Portal O Debate
Grupo WhatsApp


Inovação e Obesidade

Inovação e Obesidade

10/10/2013 Tânia Cerqueira

A obesidade representa, hoje, um dos problemas mais importantes relacionados à saúde. Pelo menos 65% da população mundial mora em países onde o sobrepeso mata mais do que a desnutrição.

A evolução silenciosa desse problema criou um mundo onde o normal é NÃO ser saudável. O Brasil encontra-se a caminho de, em 2022, vir a tornar-se tão obeso quanto os Estados Unidos. O marketing também enfrenta essa nova força externa, aparentemente tão irreversível, que se assemelha a uma ‘tendência dura´ (hard trend), com a qual teremos de lidar pelo menos nos próximos dez anos.

Diante da pouca chance de reverter o cenário, nosso desafio consiste em pensar sobre nosso papel diante do novo contexto e nas inovações possíveis. A geração XXL não criará impacto somente nos setores de alimentos e bebidas. Afetará, de múltiplas formas, o design, as funcionalidades, a forma de comunicar-se com consumidores. Provavelmente todas as categorias - produtos, serviços e ambientação - sofrerão ajustes. O modo de pensar XXL acabará tornando-se referência para cada ponto de contato de marketing e comunicação, uma vez que os obesos representarão a grande maioria da população geral.

Por tanto, os fatores demográficos ganharão mais uma variável. Possivelmente, no futuro próximo, teremos cotas de peso dentro das amostras e grupos de discussão com convidados de classe C magros, com sobrepeso e obesos. Talvez seja necessário realizar estudos etnográficos em famílias obesas ou mães magras com filhos obesos ou mães obesas com filhos magros. O quadro ainda está por se configurar. Outro complicador está no fato de uma parte das pessoas com sobrepeso e obesos não se verem nessa condição e, por isso, não se identificarem com comunicação destinada a elas.

Isso exigirá pensar em técnicas diferentes, que abusem da tecnologia (social mídia, smartphone) e talvez grupos de conflito, para evidenciar as diferenças. Um workshop de geração de ideias e de insights demandará informações sob um novo ângulo e em um screening de ideias ou conceitos que irão considerar a condição de quem está avaliando. Porém, além de adaptar-se ao fenômeno XXL, podemos reagir a ele. Há grandes oportunidades para que as empresas posicionem-se como agentes positivos, a fim de que o cenário de 2022 não se confirme.

Conscientização do público por meio de lançamentos de porções menores, equilíbrio das dietas ou patrocínio de eventos que estimulem a prática esportiva são apenas alguns exemplos das inúmeras possibilidades com as quais contamos ou que deveremos criar. Se fracassarmos nesse intuito e o pior cenário se confirmar, como vamos nos preparar para esse novo mundo?

*Tânia Cerqueira, Diretor de Inovação, Ipsos.

Fonte: World Health Organization 2012 e Ipsos Generation XXL, 2012



Os candidatos avulsos e os partidos

Por iniciativa do ministro Luiz Roberto Barroso, o STF (Supremo Tribunal Federal) abre a discussão sobre a as candidaturas avulsas, onde os pretendentes a cargo eletivo não têm filiação partidária.


Os desafios de tornar a tecnologia acessível à população

Vivemos uma realidade em que os avanços tecnológicos passaram a pautar nosso comportamento e nossa sociedade.


O uso do celular, até para telefonar

Setenta e sete por cento dos brasileiros utilizam o smartphone para pagar contas, transferir dinheiro e outros serviços bancários.


Canto para uma cidade surda

O Minas Tênis Clube deu ao Pacífico Mascarenhas o que a cidade de Belo Horizonte deve ao Clube da Esquina; um cantinho construído pelo respeito, gratidão, admiração, reconhecimento, apreço e amor.


Como acaso tornou famoso notável compositor

Antes de alcançar a celebridade, e a enorme fortuna, Verdi, passou muitas dificuldades financeiras.


Gugu e a fragilidade da vida

A sabedoria aconselha foco no equilíbrio emocional e espiritual diante da fragilidade e fugacidade da vida.


Quando o muro caiu

O Brasil se preparava para o segundo turno das eleições presidenciais, entre o metalúrgico socialista Luís Inácio Lula da Silva e a incógnita liberal salvacionista Fernando Collor de Melo, quando a televisão anunciou a queda do muro de Berlim.


Identidade pessoal e identidade familiar

Cada família gesta a sua identidade, ainda que algumas vezes, de forma inconsciente.


Desprezo e ingratidão

Não sei o que dói mais: se a ingratidão se o desprezo.


A classe esquecida pelo governo

O fato é que a classe média acaba por ser a classe esquecida pelo governo.


O STF em defesa de quem?

A UIF, antigo COAF, foi criada como uma unidade do Ministério da Justiça (hoje, no BACEN) para fazer uma coisa muito simples: receber dos bancos notificações de que alguém teria realizado uma transação suspeita, anormal.


O prazer da leitura

Ao contrário do que se possa pensar, não tenho muitos amigos. Também não são muitos os conhecidos.