Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Esporte, Síndrome de Down e liderança

Esporte, Síndrome de Down e liderança

01/11/2018 Oscar D'Ambrosio

Um filme imperdível!

Candidato da Espanha ao Oscar de Melhor Filme Estrangeiro de 2019, “Campeões”, do diretor Javier Fesser, junta, com raro talento, três temas: esporte, Síndrome de Down e liderança. Tudo se articula na narrativa de um técnico de basquete profissional sentenciado a prestar serviços comunitários junto a uma equipe de portadores de Síndrome de Down.

Adaptar seus métodos e comportamentos cristalizados no esporte de alto rendimento a pessoas com outros tipos de habilidades conduz a uma jornada interior que emociona sem pieguice. Cada um dos dez integrantes do time tem sua própria história e a dificuldade de saber lidar com essas diferenças constitui um aprendizado.

Cada personagem, interpretado por portadores de Down mostra uma faceta, que inclui desde o entendimento literal de frases do treinador a momentos de paralisia ou ausência que podem ocorrer no meio de um treinamento ou de uma partida. Além disso, o imaturo treinador, receoso de ter filhos por ter sido abandonado pelo próprio pai, passa a ser a figura paterna da equipe.

O basquete torna-se a linguagem comum a unir ao grupo e os resultados, que incluem a disputa da final de um torneio nas paradisíacas Ilhas Canárias, passam a ser o mesmo importante perante a construção de um espírito de coletividade em que o líder aprende o tempo todo a lidar com as idiossincrasias individuais para fazer o coletivo funcionar.

Acredite! Este filme é realmente imperdível!

* Oscar D´Ambrosio é jornalista pela USP, mestre em Artes Visuais pela Unesp, graduado em Letras (Português e Inglês) e doutor em Educação, Arte e História da Cultura pela Universidade Presbiteriana Mackenzie e Gerente de Comunicação e Marketing da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo.

Fonte: Oscar D´Ambrosio



Gestão pública é o caminho contra a corrupção

A corrupção é pré-requisito do desenvolvimento, já dizia Gunnar Myrdall, Prêmio Nobel de Economia, em 1974.


Quando a desinformação é menos tecnológica e mais cultural

Cenário é propício para o descrédito de pesquisas, dados, documentos e uma série de evidências de veracidade.


Igualdade como requisito de existência

Na última cerimônia de entrega do EMMY, o prêmio da TV Norte Americana, um ator negro foi premiado, fruto de reconhecimento praticamente unânime de seu trabalho.


Liderança é comunicação, conexão e confiança

Cada dia que passa, percebo que uma boa comunicação e liderança têm total relação com conexão.


“A educação é a arma mais poderosa…” mas para quem?

Tudo o que se cria ou se ensina no mundo tem dois lados. Geralmente as intenções são boas e as pessoas as tornam ruins.


“Golpe do Delivery”

Entregadores usam máquina de cartão para enganar consumidor.


A inclusão educacional e o mês das crianças

O tema da inclusão está na ordem do dia, dominando as agendas no mês das crianças.


A velha forma de fazer política não tem fim

Ser político no Brasil é um grande negócio, uma dádiva caída do céu, visto as grandes recompensas de toda a ordem obtidas pelos políticos.


Procedimento de segurança

“Havendo despressurização…”, anuncia a comissária, em tom calmo, aos ouvidos dos senhores passageiros daquele voo atrasado, sob a umidade e a monocromia do céu de quase inverno.


Envelhecimento: o tempo passa para todos

Todos nós, em algum momento de nossas vidas, já ouvimos a frase: “o tempo passa para todos”.


Os passos para encontrar a si mesmo e a Deus

Mar da Galileia, Mar de Tiberíades ou Lago de Genesaré, um lugar significativo de tantos milagres e narrativas do Evangelho.


A babá e o beijo

Se eu tinha dúvidas, agora não tenho mais.