimização sustentável do consumo de energia, processamento de materiais e ciclos de vida dos produtos.

Autor: Pedro Okuhara


Em defesa do SUS: um chamado à ação coletiva

A escassez de recursos na saúde pública brasileira é um problema crônico.

Autor: Juliano Gasparetto


Impactos da proibição do fenol pela Anvisa no mercado de cosméticos e manipulação

Recentemente, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tomou a decisão de proibir a venda e o uso de produtos à base de fenol em procedimentos de saúde e estéticos.

Autor: Claudia de Lucca Mano


A fantasia em torno da descriminalização da maconha

"As drogas pisoteiam a dignidade humana. A redução da dependência de drogas não é alcançada pela legalização do uso de drogas, como algumas pessoas têm proposto ou alguns países já implementaram. Isso é uma fantasia".

Autor: Wilson Pedroso


Ativismo judicial: o risco de um estado judicialesco

Um Estado policialesco pode ser definido como sendo um estado que utiliza da força, da vigilância e da coerção exacerbada contra a população, principalmente com seus opositores.

Autor: Bady Curi Neto


Abortada a importação do arroz

O governo desistiu de importar arroz para fazer frente à suposta escassez do produto e alta de preços decorrentes das cheias do Rio Grande do Sul, responsável por 70% do cereal consumido pelos brasileiros.

Autor: Tenente Dirceu Cardoso Gonçalves


2024, um ano de frustração anunciada

O povo brasileiro é otimista por natureza.

Autor: Samuel Hanan